nov 03

     Ontem a noite, no intervalo do Fantástico, vi uma propaganda das Casas Bahia sobre o iPhone 5c, parcelado em 24 meses. Infelizmente, ela não trazia o valor total do produto, o que caracteriza propaganda irregular, segundo a lei 10.962, artigo 9. Pior, abaixo das parcelas vinha o valor à vista (com desconto), o que induz o consumidor ao erro, já que o valor total parcelado ficará em R$ 1.896,00 e não R$ 1.487,00, como a peça dá a entender. Lamentável, pra dizer o mínimo.

     O vídeo acima (vinculado ao canal oficial das Casas Bahia) é similar ao da propaganda que mencionei, mas é com o iPhone 4S (o de ontem trocaram apenas o finalzinho). Como dá pra notar, é prática comum da empresa vincular propaganda irregular, já que também não mostra o valor total das parcelas.

     Alguns vão me dizer: “poxa GG, deixa de ser chato. foi um deslize.”. Você realmente acredita que um dos maiores varejistas do país não tem conhecimento que está infringindo a lei? Obviamente eles sabem, mas como a fiscalização é pouca ou inexistente e as punições idem, eles se dão ao direito de lesar o consumidor, tentando fazer um produto ser mais barato do que ele realmente é.

     Eu fiz a denúncia ao Procon via Twiter e eles me pediram pra oficializar através do site. Fiz isso e irei acompanhar a apuração. Minha recomendação é que, sempre que tiverem seus direitos violadas, também exerçam seus direitos de cidadão/ consumidor e não deixem barato. É fechando os olhos para “pequenos malfeitos” que colaboramos com a corrupção do país. Seja consciente! Seja responsável! Denuncie!

     Atualização 03/11/2014 12:23h => Ontem eu havia feito vários tweets copiando Procon e Casas Bahia. A pouco recebi resposta das Casas Bahia, tirando o dela da reta.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
out 09

Casas Bahia lesa consumidores com prática abusiva

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 09/10/2014 às 12:15h

     Eu não ia fazer um post sobre isso, pois já comentei no Twitter, mas como as Casas Bahia me ligaram a pouco, reiterando a prática abusiva deles, resolvi deixar o alerta aqui, pois da mesma forma que aconteceu comigo, pode acontecer com algum leitor e é um dissabor a menos pra ser evitado numa vida cotidiana já estressante.

     Em agosto minha esposa quis fazer umas mudanças no quarto das crianças e comprou um guarda-roupas (poderia ser um smartphone, tablet, TV, etc.) no site das Casas Bahia. Esperamos várias semanas e chegou o produto. Como ele foi comprado no site (e não na loja física) a montagem é por conta do cliente. Assim, pagamos a um montador certificado pra vir executar o serviço.

     Na hora da montagem, o profissional viu que havia uma peça rachada e algumas furações erradas. Quanto aos furos, ele mesmo deu um jeito. Já na peça com problema, ele deixou separado e pediu pra gente entrar em contato com a empresa. Quando trocassem a parte com defeito, era só ligar pra ele, agendar um dia e ele viria colocá-la no devido lugar.

     Fiz a reclamação, esperando que seria algo rápido, mas as Casas Bahia começou a mostrar, logo de cara, porque é uma empresa a ser evitada. Ao invés de vir e trocar apenas a parte com defeito, mandou dois funcionários virem desmontar tudo. Como eu já havia me desfeito dos móveis antigos, já que não tinha onde por, as roupas dos meus filhos ficaram todas no chão.

     A troca do produto levou mais algumas semanas e, quando a transportadora veio trazer, mandaram junto um documento pra eu assinar, dizendo que o produto foi aberto e conferido, pra não ter erro. Achei que estavam apenas querendo se assegurar que não veio outra peça com defeito, o que seria normal. Porém, o motorista foi orientado a não me deixar abrir o produto. Ou seja, eles queriam que eu assinasse algo, atestando que abri e conferi, sem que ele deixasse eu abrir e conferir.

     Como acredito que a Casas Bahia é uma empresa idônea e o transporte era tercerizado, tal prática podia ser da transportadora e não das Casas Bahia. Como bom cidadão, usei o Reclame Aqui para comunicar o fato a empresa. Eis que me liga uma pessoa da empresa (Cleide Santos) agora a pouco, afirmando que a prática é correta. Ou seja, assinar algo dizendo que foi aberto e verificado, sem deixar verificar, é correto do ponto de vista da empresa.

     Para o azar da empresa, eu não sou formado em direito, mas tenho uma noção básica e sei que isso é uma prática abusiva. Mas fico imaginando os milhares de clientes da empresa sendo submetidos a tal prática, atestando que receberam algo íntegro, que foi conferido por elas e, num eventual problema, podendo ter a troca negada, já que assinou que estava tudo ok.

     Talvez esse seja apenas um fato isolado e dei azar. Porém, como comuniquei a empresa e uma funcionária disse que essa prática é comum, deixo aqui o meu alerta. Se você pode comprar numa empresa que te respeita, vai comprar numa que viola seus direitos por que?

     Em tempo: a comunicar o Procon da prática das Casas Bahia, me informaram que é abusiva, art. 39, inciso V, do Código de Defesa do Consumidor. Eu não pretendo processar a empresa, pois sei que isso não vai me levar a lugar algum. Conheço bem o Judiciário Brasileiro e sei que vou gastar tempo, dinheiro e, no máximo, vão me devolver o meu dinheiro reajustado. Toda a minha raiva, indignação, as roupas das crianças semanas no chão, são um “mero aborrecimento” e devo me contentar com isso.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
preload preload preload