jun18

     Na semana passada eu escrevi aqui no blog que estou cogitando seriamente em voltar a usar o iPhone como meu smartphone principal. Também participei dos podcasts Happy Hour Tech e iTech Hoje, onde acredito que deixei claro que, no geral, gostei bastante do novo iOS 7. Mas, nem tudo são flores e nem tudo que gosto no Android a Apple colocou no seu novo sistema operacional móvel.

     Sobre a mudança geral na cara do sistema, achei muito bem vinda. Demorou, mas veio. O iOS tinha a mesma cara desde o seu lançamento em 2007 e eu já não aguentava mais usá-lo. Parecia algo velho, sem graça, datado. Obviamente que nos primeiros dias causa estranheza o uso de algo novo, mas em menos de uma semana, grande parte dos usuários estarão plenamente adaptados e gostando do novo sistema.

     Quanto aos recursos, temos finalmente o Control Center, uma barra de acesso rápido para desligar/ ligar recursos de uso frequente, como Wi-Fi, Bluetooth, etc. Todavia, achei que jogaram muitos ícones na mesma tela. Aprecio muito mais algo como o SBSettings do Jailbreak. Aliás, a Apple (por enquanto) não permite customizar os ícones/ apps que você quer ali. Isso seria bem bacana. Sinceramente não acho que isso vá mudar até a versão final. Mas só o tempo dirá.

     Chamar o Control Center ficou super confuso. Você precisa fazer um movimento debaixo para cima com o dedo. Na tela bloqueada, isso causa estranheza, pois dá a impressão que esse movimento serve para desbloquear o aparelho. Se fosse um movimento de 2 dedos de cima pra baixo, começando desde o topo, como é na Central de Notificações, ficaria muito melhor. E sei disso porque era assim que usava o SBSettings no Jailbreak. Muito mais natural.

     Outra coisa que gostei bastante foi a mudança na multirarefa e a forma com que o sistema gerencia os apps abertos. Seria maldade dizer que a Apple novamente foi beber nas águas do Jailbreak e copiou o Auxo? Acredito que não, pois ficou muitíssimo parecido com o Auxo, o WebOS, o Windows Phone, etc. No geral, eu gostei, mas novamente, acho que apertar duas vezes o botão home para acionar esse gerenciamento é uma experiência ruim. Seria melhor um movimento de pinça para fechar ou abrir. Novamente, é assim que uso no Jailbreak e funciona muito bem.

     Muito se falou dos ícones do novo sistema. Alguns gostaram, outros odiaram. O ideal seria a Apple deixar o usuário mudar os ícones ou até mesmo todo o tema do iOS, algo similar aos Launcher do Android, mas duvido que ela vai deixar o usuário “estragar” o que ela passou meses trabalhando, para tentar dar a melhor experiência possível a seu usuário. Pra ela, o usuário nunca sabe o que realmente quer. Assim, ele não pode escolher. É tudo da forma que ela quer e ponto final.

     Um recurso que também já tínhamos com o Jailbreak eram os ícones animados ou inteligentes. O relógio mostrava a hora atual do sistema. O app de tempo, a mesma coisa. E isso se estendia para vários ícones do sistema e de terceiros. Num primeiro momento, a Apple liberou isso apenas no relógio, mas quem sabe não seja um primeiro passo. Além disso, a tela também está trabalhando com um sistema de camadas, permitindo ver diferentes perspectiva do papel de parede conforme mudamos o ângulo do aparelho. Aliás, também tem papéis de paredes animados, como já era no Jailbreak e no Android.

     Infelizmente ainda não foi dessa vez que a Apple liberou o uso de teclados de terceiros. Isso é uma das coisas que adoro no Android e no Jailbreak. São coisas que podem parecer bobo pra quem é usuário antigo de iOS, mas vocês precisam conhecer as maravilhas que tem na Google Play, como o Swype, SwiftKey ou até mesmo o teclado nativo do Android 4.1.2. Muda completamente a experiência de uso.

     A Siri ainda não fala português, mas novamente, bebeu na água do Jailbreak e agora aceita comandos do sistema, como mudar o brilho da tela, desligar o bluetooth, Wi-Fi, etc. Ainda falta evoluir mais. No Cydia você consegue baixar um tweak que muda a forma como acionamos a assistente, bastando falar com ela, como é no Google Glass. Você não precisa apertar nenhum botão. Basta falar com ela. Vai dizer que não é muito melhor e mais prático?

     Uma coisa que ainda sinto falta no iOS é a possibilidade de gravar chamadas. O Obama consegue gravar minhas chamadas e eu não. Irônico, não? No Android, existem dezenas de apps que habilitam esse recurso. É muito bom você poder ter um histórico de suas conversas, pois pode lhe safar de muitos problemas, seja no trabalho ou na vida pessoal. Acabou aquela história de “mas você disse que…”. Mas isso eu acho que a Apple não vai habilitar num futuro próximo, pois tem muitas questões de privacidade envolvida e a empresa foge disso como o diabo da cruz.

     No Jailbreak já era possível colocar uma pasta dentro de outra, colocar senha para abrí-la, etc. No iOS 7 a Apple mexeu um pouco nisso. Nada de pedir senha, ainda, coisa que faz muita falta. Mas agora, em tese, dá pra por mais apps numa pasta. Antigamente eram apenas 12. Agora ele está trabalhando com um esquema de páginas dentro da pasta. Contudo, achei isso meio confuso. Não é simples achar algo dessa forma. Além disso, cada página tem apenas 9 espaços, o que deixa a situação ainda pior.

     Antigamente a buscad o sistema (Spotlight) era acionada através da primeira página do sistema, ou seja, rodando da página principal para a esquerda. Agora, não é mais assim. Basta um puxão para baixo e aparece um campo de busca. Sem dúvida, melhor bastante. Ainda sinto falta dele procurar o conteúdo dentro de apps/ arquivos, como é no OSX, além de me dizer em que aba/ pasta determinado app está. Mas, já é uma melhora.

     Eu gostei do AirDrop, que vai permitir que aparelhos iOS troquem arquivos facilmente entre si e com os computadores da Maçã, mas a restrições dos tipos de arquivos são broxantes. Trocar uma música? Nem pensa. Um filme? Nada… Ainda não ficou claro o que a Apple vai deixar trocar, mas provavelmente serão apenas fotos. Legal, né? Não! Não é legal. No Android, que a Apple fez questão de sacanear no evento, você transfere o que quiser, seja via bluetooth, Wi-Fi Direct, NFC, etc. Aliás, falando em NFC, que ela tanto despreza, a vida do usuário muda quando ele começa a usar etiquetas inteligentes para automatizar tarefas rotineiras. Com o iPhone, não tem como fazer isso!

     A respeito do hardware, quem adota a Apple, fica sem poder de escolha. É aquele tamanho de tela, aquelas poucas cores e só. No mundo Android, existem dezenas de opções, com variados tamanhos e tecnologias de tela, CPU, RAM, espaço interno, bateria, cores, chassis, etc. Eu me acostumei a aparelhos com tela grande e usar um aparelho com tela de 4” é inaceitável. Não dá pra se fazer quase nada com o mínimo de conforto ali.

     Eu sei que existem vários cases de bateria para iPhone, mas eu ainda prefiro ter uma bateria de longa duração (que dure dias, como as da linha RAZR) ou ainda poder carregar uma bateria extra no bolso e trocar quando necessário, sem ter que mudar o jeitão do meu aparelho com cases estranhas. Novamente: parece bobagem, mas pra quem usa muito o smartphone, o iPhone é piada. A bateria não chega às 14hs.

     Agora vamos falar de espaço. Apesar de muito se falar em nuvem, usar 3G/ 4G no Brasil ainda é piada. Os planos são caros e limitados demais. Não dá pra deixar todo seu conteúdo multimídia na nuvem e acessá-lo via rede de dados. É ae que os cartões microSD do Android são uma maravilha. Com R$ 200,00 você compra um cartão 64GB classe 10 de uma marca famosa e fica tranquilo, carregando todos seus documentos, filmes, músicas, fotos, etc.E claro, faltou espaço, tira um e coloca outro. É vida que segue. Se você está viajando e usando o smartphone para tirar fotos ou filmar, é muito mais prático.

     Outra coisa que adoro nos Android: o LED de notificação. Você pode customizar para que o LED pisque em cores diferentes dependendo do app que está lhe alertando. Por exemplo: ligação perdida? Pisca em verde. SMS? Pisca em roxo. Facebook? Azul. E assim por diante. Muitos vão achar que isso é besteira, mas depois que você incorpora isso no dia-a-dia, ficar sem é uma tortura.

     Apesar de ter gostado muito do novo iOS 7, não há como negar que a Apple ficou anos deitada na sombra, colhendo o fruto de ter lançado um smartphone matador em 2007. Nesse intervalo, muitos fabricantes (e a Google) se esforçaram pra alcancá-la e, pra mim, acabaram até passando-a. Foi um passo importante que a Apple deu, mas outros ainda precisam ser dados. Se virão ou se a Apple vai ficar segurando as carta, só Mr. Cook poderá dizer.

Leave a Reply

preload preload preload