set22

     Comentei várias vezes no YouTube e no Twitter que usei a operadora T-Mobile (como de costume) quando viajei para os Estados Unidos, mas ainda não havia feito um post a respeito. E, como muitas pessoas que vão viajar, acabam pesquisando aqui no blog sobre isso, vou deixar documentado algumas informações úteis para turistas brasileiros viajando para os Estados Unidos.

     Antes de mais nada, por que eu optei pela T-Mobile e não Sprint, Verizon, MetroPC, etc.? Primeiro de tudo, porque ela trabalha com a tecnologia GSM e funciona nos meus aparelhos. Ou seja, não adianta você ficar procurando planos em operadoras que usam tecnologia CDMA (sim, nos Estados Unidos ainda tem essa coisa) senão pretende comprar um dispositivo compatível. Parto do princípio que você vai querer usar no seu próprio telefone ou hotspot e a T-Mobile é uma das compatíveis.

     Aproveito para comentar que muitos brasileiros, abusando de um mecanismo conhecido como return (poder devolver facilmente um produto que não gostou, mesmo vários dias depois da compra), acabam comprando roteadores móveis (Mi-Fi), telefones e afins para usar durante o período que irão ficar no país e depois o devolvem. Eu realmente não recomendo ou incentivo a prática, mas… Achei que valia a pena comentar um pouco sobre isso, pois tenho certeza que deixaram isso nos comentários.

     Como em outros anos eu já usei AT&T, T-Mobile e Clear (uma operadora que usava a rede da Sprint, mas já morreu), não vi muita diferença de cobertura entre as operadoras. Tem locais onde uma é melhor que outra, mas no geral, especialmente pra turistas, que ficam zanzando o tempo todo, não existe uma diferença gritante entre uma e outra. Mas lembrem-se que minha experiência é restrita a Nova Iorque, ou seja, se você vai pra outra cidade americana, vale dar uma conferida no mapa de cobertura da operadora e ver se, pelo menos, ela oferece LTE por lá.

     Falando em LTE, esse é o “4G real” dos americanos. Quando aparecer 4G no seu aparelho, na verdade não é como o 4G do Brasil. O 4G americano refere-se ao que nós conhecemos como 3G+ ou 3G Plus, dependendo da operadora. Assim, se você quiser ter a experiência de usar uma internet móvel bacana, tem que ser LTE. Na minha experiência, sempre que caia de LTE pra 4G, ficava bem ruim. A latência aumentava muito e o uso ficava comprometido, especialmente no FaceTime, que usava muito pra falar com meus filhos.

     Para comprar o chip numa loja da T-Mobile basta levar o passaporte, seu telefone e dinheiro ou cartão para a compra. Não tem muita complicação. Se a loja não estiver lotada, em 10 minutos você sai de lá com tudo funcionando, como foi o meu caso. Lembrando que, se o seu aparelho for bloqueado (dificilmente será, pois as operadoras brasileiras não fazem mais isso, seguindo regulamentação da Anatel) não vai funcionar.

     Eu optei por um plano pré-pago (turistas só podem comprar esse plano) de USD 80 com tudo ilimitado: internet LTE, voz e SMS (pros Estados Unidos). Ainda tinha 7GB de tethering, ou seja, podia compartilhar a internet com outros dispositivos, como computador, tablet, celular, etc. Caso queira falar com o Brasil, tem um pacote de USD 10 pra colocar em cima do plano.

     Diferente do que acontece no Brasil, ilimitado na T-Mobile é realmente ilimitado. Eu usei mais de 60GB do meu plano de dados e não tive a velocidade reduzida ou a internet cortada. Inclusive, algumas operadoras que vendiam planos ilimitados começaram a reduzir a velocidade depois de uma determinada quantia de uso e tomaram uma senhora multa da FCC (o equivalente a Anatel americana). Ou seja, isso não vai acontecer novamente tão cedo. Se a propaganda diz ilimitado, pode confiar.

     Como eu fiquei praticamente um mês em Nova Iorque, esse plano de USD 80 foi o que melhor atendeu ao que eu procurava. Mas claro, nem todo mundo vai ficar esse tempo todo e menos ainda, usar mais de 60GB de internet. Assim, vamos dar uma olhada em outros planos disponíveis.

     No passado, eu usava um plano da T-Mobile que custava USD 3 por dia. Nesse plano eu tinha ligações, SMS e internet ilimitada. Porém, eram 200MB como LTE e depois caia pra EDGE (sim, pior que 3G). Pra um usuário médio, esse plano era razoável. Mas ele parou de ser comercializado recentemente. No lugar dele, entrou um de USD 3 por mês, mas a internet é contratada a parte, a partir de USD 5 por dia (500MB de LTE), USD 10 por semana (1GB de LTE) ou USD 30 por mês (3GB de LTE). Se você vai ficar uma semana, com USD 18 (USD 3 do plano + USD 10 da internet), você resolve seu problema. Eu recomendo muito que não se fique sem internet no celular, dependendo apenas de Wi-Fi.

     Caso você goste de viajar para os Estados Unidos, pode trazer o seu chip e mantê-lo para uma viagem futura. A empresa mantém o chip ativo por até 180 dias. Depois disso, você pode fazer uma recarga via site (aceita cartão internacional e o mínimo são USD 10) pra revalidar o chip. Eles vão debitar os USD 3 do plano mensal e, esgotado o crédito, vão manter ativo por mais 180 dias.

