mar13

Quando o upgrade vira downgrade

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/03/2011 às 03:15h

     Deve fazer mais de 15 anos que eu “mexo” com hardware. Desde muito cedo eu montava meu computador, fazia upgrades, etc. Quando fui pros Estados Unidos em 1997, a primeira coisa que comprei foi um kit multimídia, que claro, eu mesmo instalei. Trocas de memórias, HDs e componentes internos eram muitíssimos comuns. Até que eu comecei a comprar computadores Apple, que não é lá muito fã de deixar o usuário fazer upgrades.

     Em 2007, logo que o iPhone foi lançado, fiquei encantado depois de algumas semanas com o telefone e virei fã da Apple. Acabei comprando um iPod Classic pouco tempo depois e no natal daquele ano, foi a vez do primeiro Mac, um Mac mini, em 12 vezes sem juros na Americanas.com. Sonho realizado, aquela máquina tão pequena e tão bela, fez meu amor crescer mais e mais pelos produtos da Maçã. Depois disso vieram MacBook White, MacBook Pro, outros iPods, iPhones, iPad, etc.

     Meu MacBook Pro atual já passou por 4 upgrades, sendo 2 de memórias e 2 de HDs. Apesar dele ser de 2009, com atuais 8GB de RAM e 1TB de HD, ainda é uma bela máquina. Já não podia dizer o mesmo do meu primeiro Mac mini, com meros 1GB de RAM e 80GB de HD. Faz muito tempo que queria fazer upgrade dele, mas eu morria de medo, pois como ele é minúsculo, as peças são todas muito apertadas. Ao passo que abrir um MacBook e trocar componentes simples como memória ou HD leva-se no máximo 10 minutos, no Mac mini é trabalho pra algumas horas. Só pra se ter idéia, pra abrir o bicho, não se usa uma chave Philips e sim uma espátula!

     Depois de todos esses anos pensando nesse upgrade, essa semana eu resolvi que faria. Comprei dois pentes de 2GB de RAM no Mercado Livre, estudei novamente os procedimentos e meti a cara. Se você não tiver todas as ferramentas necessárias, o procedimento complica ainda mais. No meu caso, eu tinha alguns, mas não eram os ideais. Isso já devia ter sido um alerta que alguma merda estava por vir.

     Consegui abrir a carcaça do Mac mini em cerca de 5 minutos, tomando muito cuidado para não danificá-lo. Existem vários ganchos plásticos que você precisa destravar com a espátula. Feito isso, vá forçando um pouco de cada um dos lados, até ele se abrir. Se você tiver uns cartões de crédito velho, podem ajudar no procedimento, pois conforme vai abrindo espaço nos lados, a tendência é que o Mac mini se feche novamente quando se tira a espátula. Os cartões servem pra dar uma escorada e não deixar a carcaça baixar novamente.

     Internamente, existem vários parafusos e cabos que precisam ser soltos, conforme constam nos procedimentos. Faça tudo com extrema cautela e não force mais que o necessário. Eu passei belos apertos ao tirar os cabos e depois para voltá-los. Infelizmente, nem tudo foi arrumado. Ao desconectar um dos cabos, coloquei uma força desnecessária e acabei estragando o conector que liga o cabo de som a placa. Tentei fazer a estupidez de colar com SuperBonder, mas nada.. O recomendável seria soldar tudo com muito cuidado, mas a merda já estava feita. O que me resta agora é procurar no eBay por uma plaquinha similar.

     A Apple vem aperfeiçoando muito o desenho de seus hardwares. Além de muito belos por fora, por dentro eles também impressionam. O iPad por exemplo, possui uma placa lógica extremamente pequena. Grande parte dele é tela e bateria. O circuito em si é ridiculamente pequeno. Se por um lado a miniaturização deixa tudo mais bonito, por outro, atrapalha nossa vida de hobbista que quer aumentar a performance do equipamento, sem gastar os tubos comprando o modelo mais atual. Upgrades são válidos, pois com pouca grana, tem-se um aumento de desempenho muito bom. Mas é necessária muita cautela, leitura do que se vai fazer, passo-a-passo e boas ferramentas.

Leave a Reply

preload preload preload