dez21

Cultura Kobo ou Amazon Kindle? Qual a melhor opção?

12 Comentarios »Postado por GordoGeek em 21/12/2012 às 21:33h

     Já tem anos que algumas empresas vendem livros virtuais por aqui. Porém, recentemente grandes players entraram no Brasil, como a Amazon, Apple (iBook Store) e Google (Play), deixando a dúvida no ar: onde é melhor comprar? Qual o melhor dispositivo?

     Vamos começar respondendo a primeira pergunta: onde é melhor comprar os livros? É bem comum as lojas virtuais terem os e-books por preços muito similares. A loja que costuma ser mais careira é a Apple, tanto no valor de capa em si, como no final, acrescido de conversão do valor em reais e impostos. Pra piorar, a loja da Apple é uma das poucas que atualmente vendem o conteúdo com DRM, o que dificulta a leitura num dispositivo que não seja da empresa da Maçã.

     Já no que tange a dispositivos, se você não considera a leitura num tablet/ smartphone algo agradável e prefere um e-reader com tela de tinta eletrônica, as duas opções mais conhecidas por aqui são o Amazon Kindle e o Cultura Kobo. Nos últimos dias eu tenho recebido muitas perguntas a respeito de que dispositivo comprar e esse post é pra dar um panorama geral de prós e contras de cada um deles.

     Ambos os dispositivos tem praticamente as mesmas dimensões, peso (200g), tamanho de tela (6”) e autonomia de bateria (um mês). A capacidade de ambos também é a mesma: 2GB ou 1.000 livros. Contudo, enquanto o Ponto Frio está vendendo o Kindle por R$ 299,00 (em 12 vezes de R$ 24,92), a Cultura vende o Kobo por R$ 399,00 (em 10 vezes de R$ 39,90 – eram apenas 5 até essa madrugada). Nesse ponto você já deve ter pendido pro aparelho da Amazon, mas espere ae.

     Eu já tive alguns modelos de Kindle e acho o modelo clássico (esse de R$ 299,00) o mais interessante. Ele é leve, pequeno e bonito. Sempre achei o modelo Touch bem estranho, com a tela rebaixada, supostamente pra evitar que o usuário esbarre na tela e atrapalhe a leitura. Esse modelo básico no entanto não tem a tela de toque e deve-se usar botões físicos para navegação. Sinceramente, eu até prefiro assim. Me adaptei melhor.

     O Kobo é um aparelho um pouco melhor, pois é similar ao Kindle, mas com a tela sensível ao toque (como o Kindle Touch) e possui leitor de cartões microSD, o que permite extender a capacidade do mesmo. Além disso, ele é bem mais flexível nos formatos, suportando o ePub, um padrão muito adotado pelo mercado.

     Infelizmente a gente ainda não tem aqui no Brasil os modelos de e-reader com tecnologia que permitem a leitura no escuro, sem luz adicional. Diferente dos tablets, que possuem iluminação própria, a tecnologia e-ink simula o papel e, portanto, não é iluminada. Ou pelo menos não era, pois de alguns meses pra cá, a tecnologia foi aprimorada e já existem modelos (Kindle Paperwhite e Koboglo) melhores pra esse público. A promessa é de que, pelo menos o Kobo, deve pintar por aqui em breve.

     Uma coisa que gostei bastante no Kindle Paperwhite são seus recursos de estatística, que dizem nosso ritmo de leitura, prevendo em quanto tempo vamos acabar um capítulo e coisas assim. Não sei porque, mas a Amazon preferiu deixar essas funções apenas nessa versão e tanto os apps do Kindle, como os modelos mais baratos, foram capados. Já o Kobo, possui recursos similares, em especial uma parte social, que permite ver quantas pessoas estão lento o livro, seus comentários públicos, etc. Isso me atraiu bastante!

     Algo que eu gosto muito na Amazon é a sua plataforma. Cada dispositivo Kindle, seja ele o aparelho em si ou um app, recebe um email próprio ([email protected]) pra você enviar documentos/ livros pra ele, sem fios. Apesar da descrição do Kobo dizer que ele tem isso, eu não achei. Além disso, a Amazon oferece 5GB de espaço na nuvem pro usuário deixar seus documentos/ livros e baixá-los facilmente em qualquer dispositivo. Já no Kobo, dá pra usar o Dropbox como muleta. Funciona, mas não é o ideal.

     Eu sinceramente ainda não me decidi por um aparelho. Na real eu quero a versão que permite leitura sem luz auxiliar, mas como ela deve demorar um pouco pra chegar por aqui, está fora de cogitação. Entre as versões atuais disponíveis no Brasil, meu preferido é… Não sei, rs. Ambos tem pontos fortes e fracos. Qualquer um dos aparelhos que você compre, estará muito bem servido.

Leave a Reply

preload preload preload