jun 28

Viajar com cartão de crédito ou cartão pré-pago?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/06/2012 às 00:56h

     Eu sei que alguns vão pensar “poxa, de novo esse alerta”, mas eu vou fazer em todos posts referentes a viagem pra evitar que nos comentários (como às vezes acontece) alguém venha me chamar de burro e dizer que o post foi uma porcaria, que não ajudou em nada, que eu quero me passar por sabichão e não sei nada, etc. Acreditem, por mais que eu faça os posts pra ajudar, ainda tenho que ler coisas desse tipo. Então, na tentativa de minimizar tais comentários, vou sempre colocá-los no início dos posts. Você, que já leu, pode começar sempre a ler do segundo parágrafo. Isso dito, lá vai: essa série de posts sobre a viagem que fiz são para compartilhar o pouco que sei e tais informações podem não ser as melhores alternativas pra você. Conto com os comentários dos leitores para me corrigirem e enriquecer o conteúdo.

     Muita gente, sabendo que eu iria para Nova Iorque, me recomendou usar os cartões pré-pagos. Supostamente, uma das vantagens desses cartões tipo Visa Travel Money seria a economia do IOF. No cartão de crédito, todas as suas compras internacionais pagam 6,38% de imposto, enquanto as nacionais, “apenas” 0,38%. E, sabe-se lá Deus porque, os cartões pré-pagos pagam “só” os 0,38%.

     Essa semana eu fui atrás dos cartões pré-pagos em diferentes bancos e corretoras. Cheguei até a fazer três cartões e colocar USD 100 de crédito em cada. Cito: Global Travel Card (Itaú), VISA Travel Money (Banco do Brasil) e VISA Travel Money (Multimoney Corretora). Além desses três que fiz, liguei pra mais de 20 lugares pra saber sobre os cartões oferecidos, as taxas de adesão, manutenção, saque, câmbio, etc.

     A grande maioria das empresas não cobra qualquer taxa para emissão ou manutenção desses cartões. A princípio, parece super vantajoso, pois você não paga taxa alguma*, pode transferir o dinheiro diretamente da conta corrente para o saldo do cartão, além de poder resgatar esse dinheiro de volta pra conta corrente caso não use. Caso queira manter o dinheiro lá, para uma próxima viagem, sem problemas, pois o saldo não expira.

     O problema é que, quando se começa a por tudo na ponta do lápis, a coisa não é assim muito vantajosa. No dia em que eu fiz a recarga dos cartões citados, a cotação do dólar comercial estava em R$ 2,05. Sabem que taxas foram cobradas nos cartões? R$ 2,17 em um, R$ 2,18 em outro e R$ 2,23 em outro. Ou seja, além da taxa variar, geralmente é muito alta e acaba por inviabilizar a maior vantagem dos cartões: fugir dos 6% do IOF.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
nov 06

Primeiras impressões do AZBox Bravoo+ HD

12 Comentarios »Postado por GordoGeek em 06/11/2011 às 22:45h

     Temos aqui no blog três posts que são campeões de audiência: o maior deles (disparado), com mais de 2.000 comentários, é sobre como desbloquear seu modem 3G. Os outros dois são focados em TV, sendo um deles um comparativo entre os serviços Sky, Telefônica e Via Embratel e outro sobre como ter acesso a canais pagos, sem pagar, o famoso Gatonet.

     O artigo sobre o gatonet foi escrito há mais de dois anos, em 25 de setembro de 2009. Na época, a técnica mais utilizada era quebrar a codificação do sistema Nagra II, utilizado pela Telefonica. Tal estratégia consistia em pegar os códigos atualizados em fóruns ligados ao assunto, colocar num pendrive e atualizar o equipamento. O procedimento devia ser repetido mais ou menos a cada duas semanas, quando a Telefonica, numa tentativa de coibir tal prática, atualizava os códigos. Contudo, eles eram quebrados, semana após semana, em poucos minutos e disponibilizados aos interessados. Isso só terminou quando a empresa finalmente atualizou os equipamentos dos assinantes para trabalhar com o sistema Nagra III.

     Como numa corrida de gato e rato, a briga não acabou por ae. Os hackers acabaram criando (pelo menos que eu tenha conhecimento) duas novas formas de ter acesso ao conteúdo que queriam sem pagar. Uma delas consiste no uso de duas antenas (SS – satellite sharing), uma ficando responsável por pegar o sinal codificado da Via Embratel e outro por pegar os códigos hackeados de outro satélite. A segunda técnica é chamada de cardsharing (CS) e apesar de precisar apenas de uma antena, exige que o aparelho em questão tenha conexão à internet, pois é dela que virão os códigos de desbloqueio. Vários hackers montam servidores de CS e costumam cobrar cerca de R$ 25,00 mensais para liberar os códigos que permitem acesso a programação da Sky.

     No passado eu fiz testes usando um aparelho dos mais simples, o Probox 530 Lite (tem um post curto sobre ele aqui). Caso você tenha esse aparelho (ou outro similar), ele perdeu sua utilidade com a mudança do sistema de codificação (Nagra III). Todavia, é possível dar nova utilidade ao decoder com o uso de dongles, aparelhos que permitem tanto a conexão com a internet, usando a técnica de CS, quanto a uma outra antena via porta serial, na técnica SS. Esses dongles costumam ser encontrados na faixa de R$ 170,00 no Mercado Livre.

     Dada essa breve introdução aos “não iniciados”, vou falar um pouco sobre o AZBox Bravoo+ HD, um dos aparelhos mais badalados nos fóruns especializados (ele funciona nas duas técnicas, CS ou SS). Ele pode ser encontrado no Mercado Livre ao custo aproximado de R$ 530,00. Como os produtos são utilizados para finalidades que violam direitos autoriais, é comum os links serem denunciados e o Mercado Livre cancelar o anúncio. Assim, muitos preferem não dar detalhes dos aparelhos e muitos anunciam o aparelho todo como sendo apenas um controle remoto.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
dez 06

Achei este artigo no MacMagazine e não pude deixar de posta-lo aqui! Eu tive uma experiência um pouco chata com o iPhone 3G devido a esta forma de desbloqueio que requer um SIM Unlock Card. Ainda mais que a gavetinha que armazena o chip do novo iPhone é muito diferente da antiga que era mais resistente, esta nova agora é de plástico e qualquer coisa marca ou ate quebra (o que aconteceu com dois iPhones daqueles brancos que postei aqui). Agora a USBfever lançou um SIM Unlock Card para iPhones com o firmware 2.2, o bacana desta solução é que você não precisa cortar o seu chip, e nao perde a garantia do aparelho, isso sem contar que com esta solução funciona o chip de qualquer operadora.

O chip custa apenas U$33,99 e o link voce encontra aqui.


TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload