ago 22

Acessórios originais para GoPro: carregador dual e LCD

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 22/08/2014 às 11:32h

     Na semana passada eu comprei alguns acessórios para a minha GoPro: tela LCD, carregador dual de bateria, adaptador de microfone (USB/ P2) e dois microfones, sendo um estéreo e outro de lapela. Infelizmente, tanto o adaptador, quanto os microfones, não funcionaram na GoPro. Porém, funcionaram na Sony HDR-AS15 (vídeo aqui). Ainda preciso ver certinho onde está o erro.

     Pra quem não sabe, tanto a GoPro, quanto a câmera da Sony, não vem com um LCD pra gente ver o conteúdo gravado, além do “ao vivo”. Isso porque ambas são destinadas a esportes, geralmente radicais, e o pessoal costuma afixá-las em capacetes, pranchas, etc., tornando o LCD dispensável. Assim, quem tiver a necessidade do mesmo, precisa comprar como acessório. Lá fora custa USD 80 e aqui R$ 399.

     Além do LCD, comprei também um carregador duplo de bateria (USD 30 lá fora e R$ 130 aqui). Infelizmente não dá para plugá-lo direto na tomada, como eu acho que seria o ideal, sendo necessário conectá-lo a um cabo e um carregador USB tradicional. Isso é meio inconveniente, pois são mais coisas pra levar na mochila em uma viagem. Eu tenho um outro carregador de parede (compra na DX), que tem o formato perfeito pra mim. Porém, um deles quebrou o pininho e o outro tá em vias de quebrar também. Dae, minha opção por gastar mais e comprar o original.

     Durante a minha pesquisa pelos acessórios, encontrei alguns LCDs “genéricos” no Mercado Livre. São bem mais em conta (R$ 240), mas não vem com todas as tampas traseiras que a original traz, além do que eu fiquei com medo de danificar a câmera usando algo não oficial. Aliás, o modelo que comprei é a mais recente (Alcdb-304), mas tem alguns antigos (Alcdb-303) um pouco mais baratos.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
ago 21

Comparando os preços da GoPro com a Sony HDR-AS15

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 21/08/2014 às 14:48h

     Essa semana eu fiz alguns vídeos comparando a GoPro com a Sony HDR-AS15. Neles, citei brevemente que a Sony tem um preço muito mais acessível que a concorrente. Porém, alguns leitores, deixaram comentários no Youtube, dizendo que não é bem assim. Então eu resolvi fazer uma pesquisa de preços, usando como referência o preço nos Estados Unidos, a loja mais barata encontrada no Buscapé (confiável ou não), uma loja mais reconhecida no mercado brasileiro e um vendedor confiável no Mercado Livre.

     Conforme podemos ver no site oficial da GoPro, a empresa tem atualmente 3 modelos de câmeras: a White, Silver e Black. Pra ver exatamente qual a diferença entre elas, recomendo que consulte o próprio site já citado. Mas, no geral, a White grava em fullHD 30FPS e tira fotos em 5MP. A Silver grava em fullHD 60FPS e tira fotos em 10MP. A Black grava em 4K e tira fotos em 12MP. Estou sendo simplista, claro. Mas o objetivo é esse mesmo.

     Nos Estados Unidos o modelo White é vendido por USD 200 e tem um salto de USD 100 a cada nova versão, ou seja, a Silver sai por USD 300 e a Black por USD 400. Assim, o modelo mais topo de linha custa o dobro do modelo mais básico. Como eu acredito que muita gente ficará satisfeita com fotos em 5MP e gravações em fullHD a 30FPS, minha recomendação de compra é a White. Logo, não vejo motivos em chamar quem escolhe esse modelo de idiota, como deixaram nos comentários do Youtube. Existem produtos diferentes para necessidades diferentes. E aliás, nem todo mundo tem uma árvore de dinheiro no quintal. Mas a molecada bancada pelos pais não deve saber disso.

     Aqui no Brasil, o preço mais barato do modelo White que encontrei foi R$ 730. No Mercado Livre, num vendedor confiável: R$ 733. Porém, em ambos os casos, a garantia é de apenas 90 dias. Ou seja, dá pra comparar um produto comprado oficialmente no Brasil, com nota fiscal e 12 meses de garantia, como a Sony HDR-AS15, com esses produtos comprados em condições diferentes? Eu não acho justo com o leitor. Assim, se formos comparar corretamente, temos que levar em conta o preço do Magazine Luiza, que é de R$ 1.259. Ou seja, praticamente o dobro do preço da câmera da Sony, o que reforça o que eu disse no vídeo: existe sim uma diferença considerável de preço.

     No modelo Silver, o preço mais barato que achei foi R$ 879. No Mercado Livre, com vendedor confiável, se acha até mais barato: R$ 865. Na Saraiva, uma loja conhecida, com nota fiscal e garantia de 1 ano: R$ 1.661. E pra fechar, o modelo Black é encontrado por R$ 1.200 na loja mais em conta, R$ 1.150 no Mercado Livre e R$ 1.800 na Kabum.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
ago 20

Primeiras impressões da câmera compacta Sony HDR-AS15

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 20/08/2014 às 18:28h

     Ontem eu publiquei aqui no blog um post comparando a qualidade das câmeras GoPro White e Sony HDR-AS15. Aproveitei para mostrar também como dá pra melhorar ainda mais o áudio da Sony, colocando um microfone na porta P2, que já vem embutida nela (diferente da GoPro, que exige acessório).

     No post de hoje eu mostro um pouco mais sobre a caixa da HDR-AS15, o que vem com ela, comparo com a GoPro e conhecemos um pouco mais sobre seu design, que eu acabei não mostrando anteriormente, pois estava mais focado em exibir a qualidade de gravação de ambas.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
ago 19

Comparando a qualidade da GoPro com a Sony HDR-AS15

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 19/08/2014 às 17:35h

     Depois de alimentar por algum tempo o sonho de ter uma câmera GoPro, acabei aproveitando uma oportunidade de pegá-la num preço bacana (usada de uma amiga) e mandei bala. Além do preço alto (aqui no Brasil), o principal motivo pra eu ter adiado a compra por alguns anos foi o fato de não conseguir responder a uma pergunta bem simples: “não sendo eu um esportista ou praticante de nada radical, pra que diabos eu vou usar a GoPro?”.

     Acredito que muitas pessoas, assim como eu, também se fizeram essa pergunta e acharam que seria um péssimo investimento. Confesso que, nos primeiros dias, me vi meio perdido, sem ter onde realmente usá-la. Acabei colocando primeiramente no carro, gravando meus trajetos, pra servir como prova caso eu tomasse uma multa que eu julgasse injusta, sofresse um acidente onde eu precisaria de provas ou até pra capturar alguma improvável situação atípica e engraçada.

     Conforme o tempo foi passado, acabei usando a GoPro em vídeos pro canal (já que ela tem um ângulo de visão muito superior ao de outras câmeras) e especialmente pra documentar momentos em família, como uma ida ao parque, já que meu filho adora uma montanha russa, tobogã e afins. E devo confessar que, por esse ângulo, tem valido cada centavo que paguei nela. Porém, nos últimos tempos, duas coisas vinha me incomodando nela: qualidade das cores (sempre desbotadas) e a tremedeira, por mais que eu tentasse firmar a mão.

     Eu já tinha visto alguns vídeos comparativos no Youtube e as câmeras da concorrência sempre se saiam tão bem (ou até melhor) que a GoPro. Fiquei pensando se a GoPro era realmente boa ou apenas um hype, como Apple, Beats e afins. Eu resolvi pagar pra ver e aproveitei uma promoção na Ricardo Eletro para conferir pessoalmente se realmente valia a pena. E, comprando online, a gente tem sempre o benefício previsto no Código de Defesa do Consumidor: o produto não atendeu as suas expectativas, pode devolver.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
ago 15

Cobertura do lançamento do Novo Ka em Trancoso/ BA

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 15/08/2014 às 20:36h

     Na semana passada fui até a Bahia, a convite da Ford, para testar o Novo Ka e Ka+. Como é de costume, fiz o registro da viagem usando a GoPro e você pode conferir abaixo como foi, desde o início da “aventura”, onde tive que sair de casa às 3h da manhã pra pegar o voo em Ribeirão Preto/ SP, fazer escala em Confins/ MG, depois Porto Seguro/ BA e finalmente de van até o resort Club Med em Trancoso.

