set 10

Como conseguir um e-sim da Claro pela internet

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/09/2021 às 07:39h

     Em virtude das inúmeras fraudes que acontecem no Brasil, a implementação do chip digital (e-sim) não foi feita da maneira mais intuitiva possível, como previsto pela Apple. Na cabeça da galera de Cupertino, o usuário faria tudo pelo próprio telefone, solicitando um novo número de forma rápida, dentro dos ajustes/ celular. Pena que por aqui não vingou.

     No entanto, com o surgimento da pandemia do COVID-19, as operadoras acabaram relaxando um pouco as regras de ativação de e-sim, que geralmente era feito apenas em lojas. A Claro, por exemplo, disponibilizou em seu site, uma página onde você contrata o e-sim sem ter que sair de casa. Infelizmente só funciona para novos planos pré ou controle.

     Há alguns dias o Correios Celular anunciou que também aderiu ao e-sim. Contudo, fiz um teste e comprei um chip no precário site da operadora. Recebi um email de confirmação, foi cobrado no cartão de crédito, mas nem sinal do meu QRCode para ativação. No email que recebi não consta nenhum link para verificar o status. Ao ligar no SAC, dizem apenas para aguardar.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 28

O e-sim no Brasil é o retorno do celular CDMA?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/01/2020 às 17:12h

     Ano passado eu aproveitei uma viagem até a capital de São Paulo pra ir até uma loja própria da Claro e fazer a migração do meu chip físico para o e-sim. Dessa forma, fiquei com duas linhas em meu iPhone XR, sendo uma da Claro (via e-sim) e outra da Vivo (pelo chip convencional).

     Recentemente eu troquei meu aparelho por um iPhone 11 e, ao tentar usar o mesmo QR code do cartão da Claro, houve falha na ativação. Tentei fazer o mesmo no iPhone XR, pra não ficar sem a linha e também não ativava. Ou seja, diferente do que o funcionário havia me falado, o código é descartável e não pode ser reutilizável.

     Ao ligar pra Claro pra tentar resolver a situação, cada hora me falavam uma coisa diferente. Assim, achei melhor ir até a loja deles na cidade e falar pessoalmente. Infelizmente, pro meu desgosto, me falaram que esse tipo de situação só poderia ser resolvido numa loja própria e por aqui (bem como na região) temos apenas autorizadas/ credenciadas.

     Depois de mil ligações pra Claro, interações via redes sociais, reclamação na Anatel, Consumidor.gov.br, etc. acabei desistindo do e-sim e indo até a loja na cidade pra comprar um chip convencional e resgatar a minha linha, pois não poderia ficar mais dias sem ela, uma vez que boa parte das autenticações via SMS chegam nela. Pra minha surpresa, me disseram que, por estar no plano Claro Flex, não teriam com me ajudar. Novamente, me indicaram a ir numa loja própria.

     Novamente em contato com a Claro, me falaram pra voltar na loja e comprar um “chip virgem”. Foi o que eu fiz e, novamente, me disseram que eles não vendem isso. Que eu teria que ir numa loja própria. A essa altura você já sabe pra que serve uma loja credenciada, né? Pra te mandar ir numa loja própria.

     Quando eu já tava quase jogando a toalha, lembrei que tem um chat dentro do app do Claro Flex e tentei pedir ajuda por ali. Fui instruído a comprar um chip pré convencional, desses que vendem em banca mesmo. Pensei que não deveria ativá-lo, pois uma vez que ele pegasse um número, seria impossível resgatar o meu. Mas segundo a atendente do chat, deveria ativar e só depois solicitar a mudança no chat. E, pela primeira vez, uma atendente sabia o que dizia e tudo funcionou. Finalmente tinha minha linha de volta.

     Muitas operadoras gringas fizeram a implementação do e-sim de maneira muito suave. Algumas até integradas ao próprio iOS. Outras, bastando baixar o app da operadora, fazer o cadastro, pagar e pronto. Infelizmente, no Brasil, talvez pela enorme quantidade de golpes (como o sim swap), as operadoras operaram por deixar tudo extremamente burocrático. E pior: não deram o treinamento adequado aos funcionários, então muitos não sabem do que estão falando, como o que me disse que eu poderia ativar novamente pelo QR code ou os que me mandaram comprar “chip virgem”, etc.

     Muitos leitores me passaram relatos que quase todas as operadoras não vendem e-sim em planos pré, como o Tim Beta, Vivo Easy e afins. Eles dificultam ao máximo. E, quando se reclama via Anatel e outros, acabam sendo orientados a ir numa loja própria e ae se resolve. O problema é que nem todo mundo mora num grande centro onde tem uma loja própria. Alguns até se dispõe a se deslocar pra outras cidades pra resolver o problema e, chegando lá, se deparam com a falta do produto em estoque. Ou seja, o que era pra ser um mero código pra por no iPhone, gerado pelo sistema da operadora, acabou virando um cartão físico que depende de estoque. Não faz o menor sentido!

     Apesar da tentação de ter dois planos no iPhone ser grande, depois de passar por todos esses perrengues, confesso que perdi o desejo e vou deixar pra lá, especialmente porque já ando com um outro aparelho Android mesmo. As operadoras brasileiras conseguiram implementar o e-sim de forma tão horrível que acabaram por transformar uma tecnologia nova em coisa comparável aos primórdios da telefonia com telefones CDMA.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
jan 28

     Diariamente me perguntam no Twitter como funciona o Claro Flex e se realmente vale a pena. Então, bora lá escrever um post pra indicar quando alguém me perguntar.

     Como a TIM tem o TIM Beta/ Beta Lab e a VIVO tem o VIVO Easy, que são planos pouco divulgados e focados mais na galera jovem da internet (praticamente nenhum atendente nas lojas de operadoras vai te sugerir esses planos), a Claro lançou no final de 2019 o Claro Flex pra concorrer nesse segmento.

     Eu fiz a adesão nas primeiras semanas e desde então venho utilizando o plano. Primeiro, optei pelo Claro Flex 10GB por R$ 49,99 e, ao ver que não tava usando nem 50% da franquia, acabei alterando pra 8GB por R$ 39,99. Aliás, essas são as 2 modalidades do plano. Não existe um outro com franquia maior. Mas acredito que para a maioria das pessoas, seja suficiente, uma vez que alguns apps, como WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram, Waze e Cabify não descontam da franquia. Além disso, tem minutos ilimitados pra qualquer operadora no Brasil todo.

     Para fazer a adesão ao plano é necessário estar no plano pré da Claro. Caso seja cliente de outra operadora e queira manter o número, terá que fazer a portabilidade. Caso seja cliente da própria Claro no pós ou controle, precisa cancelar o plano e voltar pro pré. Caso queira comprar um chip novo (com novo número) e começar do zero, basta ir numa banca, comprar o chip, ativá-lo no pré e depois fazer a adesão via app (Android ou iOS).

     Uma dúvida bastante recorrente é sobre o saldo que se tem no pré. Vai perder? Se você for cliente da Claro, não. O saldo vai pro app do Flex e as mensalidades serão abatidas deles até terminar. Uma vez acabado, cobrará no cartão de crédito cadastrado. Se for cliente de outra operadora e tiver que fazer portabilidade, ae perde.

     Boa parte da minha família tinha plano pós da Vivo, pagando cerca de R$ 120/ mês pra ter benefícios similares ao oferecidos pelo Claro Flex. A primeira a migrar foi minha irmã. Fui a loja da Claro com ela, onde ela pediu a portabilidade e já agendaram um dia para a migração. Ou seja, você não precisa ligar pra Vivo. No dia e hora combinado, o seu chip da Vivo vai parar de funcionar e sua linha será migrada para o novo chip que você pegará na loja da Claro quando for fazer a adesão.

     Uma vez que funcionou tranquilo a migração da minha irmã, outros membros da família acabaram migrando e hoje praticamente todo mundo está no Claro Flex. Então, pro nosso perfil de uso, acabou valendo bastante a pena. Mas será que é o plano ideal pra você? Bom, ae resta a você decidir, olhando os benefícios e o seu perfil de uso. Caso use muito pouco, talvez o Vivo Easy seja melhor. Se usa muito mais e precisa de 20GB, talvez o Tim Beta seja melhor.

     Ainda dentro da própria operadora Claro, eles tem o Prezão com 2GB (1GB do plano + 1GB de bônus na renovação) por R$ 9,99 por semana, o que dá o mesmo valor do Claro Flex 8GB por mês, mas no final de 4 semanas somam 12GB. Porém, a franquia é renovada toda semana e não acumula. Logo, se você tem um uso bem distribuído ao longo do mês, talvez seja mais interessante até que o Flex.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
out 24

     Se você é cliente de um plano semanal da Claro muito provavelmente está sendo vítima de uma cobrança indevida e nem se deu conta. Isso porque o sistema da operadora costuma debitar do saldo dos assinantes o valor referente ao pacote semanal (R$ 14,90 no Prezão) e em seguida um pacote diário (R$ 0,99). Parece pouco, mas num universo de milhares (ou milhões?!) de consumidores, isso dá um lucro extra considerável a empresa (deve dar até pra pagar a Anitta e Tiago Leifert).

     Todas as vezes que eu reclamo para a empresa, ela se dispõe a reparar o problema, me reembolsando do valor (R$ 0,99). Contudo, se eu deixo passar e não reclamo, o sistema não me reembolsa automaticamente, o que me leva a crer que tal comportamento faz com que milhares de clientes sejam lesados e nem fazem ideia que a operadora está se apropriando indevidamente do seu dinheiro.

     Eu estou há meses reclamando de tal prática junto ao SAC da empresa, bem como utilizando do Portal da Anatel e também do Consumidor.Gov.Br (ligado ao Procon). Também já fiz reclamações ao Ministério Público, mas a empresa simplesmente não muda o seu comportamento errático. Talvez, quem saiba, porque tal “erro sistêmico” lhe traga lucro e não o contrário. Acredito que se fosse o oposto, tal erro já teria sido corrigido em questão de poucos dias (ou horas?!).

     Se você é um cliente Claro com plano semanal, confira no seu extrato se tal cobrança equivocada está ocorrendo e, caso esteja, deixe seu comentário. Estou pensando seriamente em propor uma ação coletiva contra a operadora. Acredito que só dessa forma a empresa passe a respeitar os consumidores.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
ago 05

         É cada vez mais frequente você conhecer pessoas que estão cancelando suas assinaturas de TV e dando prioridade para outros meios de consumo de mídia, como Netflix, Amazon Prime e YouTube. Talvez seja porque a TV por assinatura é cara e a crise está pegando (o que faz com que as pessoas cortem custos), talvez seja pelo fato do mesmo programa ser reprisado inúmeras vezes ou ainda pelas propagandas irritantes de perfumes e sites de viagens aumentando consideravelmente. O fato é que os números divulgados pelas empresas e consultorias que acompanham o mercado indicam uma estagnação e em alguns meses até retração do mercado, o que muito preocupa as operadoras de TV.



         Num passado recente, a pirataria das TV por assinatura era feita através de aparelhos decodificadores que ficavam conectados a antenas e recebiam a programação como se fosse um assinante convencional. Porém, os mesmos quebravam a criptografia da operadora através de códigos que recebiam via internet ou através de uma segunda antena. Dependendo da região que você more, pode ser muito comum passar pelas casas e ver duas antenas de TV por assinatura, o que pode gerar um certo estranhamento do tipo “essa pessoa assina Sky e Claro?”. Não! Longe disso.

         O método de obter TV por assinatura pirata que está sendo mais utilizado no momento é o IPTV, que não exige um aparelho decodificador e pode levar mobilidade aos usuários, uma vez que funciona em praticamente qualquer PC, celular ou tablet. Além disso, funciona também em SmartTV e setup box vendidos a partir de R$ 120 em sites como o Mercado Livre. Assim, por um baixíssimo custo, as pessoas conseguem burlar a assinatura, dando um enorme prejuízo as operadoras.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
dez 30

Como fazer o plano de dados da Claro funcionar no iPad 3G

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 30/12/2015 às 14:52h

     Fiquei algumas semanas com um problema muito chato: não conseguia usar o 3G/ LTE do meu iPad. Primeiro achei que o modem tinha queimado. Mas ae tentei chips da Tim, Oi e Vivo, chegando a conclusão que o problema só ocorria mesmo com o chip da Claro.

     Procurei um monte no Google e não achei nenhum reporte de problema similar. Mexi um tudo que foi opção, mandando resetar configurações de rede, chegando até a formatar tudo, mas nada de conseguir arrumar. Pior que não dava erro algum ao abrir Facebook, Twitter, Chrome, etc. Só não funcionava. Ae eu resolvi abrir o Safari e me veio uma dica do problema.

     Não faço a mínima ideia do motivo, mas a Claro não autoriza o uso de um chip pré-pago padrão no iPad. O APN padrão bandalarga.claro.com.br não autoriza a navegação. Foi ae que o Everton Favretto apareceu com a solução. Ao trocar o APN por java.claro.com.br, passou a navegar numa boa.

     O problema infelizmente ainda não parece 100% resolvido, porque a Claro dá Facebook e Twitter de graça pros assinantes. Tudo que é consumido pelos apps oficiais, não conta na cota de dados e não é abatido do plano. Nos smartphones, aparece lá no topo “Facebook/ Twitter grátis só na Claro”. Porém, no iPad isso não aparece e a navegação está sendo cobrada. Assim, abri um chamado na Anatel e aguardo a Claro se pronunciar.

     Update 07/01/2016 14:27h => Depois de diversas ligações, a Claro me disse que para resolver a questão, eu teria que migrar meu chip pré-pago para um chip específico para tablet. Nessa modalidade, o chip iria funcionar apenas pra dados e perderia as funções de voz. Um tremendo absurdo!

TAG(s):
Categoria(s): Apple
dez 15

Vale a pena migrar da sua operadora para a OI?

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 15/12/2015 às 12:43h

     Há algumas semanas, TIM e OI lançaram novos planos com tarifas bem agressivas para falar com outras operadoras. Com isso, muita gente ficou na dúvida se vale a pena fazer a migração, mesmo que cada vez mais a tendência seja usar menos minutos e mais internet. Ninguém gosta de puxar o extrato e ver que pagou R$ 1,80 numa chamada de menos de um minuto pra outra operadora.

     Sempre fui usuário das três maiores operadoras: Vivo, TIM e Claro. Contudo, deixava sempre uma de principal e duas de backup. A principal ficava no meu telefone principal (recebendo recargas mensalmente e tendo um plano de internet também mensal) e as duas de backup eu fazia o mínimo de recargas possíveis, apenas pra manter a linha ativa e usava os serviços (geralmente internet) diários, quando a linha principal falhava. Eram usos bem esporádicos.

     Por muito tempo eu usei a Vivo como operadora principal, deixando TIM e Claro de backup. Porém, devido a queda acentuada de qualidade na Vivo, acabei rebaixando-a para backup e promovi a Claro para principal. Mas, tanto Vivo, como Claro, não possuem boas tarifas para falar com outras operadoras e isso era um enorme problema pra mim.

     Como meu plano da TIM era o Beta (100MB de internet por apenas R$ 0,50, o que dá R$ 1GB por R$ 5), acabei comprando um chip novo pra ativar o plano de R$ 7 por semana que dá direito a 150MB de internet, SMS ilimitados e 100 minutos pra falar com qualquer operadora no Brasil todo. Parecia uma grande oferta, mas a cobertura da TIM inviabilizou as coisas. Tentei durante longas 3 semanas e passei muita raiva, conforme relatei aqui nesse outro post. Assim, decidi fazer um teste com Oi, que até então, nunca tinha testado e não sabia da cobertura deles.

     Eu moro no interior e aqui não tem loja própria de nenhuma operadora. Só tem autorizadas, que geralmente só fazem serviços mais simples. Porém, nem isso a Oi tem aqui. Não sabia nem onde comprar um chip. Tentei em vários varejos da internet (como Magazine Luiza, Submarino, Americanas, etc.) e na hora de fechar a compra, dizia que o produto não podia ser enviado pro meu CEP. Ou seja, um primeiro passo nada simples, né? Sem o chip, sem serviço.

