mai 08

Pitzi: evitando um tremendo desgosto por R$ 20 ao mês

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 08/05/2013 às 11:53h

     Já tem algum tempo que conheço a Pitzi, cogitei assinar várias vezes, mas sempre ficava pensando: “pra que eu vou gastar R$ 20 por mês nisso? eu sou cuidadoso. nada de ruim irá acontecer com meu smartphone”. Mas amigo, Murphy está sempre atrás da gente, só esperando uma oportunidade pra lhe trollar. Mais cedo ou mais tarde, ele apronta.

     Há alguns anos, pagar R$ 1.000,00 num celular era um algo absurdo. Com o passar do tempo, foi se tornando aceitável e o valor dos aparelhos top foi subindo pra R$ 1.500,00, R$ 2.000,00, R$ 2.500,00 e agora um iPhone 5 64GB já bate R$ 3.000,00!!! A média dos aparelhos top com 16GB é R$ 2.499,00. Não sei vocês, mas eu acho isso absurdo e me recuso a pagar isso num celular, de qualquer fabricante, por melhor que ele seja. Espero uns meses, aparecem novidades, a depreciação ataca (especialmente no mundo Android) e você economiza fácil uns R$ 1.000,00.

     Já tem uns 2 meses que estou com um Galaxy Note 2 N7100. Estou adorando o aparelho, que tem uma tela gigante, CPU quadcore e 2GB de RAM. Além disso, turbinei ele com um microSD de 64GB. Não penso em trocá-lo em breve. Assim, resolvi não dar mole pro azar e assinei os serviços da Pitzi ontem. Deixei lá meus R$ 20,00 por mês e me garanti. Mas Murphy.. Ah Murphy, ele é um grande filho da puta.

     Depois de detonar inúmeros aparelhos, decidi relevar os fatos passados e comprei um Galaxy S3 pra esposa, que vinha sofrendo com um iPhone 4 todo detonado. O que aconteceu hoje, menos de 12hs depois de ter assinado a Pitzi pro meu Galaxy Note 2? Ela, não sabe como (mas garante que não derrubou – ahan, ahan), detonou a tela do S3. Ficou inteira quebrada, com o vidro grudado numa película, que eu usava pra não arranhar a tela. Imagina o meu desgosto! Se eu tivesse assinado o plano pra ela também, pagando R$ 18,00 por mês, agora eu estaria indo até os Correios enviar o S3 pra reparo e nem o frete pagaria, pois a Pitzi já inclui isso na mensalidade.

     Apesar desse post ter toda a pinta de ser patrocinado, não é. Bem que poderia, né? Mas eu queria alertá-los para esse risco que todos corremos, por mais cuidados que tenhamos. Uma hora ou outra você vai deixar o celular na mesa e algum imbecil vai esbarrar nele ou vai derrubar líquido, etc. Tudo isso, a Pitzi conserta pra você. É uma espécie de seguro, num valor super acessível, que só não cobre furto e roubo. De resto, seja o problema que for, eles reparam. Me arrependo amargamente de não ter feito isso pro S3 da esposa.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
dez 30

Reparando um HP TX 2000 danificado pelo calor.

Sem Comentarios »Postado por Pedro Alves em 30/12/2011 às 13:34h

Em 2008 realizei a compra de um notebook HP TX 2075BR. Ele foi meu parceiro de guerra durante muito tempo, até que eu conheci meu atual MacBook Pro no meio de 2009. Para quem não se lembra, esse foi o mesmo notebook usei em algumas tentativas de instalar um hackintosh algum tempo atrás (posts 1, 2 e 3). Como bom nerd, geralmente sou o fornecedor de tecnologia para aqueles ao meu redor e hoje ele é propriedade de minha noiva.

A linha TX de notebooks HP é de uma geração de tablets anterior ao iPad. Naquele tempo ainda parecia ser uma boa idéia pegar um notebook convencional, adicionar sensibilidade ao toque em sua tela LCD, uma canela stylus e colocar algumas firulas para chama-lo de “futuro”. Não nego que o estilo dos notebooks TX 2000 sempre me atraiu, mas toda a “maquilagem” adicionada pela HP foram responsaveis por trazer muita dor de cabeça aos donos desses computadores e, posteriormente, matou a produção dessa série, abriu as pernas com vontade para que o iPad chegasse roubando mercado e adicionou mais uma pedra no tumulo do setor de notebooks da HP.

Quase todos os problemas desses notebooks rodam em volta de um mesmo fator: calor. Essas belezinhas podiam ter estilo, mas aqueciam de forma ridicula. Chega a ser tão ridiculo que as ventoinhas da CPU ligam no máximo desde o momento do boot. Obviamente com o passar do tempo isso não pode ser benéfico para o hardware. Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Computadores, Dicas
mai 03

Meu Xbox/ Kinect gringo deu problema. E agora?

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 03/05/2011 às 13:45h

     Apesar de não ser um gamer, acabei comprando o Xbox no começo do ano em virtude do Kinect. O aparelho fez um enorme sucesso e ultrapassou a marca das 10 milhões de unidades vendidos em curtíssimo prazo, dando uma surra no iPad e entrando para o livro Guiness de recordes como o aparelho eletrônico de adoção mais rápida da história.

     A versão que comprei foi a Slim de 250GB e essa quantidade de HD tem se mostrado bem útil, pois já baixei mais de 200 demos na Xbox Live americana. No entanto, devo confessar que os jogos tradicionais não me encantam muito. Já comprei quase 10 jogos para o Kinect (e nenhum tradicional) e venho me divertindo muito, tanto sozinho, como com a família e amigos.

     Ontem eu fui jogar uma partida de tênis de mesa no Kinect Sports (meu vício atual) e notei que tinha algo errado. Os movimentos estavam pouco precisos e às vezes simplesmente parava de responder. Achei que o Kinect estava indo pras cucuias, pois esse comportamento já vinha ocorrendo nos últimos 3 dias. Ae veio a dúvida: o que fazer em caso de problema no Xbox ou no Kinect quando se comprou o produto lá fora? A garantia dele é mundial ou local?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
abr 10

Trocando um iPhone 2G com defeito na Apple Store

6 Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/04/2010 às 16:47h

     Quem me acompanha no Twitter sabe por quantas histórias meu iPhone 2G passou. Ele foi meu primeiro produto Apple, comprado no Stand Center em São Paulo, poucas semanas depois do lançamento, por absurdos R$ 2.200,00. Foi através dele que tomei contato com a Apple e dae em diante, fui comprando Mac mini, iPod, MacBook, etc.

     Sempre que compro um Apple novo, seja um iPhone, iPod, MacBook, etc., acabo ficando com dó de vender a versão antiga e repasso para a minha esposa. No caso do iPhone 2G não foi diferente. Contudo, todo carinho e zelo que um fã Apple tem com seus gadgets da Maçã, não se aplicam aos usuários comuns (como minha esposa). Em poucas semanas de uso (não me pergunte como), ela conseguiu quebrar o botão de power, fato que foi contornado conectando um cabo USB no mesmo, que ligava normalmente. Porém, meses mais tarde, nem isso resolvia e ele simplesmente morreu.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple
preload preload preload