set 10

Como conseguir um e-sim da Claro pela internet

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/09/2021 às 07:39h

     Em virtude das inúmeras fraudes que acontecem no Brasil, a implementação do chip digital (e-sim) não foi feita da maneira mais intuitiva possível, como previsto pela Apple. Na cabeça da galera de Cupertino, o usuário faria tudo pelo próprio telefone, solicitando um novo número de forma rápida, dentro dos ajustes/ celular. Pena que por aqui não vingou.

     No entanto, com o surgimento da pandemia do COVID-19, as operadoras acabaram relaxando um pouco as regras de ativação de e-sim, que geralmente era feito apenas em lojas. A Claro, por exemplo, disponibilizou em seu site, uma página onde você contrata o e-sim sem ter que sair de casa. Infelizmente só funciona para novos planos pré ou controle.

     Há alguns dias o Correios Celular anunciou que também aderiu ao e-sim. Contudo, fiz um teste e comprei um chip no precário site da operadora. Recebi um email de confirmação, foi cobrado no cartão de crédito, mas nem sinal do meu QRCode para ativação. No email que recebi não consta nenhum link para verificar o status. Ao ligar no SAC, dizem apenas para aguardar.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
abr 13

Como migrar para e-sim de maneira fácil na Vivo

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/04/2021 às 14:28h

     No mês passado a Vivo adotou um novo procedimento durante a pandemia, liberando seus atendentes a oferecer o suporte via WhatsApp. O usuário coloca sua cidade no site da Vivo e descobre com qual número deve solicitar o atendimento. Contudo, muitas lojas pelo Brasil fazem jogo duro para prover o atendimento, seja por falta de treinamento adequado, falta de recursos, etc. Contudo, tem uma loja da Vivo em São Paulo que resolve praticamente qualquer problema pra você.

     Depois de várias tentativas de conseguir migrar meu chip pré do Vivo Easy para o e-sim, me deram a dica que na loja da Vivo que atende pelo número (11) 97175-9023 eles fariam sem problema. Tentei e realmente me surpreendi. Eles pediram meus dados e deram início ao atendimento mesmo o meu chip sendo DDD 16.

     No caso do e-sim, o atendente vai lhe instruir a passar o número do IMEI do aparelho onde o e-sim ficará vinculado. Depois de alguns procedimentos, vai lhe enviar um link onde ocorre uma verificação de biometria e documentos. É tudo online e feito na hora. Em poucos minutos o sistema da Vivo valida sua identidade e autoriza o atendente a continuar o atendimento.

     Em tempo: um problema que eu tive e vi mais gente comentando é que após a migração para o e-sim, o aparelho fica com sinal apenas em 3G. Nesse caso, você terá que solicitar novamente ao atendimento via WhatsApp que eles façam uma “sincronização da linha”. O procedimento pode levar até 2 horas e depois disso o sinal 4G normaliza.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 28

O e-sim no Brasil é o retorno do celular CDMA?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/01/2020 às 17:12h

     Ano passado eu aproveitei uma viagem até a capital de São Paulo pra ir até uma loja própria da Claro e fazer a migração do meu chip físico para o e-sim. Dessa forma, fiquei com duas linhas em meu iPhone XR, sendo uma da Claro (via e-sim) e outra da Vivo (pelo chip convencional).

     Recentemente eu troquei meu aparelho por um iPhone 11 e, ao tentar usar o mesmo QR code do cartão da Claro, houve falha na ativação. Tentei fazer o mesmo no iPhone XR, pra não ficar sem a linha e também não ativava. Ou seja, diferente do que o funcionário havia me falado, o código é descartável e não pode ser reutilizável.

     Ao ligar pra Claro pra tentar resolver a situação, cada hora me falavam uma coisa diferente. Assim, achei melhor ir até a loja deles na cidade e falar pessoalmente. Infelizmente, pro meu desgosto, me falaram que esse tipo de situação só poderia ser resolvido numa loja própria e por aqui (bem como na região) temos apenas autorizadas/ credenciadas.

     Depois de mil ligações pra Claro, interações via redes sociais, reclamação na Anatel, Consumidor.gov.br, etc. acabei desistindo do e-sim e indo até a loja na cidade pra comprar um chip convencional e resgatar a minha linha, pois não poderia ficar mais dias sem ela, uma vez que boa parte das autenticações via SMS chegam nela. Pra minha surpresa, me disseram que, por estar no plano Claro Flex, não teriam com me ajudar. Novamente, me indicaram a ir numa loja própria.

     Novamente em contato com a Claro, me falaram pra voltar na loja e comprar um “chip virgem”. Foi o que eu fiz e, novamente, me disseram que eles não vendem isso. Que eu teria que ir numa loja própria. A essa altura você já sabe pra que serve uma loja credenciada, né? Pra te mandar ir numa loja própria.

     Quando eu já tava quase jogando a toalha, lembrei que tem um chat dentro do app do Claro Flex e tentei pedir ajuda por ali. Fui instruído a comprar um chip pré convencional, desses que vendem em banca mesmo. Pensei que não deveria ativá-lo, pois uma vez que ele pegasse um número, seria impossível resgatar o meu. Mas segundo a atendente do chat, deveria ativar e só depois solicitar a mudança no chat. E, pela primeira vez, uma atendente sabia o que dizia e tudo funcionou. Finalmente tinha minha linha de volta.

     Muitas operadoras gringas fizeram a implementação do e-sim de maneira muito suave. Algumas até integradas ao próprio iOS. Outras, bastando baixar o app da operadora, fazer o cadastro, pagar e pronto. Infelizmente, no Brasil, talvez pela enorme quantidade de golpes (como o sim swap), as operadoras operaram por deixar tudo extremamente burocrático. E pior: não deram o treinamento adequado aos funcionários, então muitos não sabem do que estão falando, como o que me disse que eu poderia ativar novamente pelo QR code ou os que me mandaram comprar “chip virgem”, etc.

     Muitos leitores me passaram relatos que quase todas as operadoras não vendem e-sim em planos pré, como o Tim Beta, Vivo Easy e afins. Eles dificultam ao máximo. E, quando se reclama via Anatel e outros, acabam sendo orientados a ir numa loja própria e ae se resolve. O problema é que nem todo mundo mora num grande centro onde tem uma loja própria. Alguns até se dispõe a se deslocar pra outras cidades pra resolver o problema e, chegando lá, se deparam com a falta do produto em estoque. Ou seja, o que era pra ser um mero código pra por no iPhone, gerado pelo sistema da operadora, acabou virando um cartão físico que depende de estoque. Não faz o menor sentido!

     Apesar da tentação de ter dois planos no iPhone ser grande, depois de passar por todos esses perrengues, confesso que perdi o desejo e vou deixar pra lá, especialmente porque já ando com um outro aparelho Android mesmo. As operadoras brasileiras conseguiram implementar o e-sim de forma tão horrível que acabaram por transformar uma tecnologia nova em coisa comparável aos primórdios da telefonia com telefones CDMA.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
preload preload preload