abr11

Considerações sobre o monitor cardíaco Polar H6

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 11/04/2014 às 11:34h

     Escrevi há alguns anos aqui no blog sobre o relógio inteligente MotoACTV da Motorola. Sim amiguinhos, ele nasceu em 2011, muito antes de Sony, Samsung, Google, Apple e outras falarem no assunto. E, apesar de pioneiro, a Motorola resolveu matar o projeto dele no ano passado, provavelmente por estar trabalhando no relógio do Google.

     Pra quem nunca ouviu falar dele, o bichinho roda um Android modificado. Dá inclusive pra hackear o aparelho e colocá-lo para rodar apps, como Angry Birds. Apesar da minha curiosidade, resolvi não fazer isso pois uso ele pra outra finalidade: monitorar a minha atividade física. Com ele, consigo ouvir músicas via bluetooth ou cabo, fazer o monitoramento cardíaco e, como ele tem GPS e Wi-Fi, fazer upload do exercício no site da Motorola, acompanhando gráficos bem legais. Tudo, sem a necessidade de um smartphone e com os dados disponíveis para rápido acesso ali no pulso, sem ter que tirar nada do bolso.

     Fiz essa introdução sobre o MotoACTV, mas na verdade o post é sobre a cinta de monitoramento cardíaco H6 da Polar. Como explico no vídeo, tem uns 2 anos que uso o monitor cardíaco ANT+ da Garmin. Porém, já tem quase um ano que ele começou a ficar instável. Eu troquei a bateria várias vezes, achando que pudesse ser isso, mas pelo visto não é. Ele começa a monitorar o exercício bem, mas depois de poucos minutos a marcação fica maluca, onde os batimentos chegam a cair a 28BPM. Por isso decidi comprei a Polar H6.

     Pelas minhas pesquisas, encontrei a cinta de monitoramento cardíaco H6 da Polar na faixa de R$ 300,00. Optei por ela porque eu queria comprar um produto com garantia e ela é facilmente encontrada em autorizadas Polar. Porém, nem no site da marca, nem nas lojas, é possível saber exatamente com o que ela é compatível, bem como suas limitações. Como o Código de Defesa do Consumidor (CDC) me garante o direito de arrependimento, acabei pagando pra ver. Senão funcionasse, bastava devolver. Mas não comprei de bobo alegre, alguns vendedores diziam que funcionava com vários apps conhecidos (como o RunKeeper) e outros não, dizendo que apenas o modelo H7 funcionaria. O problema é que o H7 não é vendido oficialmente no Brasil e quem o produto, dá apenas 90 dias de garantia.

     Diferente do que aconteceu com meus cartões microSD, o produto chegou na embalagem original, lacrada e com nota fiscal. Abri ele e fui logo configurando no MotoACTV. Reconheceu de pronto, mas quando vai começar o exercício, dá o pau que mostro no vídeo. Curioso, já que com o ANT+ funciona numa boa. O problema é que, como já dito, a Motorola descontinuou o produto, ou seja, vai ficar com esse erro pra sempre. Assim, se você vai comprar o H6 pra usar no MotoACTV, não compre.

     Outro alerta que gostaria de fazer é com relação ao app do RunKeeper, um dos preferidos da galera que curte fazer esse tipo de acompanhamento via sites. Ele simplesmente não identifica o monitor cardíaco H6. Outros apps, como o Runtastic Pro e o Endomondo Pro conseguem trabalhar com a H6. Notem que ambos só funcionam na versão paga (Pro). Na gratuita eles não tem suporte a monitor cardíaco. Isso não seria problema, não fosse o fato de ambos os sites serem bem piores que o do RunKeeper, tanto no visual, quanto em recursos. Dá até pra você exportar e importar dados, mas é um trabalho extra que não estou disposto a fazer diariamente.

     Em resumo: esse post é mais um alerta do que um review. Se você está pensando em gastar R$ 300,00 no Polar H6 e pretende usar no MotoACTV ou no RunKeeper, saiba que não irá funcionar. É pouco provável que futuros updates façam ele funcionar, uma vez que a Motorola não irá mais soltar updates pro MotoACTV e o RunKeeper vende sua própria cinta compatível, ou seja, não tem muito interesse em suportar outras.

Leave a Reply

preload preload preload