dez04

Pagou mais caro e o preço caiu. Pode devolver?

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 04/12/2013 às 00:24h

     Hoje eu fiz uma rápida pesquisa no Twitter sobre o tema desse artigo, pra confirmar uma teoria que eu tinha. Se você compra algo e, poucos dias depois, vê o preço desabar, qual sua reação? Acha justo tentar negociar junto a loja algum desconto ou deixa pra lá?

     Eu sou conhecido por ser “early adopter”, ou seja, comprar as coisas antes da maioria das pessoas. Se por um lado eu consigo satisfazer meu lado geek e por as mãos no produto rapidamente, não raramente, eu acabo tomando na cabeça. Seja porque aparecem problemas inesperados, seja por mudanças nas condições comerciais, etc. Vejamos o caso do Moto G, que eu descobri que ele não tinha o cliente VoIP/ SIP nativo e também era problemático ao instalar aplicativos fora da loja, via .apk. E o que dizer dos bugs recentes do PS4 e Xbox one?

     Voltando ao foco do texto de hoje, vamos falar de preço. No mesmo Moto G, eu tive problema quando comprei diretamente no site da Motorola, no dia do lançamento. Depois de fechar a compra, chegou um email dizendo que o prazo era de absurdos 21 dias úteis. Além disso, horas depois, varejistas começaram a vender o mesmo produto com prazo de entrega menor e muito mais barato. Imagina a minha raiva e frustração em “prestigiar” a empresa no dia do lançamento, no site oficial e me deparar com uma situação dessas. Lembro ainda o caso do Moto X, que quem comprou na pré-venda pagou R$ 1.799,00 e no lançamento foi pra R$ 1.499,00. Por sorte, a Motorola teve o bom senso de estornar os R$ 300,00 de diferença sem criar grandes dificuldades.

     Na minha pesquisa rápida ontem a tarde, cerca de 78% das pessoas disseram que não pensariam duas vezes em brigar pelo desconto. Até mesmo porque, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) é claro quanto a isso. O consumidor tem o direito de arrependimento de qualquer compra fora do estabelecimento (seja via internet, telefone ou porta a porta) em até 7 dias depois do recebimento (não é da compra, como alguns pensam). Ou seja, se você comprou algo por R$ 999,00 e no dia seguinte vê o produto por R$ 799,00, pode cancelar e comprar na mais barata. O bom senso mandaria a loja fazer como a Motorola e te dar o desconto, evitando cancelar um pedido e fechar um novo, mas nem todas as empresas pensam assim.

     De acordo com 22% das pessoas que interagiram, uma vez que elas compraram, estavam de acordo com aquelas condições comerciais e, se baixou, paciência. Alguns foram até mais enfáticos e acharam que pedir o desconto ou devolver o mais caro pra comprar o mais barato era falta de ética. Será?

     Como ouvi de alguns “essa mania de brasileiro de querer levar vantagem em tudo é horrível”, vou pegar um famoso caso nos Estados Unidos, aclamado por muitos como a terra prometida, onde tudo funciona, as pessoas são honestas, etc. Vocês se recordam de quando a Apple lançou o iPhone e semanas depois derrubou o preço de USD 599 para USD 399? O que a Apple fez (depois de alguma xiadeira, claro)? Deu um gift card pras pessoas que se sentiram lesadas. Forçadamente ou não, mostrou respeito com seu cliente.

     Tem coisas que são ilegais e outra são “apenas” imorais. A loja tem sim o direito a fazer a promoção que quiser. Assim como o consumidor também tem o direito de devolver se quiser. Porém, o bom sendo diz que a empresa deve respeitar o consumidor e fazer o máximo para fidelizá-lo, para que ele possa comprar mais numa loja que se sinta bem. Ao fazer uma promoção e excluir os consumidor antigos dela, a empresa está dando um verdadeiro tiro no pé.

Leave a Reply

preload preload preload