abr17

Gadgets para esportistas, profissionais ou hobistas

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 17/04/2012 às 02:11h

     Antes que venham me zuar, pois é meio incoerente um gordo fazer post sobre gadgets para esportistas, saibam que eu sou bem ativo. O problema é que eu tenho o metabolismo lento #NOT.

     Há duas semanas eu fiz uma breve análise aqui no blog do monitor cardíaco Polar Wearlink Bluetooth, gentilmente cedida pela GSShop. Acabei não ficando com o equipamento porque queria conhecer outros na mesma faixa de preço. O principal motivo deu não ter ficado com o Polar Wearlink foi a sua incompatibilidade com o iPhone (só funciona com Android).

     Alguns leitores comentaram comigo (aqui e no Twitter) sobre os equipamentos da Wahoo. Acredito que muitos de vocês não devem conhecer a marca, especialmente se não forem muito ligados a esse tipo de equipamento. Porém, se você der uma pesquisada no assunto, vai ver que tem muita gente falando bem dos produtos da marca. Pra quem tem iPhone 4S, o Wahoo Blue HR Heart Rate Strap for iPhone 4S (USD 80) é uma alternativa legal. Porém, como ele trabalha usando bluetooth 4.0, só funciona no 4S. Para outros iPhones, é necessário usar uma espécie de doungle ANT+ (USD 80) no conector 30 pinos. Eu particularmente fico meio encanado de usar coisas no conector enquanto o iPhone está no bolso. Dá a impressão que fica muito frágil e qualquer coisa vai fazê-lo quebrar lá dentro, danificando tanto o doungle, quanto o iPhone. Porém, pelo que pesquisei, se você tem um iPhone um pouco mais antigo, não vai ter outra alternativa, especialmente porque a Apple capa o bluetooth.

     Outro equipamento que me indicaram foi o Scosche myTREK – Wireless Pulse Monitor (USD 100). O mais bacana desse equipamento é que ele trabalha tanto com iPhone, quanto com Android. Eu li pelo menos uns 10 reviews dele na internet e a maioria deu notas entre 4 e 5 pra ele (de 0 a 5). Fiquei bastante interessado em testá-lo. Uma coisa bacana dele é que, diferente de outros modelos de cinta, essa não fica conectada ao peito e sim ao antebraço. Uma coisa ruim é o fato dele não ter um visor de LED, contando apenas com luzes indicadoras. Porém, pelo que tenho visto, isso é comum entre os equipamentos com integração a smartphones. Não é fácil achar um que envia os dados simultaneamente para o telefone e para um relógio.

     Saindo um pouco da linha de monitores cardíacos que se conectam a smartphones, vou falar um pouco de um equipamento mais simples, o passômetro. Meu pai sempre gostou desse tipo de equipamento e desde que me entendo por gente via ele com um desses fixado a cinta. Porém, como ele é “um pouco” descuidado, a vida útil desse tipo de equipamento com ele é de, no máximo, 6 meses. Ou o equipamento acaba quebrando ou some. Recentemente eu dei um Fitbit Ultra (USD 100) pra ele e acreditem: ele perdeu em 2 dias! Felizmente ele achou no assoalho do carro uma semana depois. Diferente dos passômetros mais baratos, o Fitbit é dotado de acelerômetros e envia os dados para a internet, de forma que você possa manter um histórico bem detalhado das suas atividades. O equipamento é super pequeno e discreto, tem recursos interessantes (como monitorar não só as atividades durante o dia, mas também o sono), porém tem coisas ruins, como a péssima visualização da tela durante a luz solar. No geral, acho um equipamento um tanto caro pelo que ele faz. Mas ae vai de cada um (e cada bolso).

     Outro equipamento que está muito em evidência e é usado até pela apresentadora Ana Maria Braga é o Nike+ FuelBand. Diferente do FitBit, que é super discreto, o produto da Nike tem formato de relógio e uns LEDs coloridos, que é um tanto chamativo pra ser usado por alguém de terno, por exemplo. Na loja da Nike, ele é vendido por USD 149. Porém, raramente é encontrado. Em sites de varejo e leilões (como Amazon e eBay), ele tem um ágio razoável e é vendido por USD 249. Aqui no Brasil ele atinge facilmente R$ 750,00, o que sinceramente eu acho um valor bem salgado pra o que ele faz. Assim como o Fitbit, ele é basicamente um passômetro aditivado, uma vez que ele não marca apenas passos, mas todo movimento que você executa (morri de rir com o @JorgePontual, que brincou comigo dizendo que é o medidor de punheta mais caro que ele conhece).

     Um tipo de equipamento que está surgindo e deve se tornar bem comum nos próximos meses são os relógios inteligentes. Eu não tenho hábito de usar relógio, pois queria algo que fosse mais que um simples relógio. Apesar de não ter sido o foco da Apple, muitos acabaram usando o iPod Nano como relógio. Em sua versão mais recente, a Apple até deu uma melhorada no dispositivos, mas nada muito relevante. Seria bem interessante se ele fosse um misto de Fitbit, Nike+ e monitor cardíaco.

     O MotoACTV (USD 250) é um gadget que aqui chegou custando quase R$ 1.000,00 e acabou dando uma encalhada, virando dispositivo de luxo. Recentemente a GSShop, nossa parceira, baixou o preço desse equipamento para R$ 650,00. Bem diferente dos outros dispositivos comentados aqui, ele é um equipamento similar a um smartphone e roda Android! Já tem até uns hacks interessantes que fazem o MotoACTV rodar coisas bem bacanas. O bacana desse brinquedinho é que ele trabalha independente de um smartphone, servindo de MP3 Player e monitorando o percurso com um GPS próprio. Depois, você pode subir os dados para o site. Outro detalha bacana é a compatibilidade com monitores cardíacos no padrão ANT+. A parte chata (além do custo) é que a autonomia dele é de aproximadamente 6 horas.

     Seguindo a linha da Motorola, a Sony lançou na semana passada o SmartWatch (USD 150). Diferente do MotoACTV, ele não trabalha de forma independente e precisa de um smartphone para trocar informações, seja de SMS, chamadas, Twitter, Facebook e outros. Na parte de monitoramento de exercícios, ele se integra ao smartphone usando apps desse segmento, como o Endomondo.

     Um projeto interessante que surgiu no KickStarter é o Peeble. O projeto precisava de USD 100,000 para se tornar realidade e acabou arrecadando mais de USD 3 milhões em doações. A promessa é trabalhar de forma similar ao SmartWatch da Sony, mas sendo compatível também com iPhone. Além disso, ao invés da tela OLED, que é bem difícil de ver debaixo do solo, o Peeble trabalhará com tela similar ao Kindle.

     Se você tiver (ou conhecer) um gadget bacana e que não foi citado aqui, por favor deixe-nos um comentário contando um pouco sobre ele.

Leave a Reply

preload preload preload