     Gostei bastante do carro, que é bonito, espaçoso, confortável, seguro e moderno. Vale notar que o preço (R$ 35.000) não é dos mais baratos, mas bem condizente com a realidade do mercado brasileira. E a Ford fez questão de explicar que não fará como outras montadoras, que anunciam um preço chamativo, pra levar o consumidor até a concessionária e lá o vendedor explica que, aquele carro, na verdade é o básico, frustrando o cliente. Assim, o Novo Ka traz de fábrica o ar condicionado, vidros elétricos na frente e alguns itens que são opcionais em outros carros.

     No vídeo acima você pode ver o release oficial da Ford, que mostra melhor o carro, além de outros detalhes que deixei de fora do meu vídeo, já que não ficaria com a mesma qualidade da equipe de filmagens que estava nos acompanhando.

TAG(s):
Categoria(s): Carro
ago 14

     Essa história já deve ter acontecido contigo ou você já ouviu algum conhecido falar coisa similar. Cansado da sua banda larga obsoleta, o cliente liga pra sua operadora solicitando a migração para um plano superior e ouve “senhor, não temos viabilidade técnica no momento”.

     Geralmente, quem mora em grandes centros, onde a concorrência no setor é feroz, não sofre com isso. Porém, moradores de bairros mais afastados e especialmente quem mora no interior do estado, ouve demais isso. Chega a ser desesperador, pois você vê seus amigos falando que tem internet de 100Mb e você ae se arrastando com meros 2Mb, onde tudo que se faz é aguardar, pacientemente, as coisas carregarem. E, quem como eu, é pai, sabe que paciência não é lá uma das grandes virtudes dos filhos quando querem ver Netflix, Youtube, jogar, etc. Né?

     Não dá pra generalizar e dizer que todas as operadoras são sacanadas, mas vamos fazer um exercício de imaginação. Fulano tem uma internet DSL de 2Mb da operadora fictícia Telecômica e paga R$ 69 por ela. Já o plano de fibra com 100Mb, sai por R$ 89, ou seja, apenas R$ 20 a mais. Qual o interesse comercial de tal operadora em vender um produto 50 vezes mais rápido pra esse consumidor, caso ela não tenha concorrentes na região? Pois bem, é isso que acontece em grande parte do país.

     Um dos motivos mais usados pelas operadoras que não querem migrar o cliente de plano é a tal “inviabilidade técnica”. Porém, quase nunca provam/ explicam exatamente o que isso quer dizer. E, em certos casos, chegamos ao bizarro dos vizinhos terem o serviço, mas o consumidor em questão não. Isso é ilegal?

     Eu conversei com o advogado Robson Edésio da Silva sobre isso e transcrevo abaixo o que conversamos.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
ago 13

Veja como atualizar a Google Play para a nova versão

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 13/08/2014 às 11:23h

     Uma das coisas que odeio no Android é como o Google solta seus updates. Mesmo em dispositivos rodando o Android puro, os updates chegam aos pouco e não seguem nenhuma ordem. Ontem mesmo eu comentei a respeito no Twitter e vi gente comentar que o Moto G já teria a nova loja e o Nexus 5 ainda não. Não dá pra entender!

     Diferente do update do próprio sistema, forçar a atualização da Google Play é bem simples. Basta abrir o app da loja, ir até configurações, sobre e clicar sobre a versão do sistema. Caso ela esteja desatualizada, você receberá um aviso de que ela será atualizada. Alguns minutos depois, basta conferir. Simples e prático.

TAG(s):
Categoria(s): Android
ago 12

Não deixe a VIVO te enganar com as siglas NOR/ MVB

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 12/08/2014 às 14:20h

     Quem acompanha o blog já sentiu que estou numa verdadeira cruzada contra a operadora Vivo já tem algumas semanas. Depois de reclamar direto na operadora, ouvidoria, Reclame Aqui e Anatel, todos sem sucesso, tive que ir ao Procon aqui da cidade, já que o Procon online só funciona em casos de compras e não de serviços.

