jan14

iTunes Store: ‘naba’ oculta

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 14/01/2009 às 00:37h

     A iTunes Store foi um dos serviços mais brilhantes lançados pela Apple e Deus sabe o quanto isso deve ter sido difícil de acontecer, pois as gravadores se cagavam de medo de adotar esse modelo de negócios, onde uma pessoa podia comprar apenas uma música por USD 0.99 ao invés de ter que levar o albúm inteiro por USD 9.99. Contudo, Steve Jobs ligou seu campo de distorção de realidade e conseguiu fazer com que elas aceitassem. Evidente, com algumas condições…

     Com a possibilidade do usuário comprar apenas as músicas que interessavam, sem ter que levar o CD todo, as gravadores já ficaram muito preocupados, mas outro fato ainda despertava o receio delas: a pirataria. E para isso, a Apple teve que criar um DRM (Digital Rights Management) que as deixasse mais calmas e confiantes que isso não colocaria seus negócios no ralo.

     Uma das boas notícias que surgiram na MacWorld 2009 foi o anúncio do fim do DRM para boa parte do acervo disponível na iTunes Store a partir de abril. De lambuja, veio a flexibilização dos preços, que agora vão de USD 0.69 a USD 1.29. E claro, para aqueles que já tem suas músicas compradas com DRM e quiserem fazer a ‘libertação’, uma taxinha de USD 0.29. Algumas pessoas já pararam para fazer as contas e se todos que compraram uma música fizerem o procedimento, serão mais alguns bilhões de dólares para o bolso das gravadoras.

     Hoje tomei conhecimento de que a Apple irá ‘marcar’ as músicas sem DRM com a conta do cliente da iTunes Store (através do email de cadastro), de forma que se alguém começar a jogar as músicas em redes P2P, fique fácil localizar a origem da mesma. Eu tenho absoluta convicção que em breve irão desenvolver algum crack para quebrar isso, até mesmo podendo ser incorporado a própria iTunes. Evidentemente que apenas os mais desinformados vão ser penalizados caso ‘mijem fora da bacia’.

Leave a Reply

preload preload preload