     Acabou que encontrei um chip pra comprar (infelizmente, nada de nanoSIM) numa farmácia. O chip custou módicos R$ 10 e veio já com o novo plano deles (que custa R$ 10 por semana) ativo. Logo, o chip acabou saindo de graça. Importante ressaltar que aqui na minha cidade, um chip geralmente sai por R$ 30 e não vem um bônus tão generoso quanto esse da OI. Recentemente tive que trocar chips da Claro e TIM, cada um saiu por R$ 30 e não ganhei nada de bônus.

     Uma coisa que muita gente não se dá conta é o seguinte: de nada adianta a oferta ser boa, se você não conseguir usá-la. Por que eu digo isso? A TIM tinha uma oferta excelente, mas a cobertura é sofrível. Quase nunca tem sinal e quando tem, fica em GPRS. Completar ou receber chamadas é um parto. De cada 7, 1 completa. Assim, não adianta migrar pra operadora e só passar raiva. O barato vai sair caro.

     A não ser que você já conheça muito bem os serviços da operadora que pretende migrar, jamais peça portabilidade do seu número pra ela, sem antes testá-la. Se não sabe como é o sinal onde você costuma estar, tente usar esse site da Anatel pra saber onde a operadora tem suas ERB (Estações Rádio Base), que nada mais são do que as antenas e os equipamentos que te conectam a rede delas.

     Depois de me lascar com a TIM, estava meio na dúvida se valeria a pena ir pra OI. Porém, como vi no site da Anatel que as antenas da OI geralmente estão próximas as da Claro e nesse, eu tenho bom sinal, era uma boa primeira impressão. Não é sempre que o sinal vai ficar igual, porque é algo mais complexo que isso. As operadoras podem usar frequências diferentes e isso vai afetar diretamente o nível do sinal. Além disso, uma operadora pode estar sobrecarregada numa determinada área e outra livre, o que também vai afetar a qualidade final do serviço prestado.

     Se você tiver um outro aparelho pra por o chip da operadora que pretende ir, podendo deixar ele ligado durante um período, sem afetar sua outra linha, é a melhor coisa. Assim, você faz um teste real, de pelo menos uma semana e vê como ela se comporta. Se sair tudo bem, ae você pensa em migrar, fazer portabilidade, etc.

     Caso não tenha outro aparelho, programe alguns alertas em seu celular (8hs, 12hs, 15hs, 18h e 21h) pra tirar o seu chip principal e por o chip da operadora que quer conhecer. Faça umas chamadas, teste a internet, etc.

     No caso da OI, eu achei bem interessante a proposta deles, pois como já disse mais acima, com R$ 10 você compra o chip e já tem esse novo plano ativo por 1 semana. Você terá 300 SMS, 400MB de internet e 75 minutos (pra qualquer operadora no Brasil todo) pra fazer o teste, sem precisar fazer uma recarga.

     O novo plano mais barato da OI custa R$ 10. Achei meio caro, pois são R$ 40 mensais e eu estava acostumado a por só R$ 25 por mês na Vivo ou Claro. Apesar do pacote ser muito bom, eu queria pagar um pouco menos. Eles poderiam ter um plano de R$ 7 por semana (o que daria R$ 28 por mês e não R$ 40), como a TIM e outras empresas tem. Mas se você pensar que vai ter 300 minutos pra qualquer operadora, mais 1.6GB de internet, 1.200 SMS e acesso a rede Oi Wi-Fi, parece troco de pinga.

     Outros planos da OI estão disponíveis aqui. O Controle (com obrigação mensal) mais vantajoso é o de R$ 44,90. Custa “apenas” R$ 4,90 a mais do que manter o semanal de R$ 10 e você ganha 2GB de internet (versus 1.6GB do outro). Se você fala pouco, tem o mensal de R$ 34,10 com 1GB de internet e minutos a parte (R$ 0,30 o minuto pra qualquer operadora). Pra quem fala mais, tem o que custa R$ 10 a mais e tem os mesmos 2GB, mas com o dobro de minutos (500).

     Uma coisa que achei estranho na OI foi a demora pra ativar o meu chip. Foram quase 8hs tentando usar, depois de cadastrar meu CPF e receber mensagem que estava sendo processado. Tive um problema parecido com a TIM também e esse durou quase 2 semanas. Então, 8hs é fichinha. Mas é algo incômodo pra quem quer comprar um chip e sair falando.

