dez 10

Top 5 jogos online

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 10/12/2014 às 08:44h

     Hoje em dia são centenas de jogos online que os jogadores têm á sua disposição, no entanto apenas alguns conseguem atingir um sucesso á escala mundial.

     Neste artigo iremos falar sobre 5 jogos online que nos últimos anos conseguiram chegar a milhões de jogadores por todo o mundo, entre eles o World of Warcraft, o Age of Empires, o Travian, o Need for Speed World e alguns jogos de slot machines que os jogadores podem jogar em casinos online.

     World of warcraft – Este jogo que está a completar este ano 10 anos, é um jogo em que os jogadores podem jogar online e que consiste em desvendar mistérios, um jogo com muita magia, aventuras e diversão. Neste jogo os utilizadores tem a possibilidade de poder jogar em massa, ou seja em conjunto com outros utilizadores do mundo todo. No World of Warcraft os jogadores tem ainda a possibilidade de criar a sua personagem e de decidir qual a raça e a classe que irão pertencer, esta escolhas irão ser muito importantes no decorrer do jogo.

     Destacar apenas que desde o ano de 2004, este jogo já conta com cinco jogos diferentes, e tem um registo de cerca de 100 milhões de utilizadores e é jogado em cerca de 244 países.

     Age of Empires Online – Este é um dos jogos mais conhecidos da Microsoft, no entanto a empresa norte-americana decidiu fazer uma versão do jogo online para agrado dos fãs de Age of Empires em todo o mundo.

     Nesta nova versão do jogo em que é possível jogar online e de forma gratuita os jogadores apenas irão precisar de ter uma conta Windows Live Game.

     Neste jogo de estratégia online a Microsoft introduziu quatro civilizações:
-Egípcios
-Persas
-Gregos
-Celtas

     Travian – Este que é outro jogo de estratégia é jogado também por milhares de pessoas em todo o mundo, neste jogo também não é necessário fazer download e poderá jogar de forma gratuita.

     No Travian um dos principais objectivos é a construção de uma aldeia forte e de um exército grande e forte para assim conseguir travar batalhas com outros jogadores reais e com as suas conquistas ir evoluindo no jogo.

     Need for Speed World – Este é provavelmente um dos jogos de carros mais conhecidos e jogados em todo o mundo. A Electronic Arts, empresa que criou este jogo, decidiu criar o Need for Speed World, um jogo online e completamente gratuito para brindar os fãs do jogo.

     Neste jogo repleto de aventura e adrenalina os jogadores tem opção de correrem contra quem quiserem.

     Referir apenas, que apesar do jogo ser gratuito, o Need for Speed World apresenta gráficos de muita qualidade.

     Por ultimo irei falar sobre alguns jogos de casino online, nomeadamente as slots machines, estes jogos para alem de entreterem dão ainda a possibilidade de ganhar algum dinheiro, ou então se preferir jogar grátis, irá passar um bom bocado também.

     São centenas de slots machines online que podemos encontrar nos dias de hoje, referentes a filmes, a desportos, a figuras públicas, a desenhos animados, entre outros, a escolha é realmente enorme. E o mais interessante é que com uma aposta baixa poderá gerar grandes lucros, basta apenas um pouco de técnica e de sorte.

     Vou só deixar aqui o nome de algumas slots machines relacionados com desporto, para quem gosta de futebol, ténis, boxe o hóquei no gelo:
– Slot machine Top Trumps World Football Stars
– Slot machine Tennis Stars
– Slot machine Rocky
– Slot machine Ice Hockey

TAG(s):
Categoria(s): Geral
dez 08

Finalmente: habemus internet via fibra óptica em casa

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 08/12/2014 às 15:40h

     E a saga da minha internet via fibra óptica em casa vai chegando ao fim. Hoje o pessoal da Process finalmente ativou a nova conexão, depois de longos meses tentando via email, telefone, Procon, Juizado Especial Civil, audiência, etc. Como diz o ditado: “antes tarde, do que nunca”. Não é mesmo, Vivo?*

     No final do mês passado, durante a audiência de conciliação, o dono do provedor havia me pedido 90 dias de prazo pra instalar. Por fim, depois de muita negociação, baixou pra 30. Porém, me prometeu que antes disso, não mediria esforços pra instalar antes. Dito e feito. Até eu fiquei surpreso.

     Na semana passada o pessoal da Process veio logo na manhã da segunda-feira fazer a instalação. Conversando com eles, achei melhor adiar por mais alguns dias e refazer a minha tubulação. Não apenas pela fibra, mas porque já faz tempo que queria por a fiação certinha. Ae aproveitei o embalo e coloquei a mão no bolso. A “brincadeira” toda ficou em quase R$ 3.000 (mão de obra e material).

     E se você está se perguntando como eu consegui gastar tudo isso pra passar uma tubulação, veja o vídeo acima pra entender o que eu fiz. Como já iria gastar quase 5 dias inteiro de pedreiro, a diferença entre passar uma tubulação de 2cm ou 10cm seria quase a mesma. Assim, já apelei pra um “grosso calibre” e, em breve (assim que eu terminar de pagar os R$ 3.000), vou passar os cabos de telefone, câmeras e rede dentro da nova tubulação.

     Caso você não tenha entendido o * no primeiro parágrafo, quando mencionei a Vivo, é porque eles também venderam fibra óptica (muito mais barata que essa inclusive), eu já tenho decisão favorável em primeira instância, mas eles ainda não vieram instalar, mesmo com multa diária.

     Não poderia deixar de agradecer novamente ao meu advogado, Dr. Robson Edésio da Silva, que se empenhou em resolver, não apenas o caso da Process, como também o da Vivo. Se tiverem algum problema envolvendo empresas de Telecom, consulte-o.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 27

     No começo do mês a Netshoes fez um pequeno evento em São Paulo (o qual não fomos convidados – obrigado) para anunciar alguns novos produtos que, a princípio, me pareceram bem bacanas. Eram eles: uma smartband (pulseira), uma balança com conectividade e um monitor cardíaco bluetooth.

     Fiquei bem empolgado com os produtos anunciados pois os preços eram bem agressivos para o mercado nacional. Afinal, existem dezenas de produtos similares, de marcas consagradas, mas custando muito mais caro. E, logo que os produtos surgirem em pré-venda no site, corri pra comprar, na intenção de dar de presente de natal para meus pais e, claro, também resenhá-los.

     Os produtos começaram a ser despachados no dia 20/11 e chegaram pra mim uns 5 dias depois. Achei curioso que, quando fui na Google Play baixar o app necessário para integrar aos dispositivos, já haviam depoimentos dando 5 estrelas pro app, mas com data de 16/11, 17/11, etc. Ou seja, antes dos produtos serem oficialmente despachados. Como isso é possível? Estranho.

     Conforme dá pra ver muito bem no vídeo, eu fiquei completamente desapontado com ambos os produtos, a começar pelo app, que sequer conseguir completar a etapa de cadastro, conforme mostro nesse outro vídeo. Por sorte, essa madrugada saiu um update e ao menos isso eu consegui fazer.

     Eu vi relatos de que a versão do app para iOS tem mais recursos e funciona melhor. Todavia, se na caixa do produto diz que ele funciona em Android, é obrigação funcionar, senão configura propaganda enganosa. E, conforme eu mostro no vídeo, o app para plataforma do Google é precário.

     Por sorte, eu sou curioso e resolvi testar os produtos antes de embalar e dar pros meus pais. Imaginem a frustração que não seria se eu chegasse a dar esses dois micos de presentes pra eles. Acredito que a Netshoes meteu os pés pelas mãos, não se planejou adequadamente, quis colocar o produto no mercado antes dele estar devidamente testado e isso vem causando um enorme transtorno aos clientes.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
nov 26

     Há alguns meses eu vi alguém (desculpa a falta de crédito, mas sinceramente não lembro quem foi) mencionar no Twitter a NuBank, uma empresa de cartão de crédito um tanto diferente das tradicionais. Na ocasião, nem me interessei muito, mas como vi cada vez mais gente falando sobre o assunto, fui pesquisar a respeito. Apesar de já estar usando há 2 meses e já ter feito alguns comentários nas redes sociais, cada vez mais gente me pergunta sobre isso e resolvi centralizar aqui minhas impressões.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Uma das reclamações mais frequentes sobre cartão de crédito é a famigerada anuidade. Muitos recorrem ao artifício de ligar pra administradora, ameaçando cancelar e, às vezes, conseguem a isenção da taxas. Outras, a artimanha não surte o efeito desejado e a pessoa acaba perdendo o cartão. Por isso, a NuBank já larga na frente, porque eles não cobram anuidade e nem nenhuma outra taxa oculta, escondida em letras miúdos do contrato. Pode ficar tranquilo com isso.

     Supondo que você já não paga anuidade, que outras vantagens a NuBank traria pra você? O cartão deles é da bandeira MasterCard, na modalidade Platinum, ou seja, é recheada de benefícios e exclusividades, coisas que geralmente só são oferecidos a quem tem uma movimentação bastante elevada. Ou seja, com esse cartão, você fará parte de um seleto grupo, mesmo gastando apenas seus R$ 100,00 por mês. Aliás, isso foi apenas um exemplo. Você não é obrigado a gastar nada por mês, como acontece em outros tipos de cartão que só isentam o cliente que faz X transações por semana.

     Caso você já tenha um cartão Platinum e não pague anuidade, não tem vantagem alguma pedir o cartão NuBank, correto? Errado! O sistema da empresa é bem transparente e permite que você acompanhe seus gastos, em tempo real, tanto pelo smartphone, tablet ou computador. Além de ser avisado na hora sobre qualquer movimentação, você pode conferir detalhes dessa movimentação no app ou no site. É realmente bem interessante! Eu poderia colocar aqui uns screenshots das minhas transações, mas teriam que esconder vários números, então prefiro que você veja esses exemplos direto no site deles.

     Como extra, posso falar a respeito dos “falsos positivos”, ou seja, quando a operadora recusa uma operação achando que é fraude, ou seja, que não é você quem está usando o cartão. Quem me acompanha no Twitter sabe que vivo tendo esse tipo de problema com meu cartão HSBC VISA. Com o NuBank, nunca tive isso. Inclusive, recentemente fui comprar os presentes de natal dos meus pais na Netshoes e tentei passar pelo HSBC. Demorou horas e recusou. Em seguida, fiz a mesma compra usando o NuBank e em 2 minutos apareceu aprovado.

     Se o NuBank é realmente tudo isso, por que eu ainda insisto em usar outro cartão? Pois, infelizmente, ainda não existe um programa de milhas. Ou seja, as compras que eu faço, não me geram pontos pra trocar por coisas, como passagens aéreas e, no meu cartão antigo, sim. De acordo com o pessoal da empresa, em breve, eles terão um programa de bonificações também. Mas por enquanto, nada.

     Esse post tem toda a pinta de ser um publieditorial, né? Mas te garanto que não. Eu apenas gosto de compartilhar quando vejo algo realmente bacana e que os leitores vão gostar. E, como o NuBank ainda está numa fase beta, funcionando apenas com convites, eu consegui 10 pra sortear entre os leitores. Deixe seu comentário no post, dizendo porque quer o convite e, os mais criativos, vão levar.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 26

Finalmente terei fibra óptica em casa: na marra, de novo

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 26/11/2014 às 11:32h

     Em teoria, são as empresas que se movimentam em ir atrás dos clientes, contratando vendedores, que ficam nos ligando, mandando SMS, batendo em nossas portas, etc., correto? Então imagina a minha frustração em ter que percorrer uma via crucis pra simplesmente conseguir ter acesso a algo que eu comprei, fazendo a empresa honrar o contrato celebrado anteriormente.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Há alguns dias escrevi aqui que a Vivo perdeu o processo que eu movi contra ela, sendo que o juiz a obrigou a instalar a fibra óptica que haviam me vendido, além de impor uma multa diária de R$ 200,00 para forçar com que cumpram a ordem judicial o quanto antes.

     Quem é leitor do blog já sabe da história toda, como o fato deu também estar processando minha atual provedora de internet (vídeo aqui) pelo mesmo problema: me venderam a fibra óptica e depois quiseram pular fora da obrigação contratual. Tentei várias vezes falar direto com eles, usei Reclame Aqui, Procon e finalmente Juizado Especial Civil (JEC). Ontem foi nossa audiência de conciliação.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Como eu já havia tentando de um tudo pra conseguir me entender com a empresa e eles praticamente me ignoraram, eu até achei que nem iria a audiência. Não apenas foram, como o próprio dono também compareceu e sua presença foi definitivamente para conseguirmos resolver o problema ali mesmo.

     Evidente que eu quero (e preciso) de uma internet melhor em casa, mas o motivo principal que entrei com a ação foi a tremenda falta de respeito que senti da empresa e isso eu não tolero. Como cidadãos, temos inúmeras obrigações, mas também temos direitos. Eu não aceito ser tratado como cidadão de segunda categoria. E você, também não deveria aceitar. Assim, reitero aqui o que sempre digo: corra atrás dos seus direitos, por mais que isso lhe tome tempo e, algumas vezes, até um pouco de dinheiro.

     Para os mais curiosos, vou contar um pouco sobre a audiência, já que muitos não tem experiência com JEC, conciliação, etc. Geralmente, o juiz tenta marcar uma audiência de conciliação no CEJUSC, onde um mediador (e não um juiz) acompanha a sessão, tentando fazer com que os lados se entendam. Eu já realizei algumas audiências onde não houveram acordo e, pela primeira vez, houve acordo.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Eu estava muito disposto a não fazer o acordo, pois queria saber o que o juiz iria decidir no caso. Como o caso da Vivo era bem parecido, a probabilidade dele me dar ganho de causa, era alta. Porém, o dono da empresa chegou com uma proposta de acordo bem ruim e foi melhorando até chegarmos num ponto comum. Ele abriu mão de algumas coisas e eu idem. Por exemplo, não vou pleitear indenização alguma. E isso seria justo, pois tive custos com advogado, tempo perdido, aborrecimento, etc. E ele fará o investimento necessário (que não é pouco) pra fazer a fibra chegar até minha casa. Inclusive, ele me pediu inicialmente um prazo de 90 dias e conseguimos baixar isso pra 30 ou menos. Ou seja, os 2 lados tiveram que abrir mão de algo que queria pra chegar num entendimento.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 16

Como atualizar o Nexus 4 para o Android 5 Lollipop

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/11/2014 às 22:51h

      Depois de muito tempo atualizando o Android 4.X, o Google finalmente liberou os códigos-fontes do Android 5 (Lollipop). Porém, como já é de costume, apenas alguns felizardos receberam o update OTA (Over The Air). Ou seja, a enorme maioria ainda espera o update sem fazer nada. Mas não tem como agilizar isso? Tem!

      Nesse link você tem acesso a várias imagens dos aparelhos da linha Nexus. Entre eles, o Nexus 5 e o Nexus 4. O procedimento é basicamente o mesmo para todos os Nexus, devendo-se trocar apenas os arquivos específico de cada um. Eu testei em ambos (Nexus 4 e Nexus 5).

      Não vou explicar o passo a passo de como realizar o procedimento. Mas em resumo, você deve ter o SDK do Android na sua máquina (é uma tarefa extremamente simples, bastando baixar e descompactar num local da sua escolha). Depois, baixe o arquivo do Android específico para seu dispositivo, descompacte-o e jogue os arquivos dentro da pasta Android/SDK/platform-tools/.

      Certifique-se que o seu aparelho esteja com o modo depuração USB ativo. Caso não esteja, ative antes de começar a digitar os procedimentos, senão não irá funcionar. Não sabe como? Primeiro ative o modo desenvolvedor. Aliás: por esse método, você irá perder tudo, ou seja, faça backup (caso ainda não tenha).

      Conecte seu dispositivo ao cabo microUSB no computador, abra um terminal (CMD ou similar), vá até a pasta platform-tools e execute o comando “./adb reboot bootloader”. Isso fará o seu smartphone reiniciar e ir para uma tela com um robô verde. Depois, digite “./fastboot oem unlock”. Em seguida, vamos começar a enviar os arquivos do novo Android para o seu gadget.

      Digite “./fastboot flash bootloader bootloader-mako-makoz30f.img” e em seguida “./fastboot reboot-bootloader”. Ele vai dar um breve reboot e em seguida digite “fastboot flash radio radio-mako-m9615a-cefwmazm-2.0.1701.04.img” e novamente “./fastboot reboot-bootloader”. Por fim, digite “./fastboot -w update image-occam-lrx21t.zip” para concluir.

      Como dito anteriormente, fiz esse procedimento nos meus Nexus 4 e Nexus 5 e funcionou perfeitamente. Mas, caso você não queira ter o aparelho zerado, tem alguns hacks para o processo ser mais próximo do update e não da formatação. Porém, exige fazer root e usar algumas outras ferramentas.

TAG(s):
Categoria(s): Android
nov 12

Um juiz que deveria ser exemplo aos seus pares

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 12/11/2014 às 14:24h

     Apesar do foco principal do blog ser tecnologia, nunca me furtei o direito de abordar outros assuntos que acho relevantes aos leitores. Quem me conhece sabe que sou um daqueles “clientes chatos” que sempre exigem seus direitos e incentivo que leitores, amigos e até desconhecidos sigam por esse caminho, mesmo sabendo que muitos magistrados vivam numa realidade muito distante do nosso e nem sempre são sensíveis ao que a população pede.

     Recentemente vimos o absurdo caso de uma agente de trânsito que, no cumprimento do seu dever, multou um juiz que estava sem documentos e sem placas no veículo, mas foi processada por ele. O caso ganhou repercussão nacional e vimos que não foi um algo isolado, pois o mesmo juiz cometeu o mesmo erro outras vezes, além de estar envolvido em outras denúncias quando era titular do juizado de Búzios.

     Outra notícia que tivemos que engolir a seco recentemente foi o fato dos juízes, que já tem um salário bem expressivo (em torno de R$ 20.000) serem contemplados com um auxílio moradia de R$ 4.300, quando muitos brasileiros tem que viver com um salário mínimo de menos de R$ 800 e rebolar pra dar conta do aluguel, saúde, alimentação, educação, vestuário, lazer e todo o resto.

     No começo de outubro eu citei aqui no blog o Dr. Gil Messias Fleming como sendo um exemplo de juiz. Hoje, vou falar do Dr. Fernando Antônio de Lima, um jovem juiz do Juizado Especil Cível, Criminal e da Fazenda Pública que atualmente está em Jales/ SP, minha cidade natal.

     Talvez você não lembre dele, mas vai lembrar de uma de suas decisões, quando ele foi o único juiz (que tenho conhecimento), a ter culhões de condenar a TIM a uma multa de R$ 5 milhões quando a mesma foi pega derrubando propositalmente as ligações dos clientes do plano Infinity. Mas essa não foi a única decisão que chama a atenção na carreira dele. Como meus pais ainda moram em Jales, eles sempre me contam como o juiz é adorado e respeitado pela população.

     Eu sou defensor da tese que a empresas só mudam de postura quando são ameaçadas financeiramente. Ou seja, se uma postura traz malefício ao consumidor, mas lucro a empresa, foda-se o consumidor. E, infelizmente, a grande maioria dos juízes brasileiros, entende que uma multa de R$ 5.000 numa multinacional que fatura bilhões, é o suficiente como punição. Ora, só sendo muito ingênuo para crer que uma Telefonica vai passar a respeitar o consumidor porque foi multada num valor tão inexpressivo.

     Assim como o Dr. Gil Messias, o Dr. Fernando também é defensor da mesma linha de pensamento que eu. Pra eles, o consumidor deve ser respeitado e a melhor forma de mudar esse cenário é fazendo o bolso das empresas pesarem.

     Eu sempre digo que não adianta apenas reclamar nas redes sociais e ficar por isso mesmo. Fiz até um post explicando como fazer para reclamar da maneira certa. Em resumo: tente diretamente com a empresa, depois nas agências regulatórias (se for o caso), Procon e, ae sim, caso nada disso resolva, procure o judiciário. Claro que você vai perder mais tempo, mas é o caminho correto.

     Recentemente um consumidor comprou um produto numa loja e o mesmo apresentou problema. Ele fez tudo isso que eu recomendo e nada resolveu. Ao recorrer ao Juizado Especial Civil (JEC), o Dr. Fernando arbitrou em R$ 10.000 a multa, já que ficou claro o pouco caso da empresa em resolver a questão, mesmo tendo sido procurada por diversas vezes.

     O Brasil também é bem conhecido pelas tais “leis que não pegam”. Ou seja, é lei, mas ninguém cumpre. Talvez uma das mais famosas seja a que determina o tempo máximo que o consumidor pode ficar aguardando na fila do banco. Em outra decisão do Dr. Fernando, ele condenou a CEF por ter deixado um cliente aguardando por mais de 3 horas na fila. E sabe aqueles engraçadinhos que insistem em andar com som alto no carro ou empinando motos? Pois bem, lá em Jales, eles perdem o veículo se forem pegos nessa atitude.

     Por fim, numa palestra emocionando que o Dr. Fernando deu na OAB, ficou bem claro o tipo de pessoa que ele é. Com certeza, um exemplo a ser seguido pelos seus pares, que se acham numa categoria de cidadão acima dos demais.

     Update 12/11/2014 15:40h => Achei outra decisão interessante. Dessa vez, contra o Facebook, obrigando-as a remover comentários de baixo calão numa página, onde os usuários não pensaram duas vezes antes de baixar o nível nos comentários.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 06

Um convite sincero ao amigo internauta: me dê unfollow

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 06/11/2014 às 21:01h

     Esse talvez não seja o canal mais adequado pra esse tipo de postagem, mas como eu não tenho outro blog, tumblr, Facebook e afins, vai aqui mesmo. E quem achar ruim ter um post desse tipo entre dezenas de outros de tecnologia, aceite também o convite que irei propor. É sincero e de coração.

     Acredito que muitos leitores do blog, espectadores do canal e seguidores do Twitter talvez não saibam, mas eu não vivo de produzir conteúdo pra internet. Faço como um hobby. É algo que eu gosto e me relaxa. Assim, quando não tô afim, simplesmente não faço. Também não abordo assuntos da moda, que eu não curto, apenas porque dá audiência. A regra é: gosto, publico. Não gosto, caguei.

     Cresci num lar onde política sempre foi um assunto presente. Meu pai já exerceu alguns cargos e desde cedo eu ia pra palanque, pra rua fazer campanha, pra palácio de governo acompanhar meu pai a “mendigar verba” em convênios, etc. Vez ou outra recebíamos um Sarney, Michel Temer, Covas, Quércia, Fleury e afins em casa. Ou seja, eu sempre me interessei pelo assunto, apesar de não falar tanto sobre ele. Isso não virou uma obsessão de uma hora pra outra.

     Nas últimas semanas eu comecei a falar mais de política em meu perfil do Twitter, especialmente mostrando fatos que julgo relevantes pra nossa economia, já que muitos imaginam que o país anda bem pra caralho. Ou então, até desconfiam que as coisas não andam bem, mas resolvem ignorar, porque “política é um assunto chato”. Pode ser chato, pode não ser do seu interesse, mas afeta diretamente sua vida. Quer ver uma pequena amostra?

     A qualidade das escolas públicas, a qualidade da saúde, da segurança, do transporte e mais uma infinidade de coisas, depende de políticos. Se eles acertam ou fazem cagada, quem paga o preço somos todos nós, pagadores de impostos que vivemos no país. Se a qualidade da sua internet tá ruim, é por culpa deles, já que a agência reguladora é fraca e não consegue exercer seu papel, seja pelo pouco poder legal que tem (pra impor multas e sanções), seja porque o governo contigencia verbas (impostos que nós pagamos pra essa finalidade e o governo aloca pra outras) e ela não consegue ter tantos funcionários quanto precisaria.

     Não vou fazer um post gigantesco, enumerando em detalhes o quanto política é importante. Se você até hoje não entendeu, não sou eu quem vai fazê-lo entender em algumas linhas. A única coisa que peço é respeitar o meu direito de falar o que eu achar que devo no meu perfil do Twitter. Se não está interessante, se está chato, se não está curtindo, basta apertar um botãozinho e tudo se resolve. Talvez, num futuro, eu até fale menos de política, como era antes. Mas, no momento, eu quero falar sobre isso e tenho esse direito. Assim como você tem o direito de não gostar e parar de seguir. Não vou ficar chateado, inclusive com amigos, já que acho que o fato de seguir ou não alguém, não tem a ver com amizade e sim com interesse pelo conteúdo.

     Se eu te mandei esse link no Twitter, logo depois de você ter “reclamado” que gostava mais do perfil como era antes, saiba que não estou desprezando sua opinião. Só acho que o meu direito de fazer o que acredito está acima do seu direito em querer pautar o meu conteúdo e, acima de tudo, lutar pelo que acho certo para os meus filhos, pra mim e para o meu país.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 06

Amazon Echo: mais um passo em busca da casa inteligente

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 06/11/2014 às 15:28h

     Muitas empresas estão investindo milhões em pesquisas pra conseguir deixar nossos lares mais “inteligentes”. O Google talvez seja a empresa mais empenhada nessa tarefa, mas a novidade de hoje não veio dela e sim de outra gigante da nuvem: a Amazon.

     O Amazon Echo ainda não está a venda e parece um daqueles produtos do Kickstarter que ainda vão levar anos para sair do papel. O vídeo acima mostra várias interações com o gadget, nos dando várias ideias de como ele seria útil em diversas situações do dia-a-dia, como responder dúvidas, programar lembretes, etc. Tudo com o uso da voz, sem ter que apertar nenhum botão.

     Pra quem não sabe, assim como outras empresas, a Amazon é dona de um banco de dados gigantesco, bem como um poder computacional cavalar, uma vez que é dona do serviço AWS de nuvem. O sistema do Echo parece fazer uso de todo esse poder para ir aprendendo e melhorando diariamente.

     Quem tem um Moto X, sabe como é bacana ter um dispositivo “sempre lhe escutando”, sem precisar apertar nenhum botão para disparar o recurso. Porém, muitas vezes estamos com o smartphone no bolso e a funcionalidade não é como deveria. Para tal, o Echo tem um engenhoso sistema de captação de som, formato por 7 microfones, distribuído pelo corpo do dispositivo.

     O aparelho irá custar USD 199 (USD 99 pra quem tiver Amazon Prime) e ainda está disponível apenas com convite. Não foram dadas maiores informações, mas provavelmente ele só irá funcionar bem nos Estados Unidos, que é o foco da empresa. Ou seja, você pode até comprar o Echo e usar no Brasil (assim como acontece com o telefone, tablet e player multimídia deles), mas o uso será bem menos encantador que na terra do Obama.

TAG(s):
Categoria(s): Android
nov 05

Motorola anuncia seu novo topo de linha: Moto Maxx

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/11/2014 às 13:01h

     Hoje cedo estivemos em São Paulo para a coletiva da Motorola, onde nos foi apresentado oficialmente o novo topo de linha da empresa, o Moto Maxx. Nosso colaborador Henrique Cunha pode brincar um pouco com o aparelho e, mesmo sendo um fã da Apple, gostou do que viu.

     Na semana passada a Motorola já havia apresentado um aparelho bem similar nos Estados Unidos, sob a marca de Droid Turbo. Como a marca é licenciada pela operadora Verizon, a Motorola não pode criar uma marca global para o aparelho, assim como fez com o Moto X, Moto G e Moto E.

     Apesar do Moto X ser um aparelho bem poderoso, muitos ainda sentiam falta de um aparelho realmente topo de linha da Motorola e essa lacuna foi preenchida com o Moto Maxx. As configurações impressionam. O smartphone vem com CPU Qualcomm Snapdragon 805 (4x 2.7GHz), 3GB de RAM, tela de 5.2” Quad HD (565 ppi), 21MP de câmera traseira e 64GB de espaço interno (52GB disponíveis pro usuário). Além de especificações impressionantes, o acabamento do aparelho consegue ser ainda mais surpreendente que o Moto X, possuindo um nanorevistimento de nylon balístico e kevlar.

     No final do mês passado, quando o aparelho “vazou” nos EUA, eu fiz algumas conjecturas sobre o valor dele aqui no Brasil. Sendo bem otimista: R$ 1.799. Realista: R$ 1.999. Pessimista: R$ 2.299. Ele acabou chegando por R$ 2.199, mas com várias promoções a R$ 1.999 parcelado ou pouco mais de R$ 1.700 à vista. Não é barato, mas pelo baita aparelho que é, tem um custo x benefício interessante.

     Eu sempre tive aparelho com cartão microSD de 64GB, pois não gosto de ficar controlando muito meus documentos, fotos, vídeos, cache de músicas do Spotify, podcast e afins. Quando resolvi abandonar aparelhos com microSD, adotando o Nexus 5 e o Moto X como aparelhos principais, penei um pouco pra me adaptar. Consegui sobreviver, fazendo algumas concessões (especialmente alguns jogos, que atingem quase 2GB), mas ainda sinto falta do cartão. É realmente uma pena a Motorola deixar isso de fora mesmo no aparelho topo de linha. Eu sei que isso é tendência e vários fabricantes vem retirando essa opção, mas o usuário perde muito com essa decisão, que era uma das vantagens da plataforma Android em relação a Apple, que costuma cobrar uma diferença de USD 100 pra cada “degrau de espaço extra”.

     Apesar do Moto Maxx ter um revestimento repelente a líquidos, ele não possui a certificação IP67, como o Sony Xperia Z2 e o Samsung Galaxy S5. Ou seja, ele não é a prova d’água. Pode parecer uma bobagem, mas depois que se tem um aparelho com essa característica, é complicado abrir mão dela, especialmente se você curte uma piscina. E, caso você não saiba, 25% dos problemas envolvendo smartphones tem relação com líquidos. Ou seja, um aparelho com essas características pode te salvar de algumas enrascadas.

     Outra coisa que decepcionou é que o Moto Maxx, diferente do Moto X, não está sempre lhe ouvindo. Ou seja, nada de “Ok Google Now” pra executar suas ordens. O aparelho é dotado de várias “funções inteligentes” do Moto X, mas essa em especial, não. Não consegui entender o motivo e me desagradou.

     Uma das melhores característica do gadget no entanto é sua bateria de longa duração. Segundo a fabricante, ela tem autonomia de 40 horas de uso moderado, ou seja, quase 2 dias sem precisar recarregar. E, caso necessite, em apenas 15 minutos na tomada, ele já está apto a mais 6hs de uso. Bacana, né? Mas eu ainda gostaria de uma recarga sem fio, coisa que aparelhos da Nokia já trazem há alguns anos.

     Estou com um boleto aqui do Moto Maxx, com um excelente preço (R$ 1.734 no Ricardo Eletro), mas ainda estou na dúvida se devo pagá-lo. É claro que o Moto Maxx é um ótimo aparelho, mas como o Moto X está dando conta do recado e tem esses “fatores ruins” que listei acima, não sei se vale a pena essa troca. Se eu resolvesse vender o Moto X, iria pegar uns R$ 1.000 nele (já que existem promoções dele novo por R$ 1.250). Ou seja, “perderia” quase R$ 750 nessa brincadeira.

     Update 06/11/2014 13:44h => Escrevi ontem que o Moto Maxx não teria o recurso de estar sempre ouvindo o usuário. Havia lido em algum review gringo do Droid Turbo que o celular não teria esse recurso. Porém, os leitores deixaram nos comentários que ele tem sim o recurso. Entramos em contato com a assessoria da Motorola e também com o Paulo Higa, do Tecnoblog, que já está com o aparelho e ambos confirmaram que realmente existe o recurso. Ou seja, menos um motivo pra eu deixar de comprar o Moto Maxx. Vou acabar pagando o boleto.

TAG(s):
Categoria(s): Android
preload preload preload