     Os planos pós-pagos da T-Mobile são muito bons e contemplam inclusive roaming internacional gratuito para vários países. O plano de USD 80, por exemplo, permite incluir até 5 familiares desfrutando dos benefícios do plano. Já no pré-pago, é cobrado absolutamente tudo, inclusive os SMS recebidos. Assim, seu chip irá funcionar no Brasil, recebendo e fazendo chamadas e SMS, mas os preços são altíssimos. 1Mb de dados custa USD 15. Mas você pode contornar isso ativando um recurso chamado Wi-Fi Calling, onde o celular vai operar prioritariamente via Wi-Fi e não no roaming da operadora internacional (no caso da T-Mobile, a rede da Vivo). Assim, a T-Mobile vai te tarifar como se você estivesse nos Estados Unidos e não no Brasil.

     Apesar de existirem muitas lojas próprias e representantes da T-Mobile espalhadas pelas cidades, seria muito mais prático já comprar o chip no aeroporto e sair falando. Eu vi algumas máquinas que vendem chips de operadora, mas nada de operadoras tradicionais. Eram sempre planos dedicados a roaming mundial, sempre focados em voz/sms e nunca em dados. Assim, infelizmente você terá que ficar algumas horas (ou dias) sem internet até conseguir ir a uma loja. Por isso, talvez vale a pena ativar o roaming internacional da sua operadora, mesmo que você não pretenda usar. Numa emergência, pode te salvar.

     Enquanto eu estava viajando, o Lucas Braga me disse que tinha um plano pra iPad que ele poderia usar internet de graça. Fui procurar a respeito e achei uma referência a um plano grátis de tablets no site da T-Mobile. O plano é super simples e dá 200MB de internet grátis todos os meses. Mas tem algumas “pegadinhas”.

     Hoje eu fui me informar melhor sobre esse plano com uma atendente da T-Mobile, via chat. Logo de cara, você vai morrer com USD 15 (quase R$ 70 no cartão) só pro chip. Você precisa avisar na hora da compra que é para usar em tablet e não em smartphone ou modem. Além disso, tem que fazer uma recarga mínima de USD 10. Com isso, você já poderá usufruir do benefício por 3 meses. Depois disso, precisa fazer outra recarga de USD 10. Nada será descontado pelo uso da internet no tablet, mas pra manter o benefício, tem que fazer essas recargas periódicas.

     Caso você queira comprar o chip online e mandar entregar no hotel, pode economizar uns trocos. Comprando online, ele também custa USD 15, mas sempre tem umas promoções onde ele sai por apenas 99 cents. Na hora de fechar a compra, use o código de desconto SIM99. Sobre o frete, é gratuito na modalidade padrão, que demora de 2 a 4 dias. Para entrega no dia seguinte, custa USD 12. Ou seja, não compensa se for comprar apenas 1 chip.

     Se você não sabe se o seu dispositivo será compatível na rede da T-Mobile, tem uma página onde você informa seu dispositivo e ele diz se funcionará 3G, 4G, LTE e assim por diante.

     Caso você queira dar uma olhada nos planos da AT&T, os pré-pagos para smartphones estão aqui (USD 60 para 4GB em LTE, com ligações e SMS imitados ou USD 45 por 1.5GB em LTE e também com ligações e SMS ilimitados) e para tablet aqui (USD 25 pra 2GB, USD 50 para 5GB e USD 75 para 8GB, sendo todos válidos por 30 dias). Nesses planos, depois de atingir a franquia de dados contratada, a velocidade é reduzida para 128kbps.

     Update 22/09/2015 21:50h Dois updates que preciso fazer. O primeiro é referente ao plano de tablet na T-Mobile. O Lucas Braga disse que esse negócio de ter que fazer recarga a cada 90 dias é balela, pois ele nunca fez e funciona. Assim, se você estiver indo com seu tablet pros EUA, quiser testar e nos falar, seria bacana. Segundo é que tentei comprar o chip da T-Mobile online e mesmo o pagamento ocorrendo normalmente, o processo deu erro e o chip não será entregue no endereço americano indicado.

2 Responses to “Algumas informações úteis sobre a T-Mobile para turistas”

  1. Thiago disse:

    Quando fui para Miami/Orlando em fev de 2014 peguei esse plano da T-mobile por $2 por dia. O surpreendente foi que além de pegar LTE(16 megas), era ILIMITADO. Eu usei muito, e era fantástico, com $2 vc consegue fazer ligações e usar a internet a vontade! Não gostaria de perder esse chip, ainda é possível reativá-lo? (Aqui no Brasil quando coloco ele no iPhone aparece rede Vivo).

  2. Marina disse:

    Tenho o pay as you go faz um ano e da ultima vez que fui pros eua, agora em julho, comprei normalmente o pacote de dados pelo site como sempre fazia. Agora fiz uma recarga pra comprar novamente um pacote de dados ja que estou indo viajar mas os pacotes de dados nao estao aparecendo para compra no site. Nao sei o que fazer. Recarreguei minha conta com 30 dolares mas nao consigo comprar o plano de dados. Voce sabe de algo que possa me ajudar?

Leave a Reply

preload preload preload