     A OI tem um site para os clientes consultarem os serviços, extratos, fazer recargas e afins. Ele é bonitinho e simples. Porém, os extratos disponíveis para a consulta são o dia atual menos 3 dias. Ou seja, se hoje é dia 15/12, só pode consultar até 12/12. Meio antiquado, né?

     A empresa também disponibiliza um app para celular, mas até o momento não consegui usar. Ele dá um erro e pede pra tentar mais tarde. Como contratei a linha tem menos de 24hs, ainda não consegui testar. Talvez nos próximos dias (ou horas) o sistema libere meu número.

     Uma coisa que eu detestei na TIM foi que não tinha como saber quantos minutos eu ainda tinha pra falar. Na OI, eles enviam um SMS quando você desliga a chamada, informando quantos minutos da sua franquia ainda tem. Além disso, se quiser saber essa informação (e outras, como o pacote de dados), basta ligar pra um número e receberá um SMS com todas as informações. Parece básico, mas na TIM eu não conseguia acesso fácil a isso.

     A OI tem nove opções de recarga, que vão de R$ 12 a R$ 200. No caso de R$ 12 e R$ 17, não tem bônus algum e os créditos são válidos por apenas 1 mês. Já nas recargas de R$ 20 e R$ 25, são válidos por 45 dias e você ganha um bônus de 100MB de dados. Com R$ 30, R$ 40 e R$ 50, também tem bônus de 100MB e os créditos duram 3 meses. Por fim, R$ 100 ou R$ 200 duram 6 meses e também tem o bônus de 100MB.

     O sinal da OI tem se mostrado muito melhor que o da TIM aqui pra mim. Claro, pra você pode ser diferente, então vale a pena consultar o site que passei e, quem sabe, comprar um chip pra testar na prática. Mas pra mim, aparentemente, resolveu o problema. Geralmente fica acima de 3 barrinhas no H+. Até o momento não tive nenhum problema pra receber ou fazer chamada.

     Já no uso de dados, aqui na minha cidade, nenhuma operadora tem 4G. Mas a Claro costuma atingir de 5Mb a 12Mb mesmo no 3G (H+). A TIM fica em torno de 1Mb, quando tem bom sinal 3G, o que é bem raro. Já a Vivo, anda uma lástima e não passa de 100kbps. A OI, tem oscilado de 300kbps a 3Mb, mesmo de madrugada, o que me deixou espantado, já que era pra ser rápido, uma vez que tem pouca gente usando.

     Estou cruzando os dedos pra OI manter a qualidade atual por muito tempo, pois assim vou conseguir parar com a putaria de múltiplos chips e ter uma qualidade mínima aceitável. Mas só o tempo dirá. Espero ter contribuído com as informações citadas e, se você é usuário da OI ou vai migrar pra ela, deixe seu comentário ae embaixo pra ajudar mais leitores.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
dez 10

     Depois de muitos anos usando a Vivo como operadora principal, acabei mudando pra Claro, pois vinha tendo muitos problemas de cobertura, qualidade de chamada e especialmente baixas velocidades de 3G (não passava de 100kbps) com a Vivo, mesmo no começo do ciclo da franquia, com muitos MB ainda pra estourar o limite. Cheguei até a tentar usar a Tim, por causa dos novos planos com tarifas muito baixas pra falar com outras operadoras, mas como vivo sem sinal ou fico no GPRS (sim, nem EDGE é), acabei ficando com a operadora vermelha mesmo.

     A Claro me trouxe melhor cobertura (geralmente 3 ou 4 barrinhas), qualidade de chamada melhor e um 3G acima de 5mbps na média. Além disso, tem o benefício deles não cobrarem pelo uso de Facebook, Twitter e WhatsApp. Assim, meu plano de 600MB por R$ 24,90 acaba durando muito mais, pois meu maior uso (redes sociais) não é incluso na franquia do plano de dados.

     Como nem tudo são flores, tenho duas chateações com a operadora. Quem me acompanha pelo Twitter já deve saber muito bem quais são. Primeiro, eles ficam enviando uma propaganda massiva, mesmo eu pedindo pra não receber nada. Segundo, não existe recorrência nos pacotes de internet, me obrigando a efetuar a contratação manual todos os meses. Vou explicar melhor porque isso é chato.

     Apesar deu já ter pedido inúmeras vezes pra operadora parar de me enviar propaganda, inclusive 3 delas via Anatel, ela insiste em fazer. Se fosse um simples SMS, eu já acharia chato e abusivo, pois não quero receber, mas seria menos problemático. O x da questão é que ela envia a propaganda nesse formato, onde a tela do celular se acende e a mensagem fica na tela. Um toque errado no botão (com o celular no bolso, por exemplo) e você contrata um pacote sem querer. Detalhe: a burrice (ou má fé) da operadora chega a tanto que, mesmo eu tendo usado menos de 10% da franquia contratada do 3G, eles querem me vender um plano diário de dados. Oi? Não tem CRM nessa empresa, pra saber que tipo de propaganda deve ser encaminhada pro cliente?

     O segundo problema é que os pacotes de internet (R$ 14,90 por 300MB e R$ 24,90 por 600MB) não possuem recorrência. Ou seja, você não contrata uma vez, todo dia X eles cobram e você vai usando. No dia do vencimento, o pacote expira e eles começam a te cobrar R$ 0,75 pelo pacote diário. Gozado que, mesmo o celular estando no Wi-Fi, se a opção de dados estiver ativa, a cobrança vai ocorrer. Chato, né? Mas tem mais.

     Se você contratou o pacote no dia 10, ele não expira no próximo dia 10 às 23:59h. Ele expira na hora da contratação, mesmo a informação do *1052# dizendo que é às 23:59h. Assim, se você ativou dia 10/11 às 20:10h, no dia 10/12 às 20:11h eles já te cobram os R$ 0,75. Isso ocorreu ontem comigo.

     Outro detalhe é que você não tem a opção de cancelar o pacote, dentro da vigência dele e recontratar logo em seguida, pra não ocorrer essa cobrança de R$ 0,75. A única opção possível é você configurar um alerta no celular, desativar a opção de dados e esperar o SMS dizendo que o pacote venceu. Em seguida você o contrata de novo. Eu sinceramente acho isso de uma burrice, que fico na dúvida se é realmente falta de bom senso ou uma dificuldade pensada pra justamente cobrar centenas de milhares de usuários nesses R$ 0,75. O que vocês acham? Burrice ou má fé pra lesar o consumidor?

TAG(s):
Categoria(s): Geral
set 24

O iPhone é o melhor smartphone da atualidade. Correto?

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 24/09/2015 às 17:52h

     Muita gente sonha em ter um iPhone, o dito “melhor smartphone da atualidade”, especialmente quem sofre com Android, Windows Phone e outros sistemas. É correto dizer que com o telefone da Apple, você paga mais caro (muito mais caro, diga-se de passagem), mas fica livre de dores de cabeças?

     Antes de despertar a fúria dos fãs da Apple nos comentários, pra quem ainda não sabe, sou usuário de Android e Windows Phone também. Já passei pelos mais diversos aparelhos, de vários fabricantes, tais como Motorola (Moto Maxx, Moto X 2013, Moto X 2014), Samsung (Galaxy S, S2, S3, S4 e S5, Note, Note 2, Note 3, entre outros), Sony (Xperia Z Ultra, Z2 e Z3), LG (Nexus 4 e Nexus 5), Nokia (Lumia 520, 535, 920, entre outros), etc. Ou seja, eu sei que alguns erros não são exclusividades da Apple. Meu ponto nesse post é justamente esse. Mostrar pras pessoas que o iPhone dá erro, alguns bem bizarros, como qualquer outro dispositivo eletrônico, uma vez que ele é muito endeusado como um “dispositivo mágico e revolucionário”.

     Pra não fazer um post gigantesco, vou resumir apenas o que aconteceu comigo na última semana, ok? Começando com a lentidão que observei no meu iPhone 6+ 128GB. Assim, resolvi limpar tudo e começar do zero. Reinstalei o iOS 9 via iTunes e tentei puxar o backup do mesmo. Porém, no meio, ele simplesmente parou. Provavelmente devia ter algo corrompido. Em resumo: tive que apagar tudo de novo e configurar tudo do zero, já que o backup estava imprestável.

     Logo que saiu o update 9.0.1, fiz a atualização OTA (direto do iPhone, sem iTunes). Na volta do reboot, ele não reconhecia minha digital no TouchID. Me pedia a senha de 4 dígitos, eu colocava e ele não reconhecia. Cada vez que eu supostamente errava, ficava alguns minutos sem poder mexer no aparelho. Por sorte, eu estava em casa, pois se estivesse na rua, estaria fudido. Assim, depois de vários sucessivos bloqueios, desisti de recuperar o que tinha no aparelho, entrei no iCloud e mandei limpá-lo remotamente. Tentei voltar o backup via iCloud mesmo, mas também corrompeu. De novo, me vi perdendo horas pra instalar e reconfigurar tudo do zero.

     Por fim, vou contar a história do vídeo acima. Cansado de sofrer com Android, resolvi pegar usar dois iPhones e não mais a dupla iPhone e Android. Voltei meu backup do iPhone principal no outro aparelho (igualzinho, ou seja, um iPhone 6+ 128GB topo de linha) e logo que tentei fazer uma chamada, deu erro. Fiz de tudo pra tentar usar o aparelho e nada, conforme mostro no vídeo.

     Como minha esposa usava esse aparelho e acabou perdendo-o, eu fiz um boletim de ocorrência e mandei bloquear o IMEI do mesmo. Porém, até eu dar o restore com meus dados, ele estava funcionando com o chip da T-Mobile. Mas, como podia ter algum resquício desse bloqueio, fui até as operadoras (Claro, Tim e Vivo), verificar. Segundo eles, não tem bloqueio algum. Me mostraram até a tela do sistema. No caso da Vivo, me deixou até fotografar a tela.

     Liguei no suporte da Apple, contei toda a história e lá também não consta bloqueio algum. Ou seja, não tá bloqueado por ninguém, mas não funciona. Qual o motivo? Até o momento, a Apple não sabe me dizer. Eles abriram um protocolo pra equipe de engenharia, que fica em Cupertino e nos próximos dias eu terei uma posição.

     Esse post é um puro e simples #mimimi que Apple é uma bosta? Não, amigos. Esse post é um relato dos vários problemas que me aconteceram, apenas na última semana, envolvendo o suposto melhor aparelho da atualidade. Ou seja, se você pensa em fazer um sacrifício e colocar mais de R$ 4.000 num telefone, porque ele é o melhor do mundo e você terá uma vida sem problemas com ele, pense duas vezes.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
ago 17

     Usar roaming internacional nunca é uma boa ideia, ainda mais em viagens longas. Compensa muito mais você comprar um chip de uma operadora local e ser feliz. Mas, em alguns casos, não se pode abrir mão do roaming, seja para receber chamadas/ SMS, seja para usar a internet até conseguir comprar o chip local. E ae? Como fazer?

     Hoje eu fiquei igual a um otário ligando na Claro pra tentar ativar o roaming, sem sucesso. Ligava no 1052 e, contrariando normas da Anatel, ninguém atendia minha chamada dentro de 60 segundos. Muito pelo contrário, fiz 3 chamadas com duração de mais de 20 minutos cada e ninguém me atendeu.

     Tentei ligar num número específico para o serviço de roaming internacional mas logo que atendia, vinha uma mensagem dizendo que o serviço era exclusivo para planos pós pagos (o meu é pré) e desligava.

     Por fim, eu tentei o chat da empresa. Fiquei quase 50 minutos aguardando ser atendido. Tinha mais de 110 pessoas na minha frente e o atendimento ia a passos de tartaruga. Quando finalmente apareceu um atendente, expliquei o caso pra ele e me informou que eu deveria ligar onde já tinha ligado. Expliquei novamente que já tinha ligado e não resolveu e, como ele só sabe seguir um script, ficou em looping, até eu encerrar o chat antes de mandá-lo para aquele lugar.

     Vendo a minha saga pelo Twitter, o Lucas me deu a dica que daria pra fazer pelo app. Dito e feito. Super simples e rápido, diferente do atendimento da Claro. Existe app para as plataformas iOS e Android.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload