nov19

Como usar o Apple Music no cartão de memória

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 19/11/2015 às 23:44h

     Recentemente a Apple liberou uma versão do seu serviço de música por streaming para Android, cumprindo o que havia prometido anteriormente. Contudo, ele ainda é beta e, assim como acontece na versão pra Mac e iOS, ainda é um tanto bugado.

     É natural que um produto/ serviço recém lançado tenha bugs. Sou desenvolvedor e sei bem do que estou falando (carinha de culpado). Também já estou nessa #VidaDeTI há muito tempo pra saber que esperar que um produto novo seja melhor que um já bem estabelecido no mercado é um tanto utópico.

     Deixando as instabilidades do serviço e do app de lado, vamos ao assunto principal do post: uma vez que a primeira versão do app para Android não trouxe a opção do usuário escolher onde manter as músicas offline, como hackeamos isso, nos permitindo salvar as músicas no generoso cartão microSD ao invés do minguado espaço interno do smartphone?

     Infelizmente, para fazer isso funcionar, você vai precisar que o seu dispositivo tenha root. Isso porque a Apple resolveu colocar os dados do aplicativo dentro do diretório /data/data/com.apple.android.music. Esse diretório é restrito do sistema e você não irá conseguir manipulá-lo. Eu até pensei que, movendo o app para o cartão microSD, toda a sua cache iria pra lá também. Estava enganado.

     Depois de uns 4 dias batendo cabeça e tentando várias coisas diferentes, cheguei a solução para o meu problema e agora minhas músicas estão no meu cartão microSD de 128GB. Não preciso mais me preocupar com o armazenamento interno caindo a ponto de deixar o Android lento e não me permitir sequer fazer updates de apps já instalados.

     Minha primeira tentativa foi mover todo o diretório /data/data/com.apple.android.music para o cartão e logo em seguida criar um link simbólico para ele. Contudo, a Apple implementou algumas medidas de segurança e ela sabe quando isso acontece. Inclusive, se você só renomear o diretório e logo em seguida voltar pro nome original, o app vai dar erro.

     Logo que você instala o app, ele ocupa menos de 100MB. Porém, ao colocar sua conta do iCloud, ele vai começar a sincronizar as playlists. Mesmo não baixando nada ainda, logo o espaço ocupado pula pra 500MB. Isso devido a sincronia da biblioteca e algumas capas de álbuns. Nenhuma música ainda foi sincronizada.

     O diretório que armazena os dados da biblioteca é o /data/data/com.apple.android.music/database. Nem pense em mexer nele, apesar dele ocupar quase 500MB. Se mexe nele, o app começa a dar erro e você terá que começar tudo do zero. Contudo, pode mexer sem medo no diretório /data/data/com.apple.android.music/no_backup, que é onde ficam as músicas baixadas.

     Usando o app Root Explorer, eu movi esse diretório para a raiz do cartão microSD. Em seguida criei o link simbólico apontando pro local antigo. Fiz isso usando o próprio Root Explorer, selecionando o diretório e escolhendo a opção “Vincular esta pasta”. Ae voltei pro /data/data/com.apple.music.android e mandar criar o link. Pumba! Funcionando perfeitamente.

     Como eu não queria deixar um diretório na raiz do microSD com o nome escroto no_backup, mudei pra AppleMusic e refiz o link. Por mais incrível que possa parecer, deu zica. O app não reclamou, acessou tudo, mas na hora de gravar novas músicas, ficava parado. Achei que o problema fosse permissão, revisei tudo e nada. Ae voltei pro nome antigo, refiz o link e funcionou. Vivendo e aprendendo.

     Eu sinceramente espero que a próxima versão do Apple Music venha melhor, tanto no Android, como no iOS e no Mac. Do jeito que está, fica complicado. Eu mesmo já voltei pro Spotify. Deixei a família usando o Apple Music porque é o serviço mais barato, custando cerca de R$ 32 e permitindo até 6 usuários.

     Em tempo: como eu pago o Apple Music pra família e não pretendo deixar de pagar tão cedo, não tentei pegar os arquivos de músicas e ler em outro app. A intenção nunca foi essa. Eu só queria poder ter algumas músicas em cache e ouvir na rua, sem depender de 3G. E, como meu espaço interno do Z2 vive lotado, não faria sentido ter um cartão gigante e não poder usá-lo por algo que estou pagando.

Leave a Reply

preload preload preload