ago30

O que fazer para não quebrar seu drone no primeiro voo

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 30/08/2017 às 01:23h

     Quando a DJI lançou o Mavic Pro oficialmente no Brasil, ele chegou pela bagatela de R$ 9.000,00 nos revendedores autorizados. Atualmente, você já consegue encontrar o Mavic por metade desse valor e o Phantom 3 Standard na casa dos R$ 2.000,00. Mesmo assim, não estamos falando de um “brinquedo” dos mais baratos e alguns cuidados são necessários antes de sair voando por ae. Esse post me baseando no Mavic Pro, porém, a maioria das dicas é válida para toda a linha DJI e também outros drones.

    Minha primeira dica pra quem compra um drone é ler esse outro post onde eu descrevo os trâmites burocráticos para voar um drone no Brasil. Sem isso, você pode dar o azar de ser pego numa fiscalização e perder o aparelho, além de responder um processo, o que não é nada agradável (e barato).

     Isso dito, acredito que 99,99% das pessoas que compra um drone, seja para recreação, seja para trabalho, ficam contando os minutos e olhando o tracking do pacote de hora em hora, pra conseguir por as mãos no bichinho e sair voando. Porém, todo esse entusiamo é um tremendo perigo, pois torna as pessoas negligentes e acabam pulando etapas importantes antes da decolagem.

     A primeira recomendação que dou para os droneiros de primeira viagem é carregar a bateria do drone, controle remoto e o celular que será utilizado para a visualização e apoio da operação. Isso porque, mesmo que sua intenção seja fazer um primeiro voo muito curto, podem ocorrer imprevistos e, sem experiência e sem bateria, as coisas ficam muito mais difíceis.

     Antes de ligar seu drone, verifique se ele não tem travas de segurança que precisam ser removidas. No caso do Mavic Pro, existe uma proteção de gimball, aquele sensor que estabiliza as imagens da câmera. É muito comum as pessoas esquecem de retirá-lo antes dos voos, o que acaba forçando o motor e, em muitos casos, danificando o cabo flat. Esquecer vez ou outra talvez não seja o suficiente para danificar o equipamento, mas é altamente recomendável amarrar uma tira de elástico, de preferência em cor bem chamativa (vermelho, laranja, amarelo, etc.) para lembrá-lo de remover a peça antes de ligar o equipamento. Isso mesmo, ligar e não voar. Pois logo que o drone é ligado, ele começa a fazer uma série de checagens e se tiver alguma trava mecânica ali, pode danificar seu brinquedo e já lhe causar um prejuízo de algumas centenas de reais.

     A respeito dos updates, que certamente irão surgir na tela do seu app, eu recomendo não fazer num primeiro momento. Esse tema é bem controverso e você vai achar as mais diferentes opiniões a respeito. Isso porque, geralmente, um update serve para corrigir problemas e melhorar o equipamento. Contudo, não são raros os casos que o update faz justamente o oposto e chega a danificar o aparelho. Dessa forma, pra quem está começando, não acho recomendável atualizar nada.

     É muito comum que as pessoas achem mais seguro fazer o primeiro voo em casa, seja dentro da casa em si, seja numa garagem. Isso é um erro muito grande, pois quanto mais coisas ao redor tiver (paredes, grades, árvores, etc.) maiores as chances de se perder o controle do drone, ele bater e danificar algo, seja uma hélice, o gimball, câmera, etc. Além disso, nos ambientes fechados, os sensores ficam muito prejudicados, especialmente o GPS. E, se o ambiente ainda não tiver o luminosidade correta, os sensores de barreira também serão afetados e não irão funcionar corretamente, o que pode facilitar colisões.

     Depois de ter toda papelada legalizando o drone no bolso, baterias carregadas, apps instalados e travas de segurança removidas, procure um local bem aberto, como um parque. Tenha o cuidado de escolher um ponto onde não tenham pessoas por perto e não coloque seu drone direto na grama ou terra, pois na hora da decolagem, as hélices irão movimentar o ar e alguma coisa pode ir pra dentro das partes sensíveis do aparelho. Leve consigo algum ponto de pouso, nem que seja um papelão velho. Caso queira investir num acessório existem diversas opções (como essa).

     Apesar de ser um evento extremamente raro, para que você não ligue seu drone e ele saia voando desembestado por ae (o que é muito raro, mas pode acontecer), eu sempre ligo primeiro o controle e só depois o drone. Alguns colegas dizem que isso é excesso de zelo, mas eu prefiro dessa forma. Recomendo que façam o mesmo.

     Uma vez que tudo estiver ligado, aguarde alguns segundos pra ver se o drone se conectou ao controle. Antes de decolar, verifique se todos os sensores estão funcionando bem (se estão verde na barra superior do app da DJI Go), especialmente os satélites. Se o indicador do controle ainda não tiver exibindo “GPS Mode”, aguarde mais uns segundos. Isso feito, você já pode pressionar o H para decolar. E, assim que o fizer, será alertado a opção RTH (Return To Home) estará gravando aquele ponto como o de decolagem.

     É muito importante escolher um bom local para voar. E, antes de efetivamente fazê-lo, olhar bem ao redor e identificar prédios, árvores, torres de transmissão de TV, energia, etc. Isso porque, na hora de configurar o RTH, ele vai te pedir pra definir uma altura na qual irá trabalhar. Ou seja, se você pressionar esse botão, se a bateria do drone ficar muito baixa ou se o sinal do controle sumir, o aparelho irá retornar ao ponto de decolagem. Porém, para ele não trombar em nada (como um prédio), é importante definir até qual altura ele irá subir antes de começar a voltar. Se tiver boa visibilidade e ele encontrar algo pelo caminho, a tendência é ele subir até superar o objeto e depois continuar o regresso. Mas, pra não contar apenas com a sorte, é bom definir um valor alto, como 70 ou 80m.

     Nos primeiros voos, contando que você estará num gramado, voando baixo e com o drone próximo (menos de 10m.), comece a testar as manetes de controle, lembrando sempre que quando o aparelho estiver “olhando pra você”, os controles ficarão invertidos. Ou seja, se você mandar ele ir pra direita, ele irá para a sua esquerda e vice-versa. Nesse vídeo do colega Lello ele passa alguns exercícios básicos, que parecem até bobos, mas recomendo fortemente que você os faça para dominar o controle do seu voador. Outro vídeo recomendado é o que explica o RTH em detalhes e na prática.

     Uma última recomendação que muita gente ignora é com relação a condições climáticas ideais para voos. Recomendo que você sempre planeje o voo com antecedência, vendo as condições metereológicas pelo UAV Forecast, seja via site ou pelos apps (tem para Android e iOS). Observe se os ventos estão adequados e tome cuidado conforme for subindo o drone, pois você pode ter ventos fracos a 10m. e quando subir pra 30m., eles estarem desfavoráveis, o que vai dificultar seu controle e a volta pro local de decolagem.

     Por fim, tenha cautela, respeite os limites definidos pela norma (120m. de altura, 500m. de horizontal, sempre a 30m. das pessoas) e bons voos.

Leave a Reply

preload preload preload