set 30

VPN gratuita permite o acesso a conteúdo restrito

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 30/09/2015 às 13:51h

     Conforme eu expliquei nesse outro post, uma VPN serve para muitas coisas. Como eu sei que muita gente não vai clicar no link pra ler, vou resumir: sabe quando você precisa acessar algum conteúdo e ele está restrito a outro país, como os Estados Unidos? Então, a VPN engana os servidores gringos, pois você vai acessá-los usando um IP americano.

     Existem dezenas de empresas que vendem serviços de VPN. Um dos mais conhecidos é o TunnelBear e eles tem uma extensão para o Google Chrome. O plano mais em conta deles é gratuito e permite trafegar até 1GB por mês. Não é muito, se você quiser ver seriados, mas é o suficiente caso você só precise ativar alguns serviços, ler notícias em texto, etc.

     Uma vez instalada a extensão, você pode se logar diretamente com a sua conta Google, sem fornecer sua senha. Basta autorizar o acesso e a conta estará criada. Ae, sempre que você precisar, basta clicar no ícone e ativar o recurso.

     A maioria das pessoas talvez precise de um IP americano, mas nesse plano gratuito também estão disponíveis conexões a partir de outros países, como Canadá, Inglaterra, Itália, Japão, Alemanha e outros.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
set 22

Como conseguir um número de telefone americano de graça

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 22/09/2015 às 22:07h

     Vez ou outra as pessoas me perguntam como obter um número americano de graça. Mas por que elas querem isso, você deve estar se perguntando? São vários fatores, mas os dois mais comuns são esses: primeiro para validar algum tipo de compra online, onde o fornecedor precisa ligar pro cliente e segundo pra validar algum tipo de serviço. Não é incomum os serviços fazerem essa validação “apenas” pelo emissor do cartão de crédito, mas isso é pauta pra outro post.

     Como essa pergunta é bastante recorrente, eu já escrevi algumas vezes sobre isso. Mas por que estou escrevendo novamente ao invés de só enviar o link do post anterior? Porque os métodos acabam mudando, especialmente em virtude da descontinuidade da oferta do serviço pelos seus respectivos fornecedores.

     A minha central de alarme iSmartAlarm (ainda não fiz post sobre ela) é um produto voltado ao público americano. Ela só tem app pra iOS, só pode ser baixado na App Store americano e, para criar a conta e conseguir configurar a central, pede um número americano. Como eu estava com meu chip da T-Mobile funcionando, recebi o SMS e validei o número numa boa. Porém, pra quem precisar ativar algo parecido, vamos a dica do post.

     Existe um serviço de iPBX bastante conhecido pra quem trabalha no meio que é o CallCentric. Ele fornece bastante coisa legal de graça, mas como o intuito do post é apenas conseguir o número, vou me restringir a isso no post. Outro dia voltarei aos recursos extras.

     Para ter acesso ao número americano gratuito, basta fazer o cadastro no site (totalmente gratuito) e depois ir até a opção “Receive Calls” no menu superior (aquele bem grande). Vai abrir uma nova página pra você escolher qual tipo de número deseja para receber as chamadas. Escolha “Free Phone Number” clicando em “Get a Number”. No momento, eles só estão com números gratuitos para Nova Iorque, nos Estados Unidos. Assim, escolha essa opção no menu da esquerda e vá até concluir a “compra”, que ficará no valor de USD 0.

     Você pode contratar vários números americanos gratuitamente. Eu te peço pra não sair fazendo “brasileirices” e contratando trocentos números que não vá usar porque, mais cedo ou mais tarde, o pessoal pode detectar esse tipo de atitude e descontinuar o serviço, o que vai ser ruim para todo mundo. Assim, use com responsabilidade.

     Finalizando, uma vez que você tenha contratado o número americano, será necessário criar um ramal no iPBX para receber essa chamada. Ele vai pedir login e senha. De posse disso, baixe algum softphone compatível com o protocolo SIP (sugiro o X-Lite que é gratuito), aponte pro servidor callcentric.com e use as credenciais do seu ramal. Pronto! Já tem seu número americano sem gastar nada.

     Infelizmente esse serviço da CallCentric não dispõe de um tipo de validação muito importante: SMS. Se você vai receber apenas chamadas de voz, o CallCentric resolve. Porém, se o seu caso são validações via mensagem de texto, recomendo o HeyWire. Na hora de fazer o cadastro, coloque que você mora nos Estados Unidos e informe um zip (CEP) de lá, como o 94103-1400.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
set 05

Alerta: guarde sempre os comprovantes de pagamentos

7 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/09/2012 às 08:16h

     Vou fugir um pouco do foco do blog pra dar um alerta pros nossos leitores, evitando assim, que muitos passem por dissabores, como eu e minha esposa passamos nos últimos dias. Acredito que todos aqui façam backup (#NOT), mas quantos de vocês guardam notas fiscais, comprovantes de pagamentos e outros? Bom, acredito que poucos se dão ao trabalho de arquivar tudo, seja em papel, seja via PDF ou algo semelhante.

     No dia 20/07/2009, decidimos (de última hora) acompanhar meus pais e alguns amigos que iriam para os Estados Unidos. Como meu visto havia vencido, eu precisaria renová-lo. Porém, se fizesse pelos trâmites normais, não conseguiria a tempo do embarque. Foi ae que me recomendaram o serviço da empresa Visto Geral, que é uma agência que consegue antecipar as entrevistas. Como eles fazem isso, não me perguntem, pois não tenho a menor ideia.

     Depois de enviada toda a documentação necessária, foi emitido um boleto e fizemos o pagamento do mesmo. Fomos pra São Paulo, tiramos o visto, fomos para os Estados Unidos e beleza. Bem, essa semana, mais de 3 anos depois do ocorrido, eu recebo uma notificação da tal empresa me cobrando pelos serviços que eu já havia pago. Como a gente costuma mandar os comprovante todos por email, tendo em visto que há tempos não pagamos mais contas na boca do caixa e sim de maneira eletrônica, corri pra procurar no email. Porém, na época, minha esposa usava uma conta do Hotmail. O problema é que ela deixou de usar, assim que aderiu ao Gmail e, como vim a descobrir da pior maneira possível, a Microsoft inativa a conta e apaga todo seu conteúdo após 270 dias sem uso. Ou seja, adeus tudo que tinha lá dentro.

     Como tínhamos certeza que o boleto havia sido quitado, ficamos indignados. Tivemos o maior trabalho pra procurar em outros emails, caixas e mais caixas de comprovantes, contas telefônicas pra achar o fax enviado e tudo o mais. Bem, depois de dois dias de pura agonia e tempo perdido, achamos o tal comprovante. Quando ligamos para a empresa, na maior cara lavada, nos pediram pra enviar o comprovante pra darem baixa. Agora imaginem comigo: supondo que uma empresa (não essa, qualquer outra), espere passar 3 anos de uma cobrança e depois comece a enviar, pra todos seus clientes, cobranças dizendo que a fatura não foi paga. De todos os clientes, quantos vocês acham que teriam condições de comprovar o pagamento? Eu acredito que muito pouco, ou seja, muitos teriam que pagar duas vezes a mesma coisa, gerando um enorme lucro fácil pra empresa, a custo do “descuido” do consumidor.

     Segundo o artigo 42 do código de defesa do consumidor, quando uma situação assim ocorre, a empresa tem que devolver o valor cobrado em dobro ao cliente. A lei nasceu justamente pra mostrar para as empresas que agem de má fé (ou simplesmente são desorganizadas) que não se pode enviar cobranças sem base para o consumidor. Claro, muitas empresas se negam a fazer isso, obrigando o cliente a procurar seus direitos no Procon e na Justiça, o que com certeza dá uma enorme dor de cabeça, mas aconselho fortemente que façam, pra inibir tal prática abusiva.

     Em resumo: guardem os comprovantes, seja em papel ou de maneira eletrônica, pois uma hora eles podem te tirar de uma tremenda fria. Sugiro inclusive o Evernote, que digitaliza as contas, facilitando a buscar por tags depois. O que nós passamos nesses dois dias, procurando o comprovante feitos loucos, de uma coisa que tínhamos certeza que já pagamos, eu não desejo a ninguém.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload