dez21

Por que os tablet XingLing são uma bomba?

13 Comentarios »Postado por GordoGeek em 21/12/2010 às 10:53h

     Há cerca de dois meses eu deixei a pergunta no ar: “Tablet barata com Android: vale a pena ou é roubada?”. Tentando responder a essa pergunta, que ouço diariamente, várias vezes pelo Twitter, parti para buscar um modelo com boas configurações e fazer os testes práticos. Semana passada, depois de uma longa e ansiosa espera, o produto chegou. Nesse artigo, deixei minhas primeiras impressões sobre ele e prometi testá-lo por mais alguns dias, afim de ter uma opinião mais abalizada a respeito. Nesse artigo, pretendo responder a outra pergunta que me fazem: “Por que os tablet XingLing são uma bomba?”.

     Apesar de ter preços muito atrativos, variando entre USD 100 e USD 200, os tablet genéricos, chamados carinhosamente pelo apelido de XingLing, despertam o interesse de muitos que acham um absurdo pagar o preço de um notebook intermediário num iPad ou Galaxy Tab. Mas quando estamos comprando um produto da Apple, Samsung ou qualquer outro fabricante mais conhecido (e respeitado) estamos apenas pagando pela marca, pelo status e pelo luxo ou estamos pagando pelo maior custo em pesquisa, componentes de qualidade, refinamentos e outros?

     Obviamente que o lucro da Apple com o iPad não é baixo. A empresa de Steve Jobs sempre mantém margens generonsas, geralmente na casa dos 40%. Contudo, se aproveitando do seu status atual, de uma das maiores fabricantes de gadgets do mundo, a Apple tem um volume considerável para exigir qualidade e preço dos seus fornecedores, além do olhar atento do exigente Jobs, recusando vários protótipos como se não houvesse amanhã.

     Eu ouço algumas pessoas criticando (e muito) o iPad. Boa parte delas são representantes de empresas concorrentes, então isso eu nem vou levar em consideração. Ontem por exemplo, a Motorola teria revivido a historinha do começo do ano, quando o iPad foi anunciado, dizendo que ele nada mais é do que um iPhone grande e a sua tablet, prevista pra janeiro, essa sim vai revolucionar. Oi?!? Como assim? Vamos olhar os últimos 5 anos: que produtos de sucesso a Apple lançou? E a Motorola? É como se o Manoel da padaria começasse a por defeitos no trabalho da NASA, dizendo que a exploração espacial é um fracasso e o futuro vai sair da mão do seu padeiro.

     Eu vejo vários fornecedores apostando em seus tablet como “iPad Killers”. Alguns eu até gostaria de testar, como o Galaxy Tab da Samsung, o PlayBook da RIM e o PalmPad da HP. Por serem empresas de mais tradição, acho que dificilmente eles lançariam um hardware vagabundo como esses genéricos chineses. Espero ver uma boa configuração de CPU, RAM, tela, etc. Mas o iPad não é só hardware. Afinal, hardware nem é muito o forte dele. Ele é um aparelho muito bem construído, com uma tela acima da média, mas sua capacidade de CPU, RAM, falta de saída HDMI, câmera e outros, podem ser facilmente superados por qualquer um desses fabricantes que citei. O que faz do iPad um sucesso é o que faz do iPhone um sucesso: plataforma integrada.

     A Apple vem trabalhando há muitos anos na plataforma iOS. O iPhone foi anunciado em 2007, mas desde o começo do ano 2000 que a equipe de Cupertino já pensava nele. A idéia era ter lançado um tablet antes do telefone, mas por questões de custo, o iPhone apareceu antes. Todo o projeto está vivo na cabeça de Jobs e sendo refinado em Cupertino a pelo menos uma década. Como empresas que estão trazendo seus produtos agora, por melhor hardware que eles tenham, esperando matar tudo isso?

     O iOS pode não ser o melhor dos mundos, boa parte por questões de “picuinha” da Apple, como seu extremo controle na Apple Store, sua briga com a Adobe e vários outros. Porém, é inegável que o sistema funciona bem e trás uma experiência muito boa ao usuário. O iTunes, que muita gente odeia, é um local onde você pode adquirir não apenas Apps, de maneira fácil e organizada, mas como também música, filmes, seriados, livros, revistas, etc. Claro que o Android Market tem coisas boas, como a possibilidade de se estornar uma venda, que seria muito bem vinda na loja da Apple, mas no geral, ele é uma piada. As coisas são uma bagunça! Qualquer um publica qualquer coisa lá, até programas maliciosas, o que pode não representar uma ameaça ao usuário avançado, mas para o leigo e intermediário, pode comprometer seriamente seu sistema.

     Eu não acredito que nenhum grande nome da indústria da tecnologia vá destronar o iPad (ou o iPhone) tão cedo. Eles podem até reverter o cenário no médio prazo, algo daqui há dois ou três anos, aprendendo com seus erros, mas realmente acho besteira pensar nisso logo em 2011 em 2012. E se eu não boto fé nos nomões, que dirá os XingLing, com seus hardware ruins e seu software cheio de remendos e customizações.

     No artigo anterior eu já tinha citado alguns pontos fracos do XingLing que testei, como a horrível tela resistiva, a ausência do idioma português, a falta do acesso ao Android Market e a falta dos botões frontais. Depois de alguns dias de uso posso acrescentar os inúmeros travamentos, mesmo quando o aparelho está em repouso. Não é incomum eu ter deixado o aparelho em stand-by e quando vou ligá-lo, ele simplesmente está travado, me obrigando a pegar um clipe fino e pressionar o reset. Outra coisa que irrita muito, é que se eu o deixo em stand-by, a bateria simplesmente se esgota em questão de horas, diferente do iPad. No XingLing, eu tenho que desligá-lo e toda vez que vou usá-lo, ligá-lo, dando um boot do zero, caso contrário, ele estará se carga.

     Poucas coisas esse tablet faz bem, entre elas, a execução dos vídeos em Divx. Rodou sem engasgos ou atrasos. A saída de vídeo HDMI eu não pude testar pois ele vem sem o cabo mini-HDMI e eu só tinha o convencional. Como estou muito descontente com o aparelho, nem me interessei em comprar tal cabo, pois seria mais um dinheiro mal gasto com algo que não vale a pena.

     Como vocês já devem ter concluído, eu detestei minha experiência com esse tablet XingLing e jamais recomendaria sua compra, em hipótese alguma, mesmo pra quem está com o orçamento limitado. Se for pra comprar algo ruim, melhor não comprar. Economize e compre um iPad ou qualquer outro tablet de uma marca conhecida, que mesmo que não seja maravilhoso, pra algo vai servir e não ficará jogado no fundo da gaveta, como esse meu provavelmente vai ficar.

     Se mesmo depois de ter lido meu depoimento, você ainda estiver querendo comprar, te desejo boa sorte, pois você vai precisar. Eu pesquisei muito antes de comprar esse, pois existem dezenas de opções. Escolhi um com uma configuração muito acima da média e deu no que deu. Imagina os inferiores, com menos poder de CPU, menos memória RAM, Android 1.6 e assim por diante… “Que a força esteja com você” e lhe impeça de fazer essa grande burrada.

preload preload preload