dez18

CPF na nota? Comece a dizer sim e pague menos IPVA.

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 18/12/2013 às 11:12h

     Conheço muita gente que, ao ouvir a pergunta “CPF na nota?”, imediatamente diz não, sem ao menos pensar a respeito. Isso porque, como nem todo mundo declara ao governo toda a renda que recebe, existe um medo de “facilitar” as coisas pro governo, ele fazer o cruzamento dessas informações e isso criar um problema com a Receita Federal e/ ou Estadual.

     Se você é um funcionário público, muito provavelmente não tem o que esconder, já que todos os descontos são feitos diretamente na folha de pagamento. No caso de funcionário de empresa privada, infelizmente ainda acontece bastante da pessoa receber um salário base na carteira de trabalho, mas ter outros valores pagos “por fora”, já que o valor dos tributos (e são muitos) pagos pela empresa sejam menores. Se for empresário, dependendo do porte da empresa, a história pode ficar bem mais complicada. No meu caso, que sou microempresário, pago 6% de imposto sobre o faturamento da empresa e, no final do ano, o lucro dela vem pra mim, sem precisar pagar nada de imposto. Em resumo: uma maravilha! Não tem porque sonegar nada.

     Eu infelizmente não conheço sobre outros estados (podem me ajudar nos comentários), mas aqui em São Paulo o governo dá vários incentivos pra quem pede o tal “CPF na nota”. Isso ajuda o governo na fiscalização, já que muitas empresas, que talvez fossem sonegar o seu imposto, se verão obrigadas a declarar, já que você vai dar falta disso caso elas não o façam. Mas que benefícios isso lhe trás? Como acompanhar?

     O primeiro benefício, como já dito, é ajudar o governo a fiscalizar melhor a cobrança de impostos. Assim, menos empresas vão sonegar e as receitas do Estado vão aumentar, lhe dando mais condições de fazer investimentos em saúde, educação, segurança, infra-estrutura, etc. Ou seja, ao menos em tese, todos esses benefícios vão refletir diretamente na sua vida, de sua família e do restante da população.

     Agora, pensando mais em você, que benefícios diretos você tem com isso? O governo de São Paulo vai lhe devolver 30% do valor do ICMS. Com esse dinheiro, você pode pagar o IPVA ou simplesmente pedir que seja depositado em uma conta bancária, pra fazer o que quiser com ele. O acompanhamento é feito através do Portal da Secretaria de Fazenda.

     Não é muito simples saber o quanto você vai receber de volta, já que a alíquota do imposto varia de acordo com a categoria de produtos consumidos. Se for eletrônico é uma coisa, se for alimento da cesta básica é outra, etc. Mas, de maneira bem simplista, vamos fazer uma conta por baixo, calculando que o ICMS seja de 10% (não é, é bem mais, mas apenas pra facilitar). Se você pedir nota fiscal apenas no supermercado e sua despesa mensal com isso for de R$ 1.000,00 (bem baixa também), o ICMS daria R$ 100,00. Ao longo de 12 meses, seria R$ 1.200,00. Como o governo vai lhe devolver 30% disso, você receberia de volta R$ 360,00. No portal já mencionado, você consegue fazer um acompanhamento exato das notas, valores, percentual, etc.

     Por fim, além de ajudar o governo a fiscalizar e ter os 30% de impostos de volta, corre-se o risco de ser contemplado nos sorteios que o Governo faz. Em algumas épocas do ano são sorteados tablets, smartphone, etc. O mais comum são prêmios em dinheiro mesmo.

     Minha esperança com esse post é fazer com que as pessoas pensam um pouco a respeito e, quando perguntadas “CPF na nota”, digam sim! Isso vai te trazer muitos benefícios, tanto individuais, como coletivos. E, como acredito que consegui comprovar, se você criar esse hábito e começar a pedir nota de tudo, muito provavelmente terá um bom abatimento do IPVA (ou quem sabe, até sairá de graça).

     Apenas pra que vocês tenham uma noção de como é o portal, vejam nessa figura uma prévia do meu extrato. Nos últimos 6 meses eu juntei mais de 50 notas fiscais, dando um total de mais de R$ 30.000,00. Muito provavelmente eu vou ter dinheiro suficiente disponível pra ficar quase isento do IPVA 2014.

One Response to “CPF na nota? Comece a dizer sim e pague menos IPVA.”

  1. rzaratin disse:

    Comentários válidos:

    1) Várias empresas online tem sede em SP e fazem a venda já com CPF, quem é de fora de SP faça o cadastro e veja se já não tem créditos disponíveis.

    2) O valor mínimo para saque é R$ 25.

    3) Se você faz compras usando cartão de crédito ou débito, a Receita já tem seus dados de movimentação, logo, não tem motivo nenhum para não pedir o CPF na nota.

    Seguindo a linha do GG, por experiência, produtos que dão maior retorno:
    Roupas, Sapatos e Comidas, desde que os estabelecimentos não sejam optantes pelo Simples. Se forem lucro real, melhor ainda.

Leave a Reply

preload preload preload