mar05

O que fazer com os gadgets antigos? Venda-os!

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/03/2013 às 05:34h

     Até bem pouco tempo, eu era incapaz de me desfazer de um gadget antigo. Era difícil cortar os laços dessa relação quase amorosa com um aparelhinho que foi meu companheiro fiel durante meses. Mas o que a gente pode fazer quando aparece uma nova versão e deixa a antiga no chinelo?

     No mês passado eu escrevi aqui no blog que gosto bastante de passar meus aparelhos de segunda mão para parentes e amigos próximos. Dei inclusive algumas dicas e cuidados que devem ser levados em conta quando passamos um gadget antigo para um familiar ou amigo. É relativamente comum a pessoa não limpar o aparelho como deveria. E não digo apenas fisicamente, mas especialmente, na parte de sistemas, apagando todos os seus dados.

     O que acontece muitas vezes é que a pessoa não dispõe de uma condição financeira favorável que permita que os parentes recebam mimos como iPhone, iPad, etc. E, em muitos casos, a venda do equipamento antigo é condição fundamental para a viabilizar a troca por um novo. Quando os familiares e amigos tem real interesse no aparelho, até se dispõe a pagar por ele. Mas não é incomum as pessoas terem que fazer negócios com desconhecidos.

     Quem me acompanha no Twitter sabe que eu troco de aparelhos com uma rapidez impressionante. E, graças a internet, eu consigo ter acesso a um monte de aparelhos, sem perder muito dinheiro (às vezes até lucro com isso). É muito raro eu comprar algo novo, assim que foi lançado. Claro que fico com uma vontade inacreditável, mas vejam o caso do meu smartphone atual, o Galaxy Note II. Quando ele foi lançado, custava a bagatela de R$ 2.199,00. Eu esperei três meses e paguei R$ 1.500,00 num em excelente estado. A mesma coisa se repetiu com o Galaxy S3, Nexus 7, etc.

     Pra quem tem uma rede de contatos pequena e especialmente mora no interior, tudo é mais difícil. Quem mora em cidades grandes geralmente tem maior facilidade para trocas. Porém, recentemente eu tô tendo uma experiência bem positiva trocando as coisas via internet. A oferta de sites de anúncios é imensa. Muitos deles não cobram tarifa alguma, seja do anúncio, seja da venda em si. Diariamente eu recebo emails de pessoas da minha cidade me oferecendo algum tipo de troca nos meus produtos. É importante que você faça um bom anúncio, colocando fotos recentes do produto, destacando as suas características (até mesmo o link para o site do fabricante), se tem interesse em trocas ou apenas venda, um custo aproximado do frete, etc. Também gosto de colocar quanto o produto custaria num site de varejo, novinho e quanto eu estou pedindo. Isso vai fazer com que as pessoas entrem em contato contigo apenas quando realmente tiver interesse, já que a maioria das dúvidas do produto em si, foram tiradas na descrição.

     Quem gosta de tecnologia sabe que as coisas acontecem numa velocidade impressionante e a desvalorização é algo real. Por isso, ao invés de vocês ficar acumulando coisas, porque não cadastrar o que não quer mais e tentar vendê-los? Se a desculpa era o preço do anúncio, bem, como eu disse, muitos não cobram nadinha por isso. Anuncios gratuitos em São Paulo pode te dar um bom exemplo de como as pessoas anunciam e que existe todo o tipo de coisa, não apenas gadgets. Pode ter certeza que “pra todo sapato velho, terá sempre um pé descalço”, ou seja, o que não te serve mais e está ae jogado num canto, juntando poeira, desvalorizando e correndo o risco de parar de funcionar, poderia estar sendo usado por outras pessoas. #FikDik

Leave a Reply

preload preload preload