mai27

O que está havendo com e-commerce no Brasil?

6 Comentarios »Postado por GordoGeek em 27/05/2011 às 13:12h

     Já tem alguns dias que quero abordar o assunto, mas como não quero alimentar muito a minha fama de #mimimizento, acabei adiando. Contudo, essa semana saiu uma notícia de que a justiça, em virtude de inúmeros processos contra a Americanas.com, havia proibido que a empresa fizesse vendas no estado do Rio de Janeiro. Hoje, eu leio a notícia de que o Ministério Público está indo atrás do site CompraFácil pelo mesmo motivo. Além dessas, outras também podem sofrer sansões parecidas. Ou seja, não sou apenas eu que estou com uma impressão que o e-commerce no Brasil está uma merda.

     O comércio eletrônico no Brasil está dando saltos de crescimento da ordem de 40% ao ano. Ou seja, as vendas vão muito bem, obrigado. Porém, as empresas por trás dos sites não estão investindo na mesma velocidade do crescimento. Assim, sem gente suficiente para processar os pedidos de forma adequada, todos trabalham num rítmo super acelerado, o ambiente ideal para que as merdas aconteçam. Pelo que eu li, tem gente que fez compra de natal na Americanas e ainda não recebeu.

     Alguns dizem que o Brasil é um país muito paternalista e dá muitos direitos aos consumidores. Eu discordo. Vamos supor que você comprou numa loja, deu algum problema, tentou de todas as formas, durante semanas, resolver com a loja e eles sequer respondem a email/ ligações. O que fazer? Bem, você vai perde seu tempo indo ao Procom. Eles irão entrar em contato com a loja. Se for caso de atraso, por mais que já tenha demorado, é normal a loja ganhar mais 30 dias pra entregar. Senão entregar, o Procom notifica a loja e marca uma audiência. Muitas vezes, a loja simplesmente ignora e o caso acaba na justiça.

     Na minha utopia, se eu tentei de todas as formas resolver com a loja e muitas vezes fui completamente ignorado, a loja já deveria sofrer algum tipo de sanção. Se o caso fosse ao Procom e a empresa simplesmente ignorasse os pedidos, outra sanção. Isso evitaria muitos processos indo pra justiça e o caso seria resolvido de forma muito mais rápida e barata (inclusive pros cofres públicos). Hoje, se a empresa ignora o consumidor e o Procom e o caso acaba na justiça, muitas vezes o cliente pede indenização por danos morais. É um tanto difícil o juiz acatar e quando acata, o valor é irrisório. E se o juiz aplicasse uma multa de 100 vezes o valor do produto? Duvido que as empresas não iriam investir, não deixando que o caso chegasse na justiça.

     Eu tenho absoluta certeza que o problema não é exclusivo da loja A ou da loja B. Não é só o caso de Americanas fazendo merda aqui e Submarino acolá. Empresas como a Apple, que tem um atendimento excelente lá fora, pisam feio na bola aqui no Brasil. Esses dias fiz um post sobre eu estar desistindo de comprar Apple aqui no Brasil (vou trazer de fora mesmo, foda-se) e choveu comentários de pessoas dizendo que também tiveram problemas. Eu duvido, que se a nossa legislação não fosse tão branda, isso aconteceria. Ou seja, o problema não são as lojas e sim o ambiente que foi instalado no Brasil, que propicia que o consumidor seja tratado feito lixo.

     Update 27/05/2011 13:32h => Essa semana eu recebi um spamzinho do Submarino me oferecendo produtos super baratos. Eu acabei comprando um pendrive e 8GB da SanDisk por R$ 2,90. Nem tava precisando, mas pelo preço… Quando o Submarino foi lançado, há uns 10 anos, eu fui um dos primeiros a me cadastrar. Comprava livros e CDs toda semana. Boa parte dos meu gadgets, como impressoras, monitores, palmtops e afins, foram comprados lá. Eu nem lembrava mais disso, mas como o histórico de pedidos deles mantém tudo isso disponível, acabei me surpreendendo com essas informações. Eu deixei de comprar lá em 2009, quando me mandaram um produto com defeito. Eu pedi a troca e trocaram. E a troca, adivinhem? Veio com defeito também! Pedi o cancelamento da compra e não quiseram fazer. Falei pra eles: “poxa, tem quase 10 anos que compro com vocês e agora, quando tenho problema, não vão me atender?”. Vieram com aquela historinha que são os procedimentos da empresa e tal. Não quiseram fazer. A partir dae, entrou na minha lista negra e não comprei mais nada lá. Pelo visto, essa semana, eles começaram a usar o CRM e devem ter disparado uma pesquisa por bons clientes (antigos e com várias compras) que deixaram de comprar lá. Por isso, as ofertas de pendrive por R$ 2,90 e similares. A entrega desse pedido foi super rápida (cerca de 3 dias). Mas ainda não sei se voltarei a comprar lá. Não tenho vocação pra ser tratado feito idiota e continuar dando lucro pra empresa.

Leave a Reply

preload preload preload