set28

Lançamentos da Amazon vão emparedar a Apple?

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/09/2011 às 12:21h

     Fonte de rumores e muita espectativa durante vários meses, o tablet da Amazon foi finalmente revelado numa apresentação que acabou agora a pouco em Nova Iorque. Não só o tablet foi revelado (e se chama Kindle Fire), como também toda a família de e-readers foi renovada. Mas isso, de alguma forma, vai impactar as receitas crescentes da Apple com o iPad? O que isso muda na sua vida?

     Começando pelos e-readers, eu sempre quis ter um Amazon Kindle. A leitura nele é extremamente agradável, especialmente se forem textos longos. Todos sabemos que o iPad não foi feito pra textos longos, ainda mais dependendo das condições do ambiente. É praticamente impossível usar o iPad num parque ou algo assim. É extremamente desagradável. Assim, os leitores de e-books tem um público cativo: quem gosta de ler em qualquer lugar e não apenas dentro de ambientes fechados. Eu ainda não comprei o meu porque o conteúdo em português não justifica tal investimento. Até leio em inglês, mas não seria agradável.

     Na apresentação, Jeff Bezos fez questão de tocar no ponto que não é apenas a Apple que revoluciona mercados (sem citá-la, claro). Quanto a Amazon lançou o Kindle, haviam muitas pessoas descrentes quanto ao seu sucesso. Muitas pessoas preferem o papel físico, seja do jornal, livro ou revista. Porém, as vendas cresceram muito nos últimos 4 anos e atualmente a venda de e-books já supera a de livros físicos na Amazon. O acervo também cresceu e passou de 90.000 há 4 anos para mais de 1 milhão. Ou seja, o Kindle tem força e acima de tudo, muitos fãs. É um produto muito bem aceito em seu nicho.

     Ao contrário de outras empresas, a Amazon não força o consumidor a comprar o seu equipamento para ter acesso ao conteúdo da loja. Existe versão do aplicativo para vários dispositivos. Você compra um vez e lê onde quiser, tudo devidamente sincronizado. Você pode começar a ler um livro no iPad e quando estiver no parque, sob a luz do sol intenso, pode sacar seu Kindle e continuar a leitura de forma muito fácil.

     Os antigos Kindle eram pequenos, mas como não possuiam tela sensível ao toque, vinham com um teclado que ocupava uns 30% do seu tamanho. O que a Amazon fez? Removeu o teclado, deixando o aparelho ainda mais portátil. O Kindle tradicional (com alguns botões na parte inferior) custará USD 79 e o Kindle Touch, com tela sensível ao toque, USD 99. Já se você quiser ter um dispositivo com acesso à internet grátis pelo resto da vida em mais de 100 países (inclusive no Brasil), o modelo 3G custa USD 149.

     Eu gostei dos novos modelos de e-readers, mas o que todo mundo tava esperando era realmente o tablet. O Kindle Fire tem tela de 7” IPS e processador dual-core (não se sabe ao certo o clock e nem a quantidade de RAM). Não foi dito nada oficialmente a respeito, mas é bem claro que a escolha da tela teve a ver com o preço. Quanto maior a tela, maior o custo e a Amazon, sabiamente, conseguiu colocar no mercado um produto bacana pela metade do preço do principal concorrente. Mas ae, muita gente vai dizer: “mas caramba, 7” é muito desconfortável, não gostei”. Já pensando nisso, a Amazon desenvolveu um novo browser que, segundo eles, vai otimizar muito a navegação, pois funcionará como uma espécie de proxy (o Opera Mini faz isso), analisando e formatando o conteúdo antes de exibí-lo ao usuário.

     O que eu achei? Claro, não é um iPad. Não tem todo o apelo da Apple, não é tão bonito quanto, tem a tela pequena, não tem câmera, GPS, etc. Mas custa a metade do preço! Muitos fabricantes tentaram vender seus tablets com preços similares ao iPad e quebraram a cara. A Amazon entendeu que preço é um fator muito importante para boa parte dos consumidores. Eu acredito que muito consumidor médio (aquele que não é geek) deve estar se perguntando: eu preciso mesmo de um iPad? Será que esse aqui (Fire) que custa a metade, não resolve? Ele tem acesso a internet, posso ler meus livros, ver filmes, jogar, é de um fabricante bastante conhecido (sem surpresas com os Xing Ling) e custa a metade do preço!

     Talvez eu quebre a cara com a minha previsão, mas eu acredito que esse produto vai fazer um enorme sucesso, especialmente para um público que não é o foco da Apple. Muito se diz sobre a Amazon estar fincando os pés no Brasil e espero que isso seja verdade. Imagino que, via Mercado Livre e similares, o produto vai chegar por aqui na casa dos R$ 750,00. Se a Amazon decidisse fabricar o produto por aqui (o que eu duvido muito), poderíamos chegar a uns R$ 550,00, o que seria bem interessante.

     Update 28/09/2011 13:05H => A Amazon fez uma pegadinha com os preços do Kindle. Todos os preços foram anunciados no modelo de publicidade. Quem não quiser ficar vendo anúncios vai ter que pagar USD 40 a mais, ou seja, o Kindle mais barato ficará USD 109, o Touch USD 139 e o Touch 3G USD 189.

Leave a Reply

preload preload preload