nov05

Motorola anuncia seu novo topo de linha: Moto Maxx

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/11/2014 às 13:01h

     Hoje cedo estivemos em São Paulo para a coletiva da Motorola, onde nos foi apresentado oficialmente o novo topo de linha da empresa, o Moto Maxx. Nosso colaborador Henrique Cunha pode brincar um pouco com o aparelho e, mesmo sendo um fã da Apple, gostou do que viu.

     Na semana passada a Motorola já havia apresentado um aparelho bem similar nos Estados Unidos, sob a marca de Droid Turbo. Como a marca é licenciada pela operadora Verizon, a Motorola não pode criar uma marca global para o aparelho, assim como fez com o Moto X, Moto G e Moto E.

     Apesar do Moto X ser um aparelho bem poderoso, muitos ainda sentiam falta de um aparelho realmente topo de linha da Motorola e essa lacuna foi preenchida com o Moto Maxx. As configurações impressionam. O smartphone vem com CPU Qualcomm Snapdragon 805 (4x 2.7GHz), 3GB de RAM, tela de 5.2” Quad HD (565 ppi), 21MP de câmera traseira e 64GB de espaço interno (52GB disponíveis pro usuário). Além de especificações impressionantes, o acabamento do aparelho consegue ser ainda mais surpreendente que o Moto X, possuindo um nanorevistimento de nylon balístico e kevlar.

     No final do mês passado, quando o aparelho “vazou” nos EUA, eu fiz algumas conjecturas sobre o valor dele aqui no Brasil. Sendo bem otimista: R$ 1.799. Realista: R$ 1.999. Pessimista: R$ 2.299. Ele acabou chegando por R$ 2.199, mas com várias promoções a R$ 1.999 parcelado ou pouco mais de R$ 1.700 à vista. Não é barato, mas pelo baita aparelho que é, tem um custo x benefício interessante.

     Eu sempre tive aparelho com cartão microSD de 64GB, pois não gosto de ficar controlando muito meus documentos, fotos, vídeos, cache de músicas do Spotify, podcast e afins. Quando resolvi abandonar aparelhos com microSD, adotando o Nexus 5 e o Moto X como aparelhos principais, penei um pouco pra me adaptar. Consegui sobreviver, fazendo algumas concessões (especialmente alguns jogos, que atingem quase 2GB), mas ainda sinto falta do cartão. É realmente uma pena a Motorola deixar isso de fora mesmo no aparelho topo de linha. Eu sei que isso é tendência e vários fabricantes vem retirando essa opção, mas o usuário perde muito com essa decisão, que era uma das vantagens da plataforma Android em relação a Apple, que costuma cobrar uma diferença de USD 100 pra cada “degrau de espaço extra”.

     Apesar do Moto Maxx ter um revestimento repelente a líquidos, ele não possui a certificação IP67, como o Sony Xperia Z2 e o Samsung Galaxy S5. Ou seja, ele não é a prova d’água. Pode parecer uma bobagem, mas depois que se tem um aparelho com essa característica, é complicado abrir mão dela, especialmente se você curte uma piscina. E, caso você não saiba, 25% dos problemas envolvendo smartphones tem relação com líquidos. Ou seja, um aparelho com essas características pode te salvar de algumas enrascadas.

     Outra coisa que decepcionou é que o Moto Maxx, diferente do Moto X, não está sempre lhe ouvindo. Ou seja, nada de “Ok Google Now” pra executar suas ordens. O aparelho é dotado de várias “funções inteligentes” do Moto X, mas essa em especial, não. Não consegui entender o motivo e me desagradou.

     Uma das melhores característica do gadget no entanto é sua bateria de longa duração. Segundo a fabricante, ela tem autonomia de 40 horas de uso moderado, ou seja, quase 2 dias sem precisar recarregar. E, caso necessite, em apenas 15 minutos na tomada, ele já está apto a mais 6hs de uso. Bacana, né? Mas eu ainda gostaria de uma recarga sem fio, coisa que aparelhos da Nokia já trazem há alguns anos.

     Estou com um boleto aqui do Moto Maxx, com um excelente preço (R$ 1.734 no Ricardo Eletro), mas ainda estou na dúvida se devo pagá-lo. É claro que o Moto Maxx é um ótimo aparelho, mas como o Moto X está dando conta do recado e tem esses “fatores ruins” que listei acima, não sei se vale a pena essa troca. Se eu resolvesse vender o Moto X, iria pegar uns R$ 1.000 nele (já que existem promoções dele novo por R$ 1.250). Ou seja, “perderia” quase R$ 750 nessa brincadeira.

     Update 06/11/2014 13:44h => Escrevi ontem que o Moto Maxx não teria o recurso de estar sempre ouvindo o usuário. Havia lido em algum review gringo do Droid Turbo que o celular não teria esse recurso. Porém, os leitores deixaram nos comentários que ele tem sim o recurso. Entramos em contato com a assessoria da Motorola e também com o Paulo Higa, do Tecnoblog, que já está com o aparelho e ambos confirmaram que realmente existe o recurso. Ou seja, menos um motivo pra eu deixar de comprar o Moto Maxx. Vou acabar pagando o boleto.

Leave a Reply

preload preload preload