     Como eu já previa, a atendente entendeu o caso rapidinho, já que basta olhar no extrato e notar o que eu realmente usei (e consta discriminado) e o que a Vivo debitou. Ou seja, usei menos de R$ 5,00 e me cobraram uns R$ 150,00. Uma “pequena diferença”.

     Diferente do acontecido nos outros atendimentos, imediatamente a Vivo se prontificou a devolver o dinheiro. Porém, eu deixei bem claro que só aceitaria se fosse na modalidade NOR e não como bônus, pois já cai nessa pegadinha outras vezes. Por duas vezes a atendente confirmou e vim pra casa com a sensação de dever cumprido.

     Como fiquei mais de 2 horas no Procon (tinha fila), fui almoçar e logo em seguida entrei no site da Vivo pra ver meu saldo. Adivinha? Lançaram o valor acordado como bônus e não como saldo NOR, conforme eu havia insistido que queria. Mas qual a diferença?

     Quando você faz uma recarga, ela entra no saldo NOR (provavelmente abreviação de NORmal, mas é apenas um chute). Esse saldo não se perde. Ele tem data para expirar, mas quando você faz uma recarga, o valor é somado ao anterior. No caso do bônus, não. Quando expira, se perde. Senão usou, já era.

     O mais grave no entanto é a forma de cobrança. Quando você tem um plano, como eu tenho o Vivo Sempre, a tarifa é de R$ 0,06/ min. pra qualquer Vivo no Brasil. Isso é descontado do saldo NOR. Porém, quando você tem saldo bônus, a Vivo, muito esperta, não usa a tarifa do seu plano pra descontar desse saldo. Ela usa a “tarifa cheia” do pré-pago, que é de quase R$ 2/ min. Ou seja, mesmo que eles te devolvam R$ 100 de bônus, isso não dá pra nada.

     Como eu já venho demonstrando a semanas aqui, a Vivo realmente não respeita ninguém. Não respeita os funcionários, o consumidor, o Procon… Agora eu vou ter que perder trabalho de novo pra ir ao Procon ver o que pode ser feito.

     Update 12/08/2014 15:34h => Tentei procurar no Google por isso, mas não achei nada. Dae, conversei com uma fonte que trabalha na operadora e essa me passou o seguinte. MVB é provavelmente uma promoção de alguma recarga que você colocou, 100 minutos pra Vivo. Chama Minutos Vivo Brasil. PCF é a Internet pós franquia. BFC bônus da promoção favorito, vc tinha 1000 minutos para um número Vivo escolhido. PVO é o uso dos 400MB de internet dentro da franquia.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
ago 11

Vivo e a falta de respeito com o consumidor brasileiro

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 11/08/2014 às 14:35h

     Já tem 3 semanas que tento resolver, sem sucesso, um problema com a operadora Vivo. Já contei a história aqui nesse outro post, então não irei me repetir. Pois, diferente da Vivo, eu sei que o seu tempo é importante e não deve ser desperdiçado. Pelo contrário, quero lhe fazer ganhar tempo.

     O episódio mais recente que eu gostaria de compartilhar com vocês ocorreu há alguns minutos. Recebi uma ligação deles e, quando achei que finalmente fôssemos por fim a essa novela, a Vivo novamente me decepciona. Primeiro, a atendente me disse que eles não iriam me fornecer a gravação da chamada telefônica, como eu havia solicitado junto a Anatel. Depois, quando comecei a argumentar sobre isso, desligou o telefone na minha cara, sem cerimônias. Afinal, respeito pra que, né?

     Já ouvi de muitas pessoas: “GG, você adora um processo. Vai ficar ryku com isso”. Como eu também já escrevi aqui no blog, eu percorro, durante semanas, todo um caminho, pra conseguir resolver a reclamação fora da esfera judicial. Começo direto com a operadora, vou pro site Reclame Aqui, ouvidoria da operadora, Anatel, Procon e, não havendo mais o que possa ser feito, Juizado Especial Civil (JEC). Ou seja, não fico rezando pra cair um problema no meu colo, processar a operadora e ficar ryku. É bem o oposto disso. Perco meu tempo e me desgasto correndo atrás de uma solução amigável.

     Quem acha que consumidor que processa empresa, no Brasil, fica ryku, anda vendo muitos filmes e seriados americanos. Lá, talvez, a pessoa até consiga uma grana fazendo isso. Aqui, somos feitos de idiotas. Simples assim. O “simples descumprimento de um contrato”, ou seja, quando a empresa se recusa a fazer o que foi combinado, não gera dano moral. Agora, quando a empresa começa a ser negligente, fazer o consumidor de idiota, como a Vivo vem fazendo, a coisa muda de figura. Mas, mesmo assim, na remota hipótese do juiz entender que realmente cabe dano moral, esse valor chega a uns R$ 5.000,00, quando muito. O que, com certeza, não pesará muito para a empresa, que não se sentirá obrigada a respeitar o consumidor e nada mudará.

     Algumas pessoas argumentam que o Judiciário não dá altas multas pra não estimular o consumidor a querer brigar por qualquer coisa. Eu já acho o oposto. Se as multas fossem altas e a punição severa, as empresas iriam se adequar e não mais iriam fazer os consumidor de idiotas, atendendo as suas demandas logo de cara, evitando assim, que elas chegassem a Justiça. Dessa forma, teríamos muito menos processos se empilhando nos Fóruns e não o contrário.

     Em tempo: o Canal do Otário, deu RT no post sobre a Vivo na semana passada. Resultado: mais de 10.000 views e quase 200 curtidas. Ou seja, ao invés da Vivo investir no pós-venda, não deixando o caso chegar a isso, prefere fazer o consumidor de otário e depois investir bilhões em marketing, pra tentar fortalecer uma marca que ela mesma vem queimando ao longo dos anos.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
ago 11

Evento de lançamento do Novo Ka e Ka+ em Trancoso

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 11/08/2014 às 10:00h

     No final de julho estive em São Paulo, a convite da Ford, para conhecer o Novo Ka e o Novo Ka+ (a versão sedan). Na ocasião, pude conhecer alguns detalhes do novo carro, como o sistema de assistência a emergência Sync, mas não tivemos a chance de fazer um test-drive.

     Dias depois, fui novamente convidado pela Ford para ir a Trancoso/ BA, onde fiquei no maravilhoso Resort Club Med, junto com dezenas de outros jornalistas, inclusive “amigos de internet”, como Nick Ellis, Thiago Mobilon, Professor Maury, Marcio Nel Cimatti, Ricardo Cobra, Guilherme Cury e vááááários outros. Também reencontrei NerdPai, BernaBauer, RichardMaxTech e outros. Foi um evento muito bacana, pois além de ficar num hotel excelente, conheci muitos amigos que só falava na internet.

     Como eu sou n00b em matéria de carro, para não fazer muito feio diante da mídia especializada, acabei fazendo algumas pesquisas na Wikipedia, Webmotors e alguns blogs dos amigos que também estavam no evento. Inclusive, se tiverem algum material adicional a me recomendar, por favor deixem nos comentários. Será muito útil para me aprimorar nesse novo ramo de cobertura do blog.

     Algumas pessoas me perguntaram: “mas GG, você nunca postava sobre carros, por que a Ford lhe chamou?”. Os carros estão com cada vez mais tecnologia embutida. Ficamos cada vez mais tempo no carro, especialmente em virtude do trânsito e não abrimos mão de usar nossos smartphones pra fazer o tempo passar mais rápido. Dae, um geek pode dar bons pitacos nessa área.

     Estou com muito material em vídeo para editar, mas como fiquei quase toda a semana passada fora, muito trabalho acumulou e não consegui fazer a edição de tudo. Fiz um pequeno teaser do test-drive,que está no topo desse post, pra vocês terem uma ideia de como foi a “bagunça”. Também tem um outro vídeo do hotel, pra quem tiver curioso.

TAG(s):
Categoria(s): Carro
preload preload preload