out 01

Extrato mensal de telefone pré-pago

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 01/10/2012 às 11:06h

     Com exceção a Vivo, todas as outras operadoras de telefonia móvel não disponibilizam uma forma fácil do cliente ter um acompanhamento do consumo da sua linha pré-paga. Mas você sabia que tem direito a receber em sua casa, gratuitamente, uma conta detalhada, como se fosse uma linha pós-paga?

     Infelizmente o procedimento não é lá muito fácil e não dá pra deixar agendado. Se você quiser, todos os meses tem que ligar pra central de atendimento da operadora e solicitar o relatório de consumo dos últimos 90 dias. Caso ela se recuse, basta recorrer a Anatel.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 27

Consumo volta a App Store remodelado

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 27/01/2011 às 09:35h

     O app Consumo teve uma aceitação incrível por parte dos usuários, uma vez que facilitou a informação, por parte do cliente Vivo, do seu extrato parcial de dados. O sucesso foi tanto, que a Vivo acabou bloqueando o acesso do aplicativo a seu sistema, como relatamos aqui dias atrás.

     O bloqueio forçou o desenvolvedor @Felipek a reescrever seu aplicativo, que agora comunica-se diretamente com o sistema da Vivo, sem passar por servidores intermediários. Dessa forma, é muito pouco provável que a Vivo volte a impedir o acesso dos clientes a suas faturas.

     Se você já é programador para a plataforma iOS, pode ajudar o projeto, auxiliando com melhorias, como a inclusão de outras operadoras. Se você quer começar e tem pouca experiência, pode aprender bastante vendo todo o código-fonte do aplicativo, disponível aqui de maneira open-source.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
jan 15

Vivo bloqueia app Consumo e desagrada usuários

34 Comentarios »Postado por GordoGeek em 15/01/2011 às 00:42h

     Recentemente vi algo bem interessante no Twitter, que gostaria de comentar por aqui e colher alguma opiniões. Assim, por favor, usem e abusem dos comentários nesse post. Lembro que os comentários são moderados, mas não censurados. Só não são publicados os posts ofensivos. Valorizamos a liberdade a opinião, mas não a putaria indiscrimida. Se for comentar, seja educado e tente expor seus argumentos, não a raiva através de xingamentos.

     Depois de muito tempo atrás de uma solução para saber o quanto realmente estava usando de dados na rede 3G, uma vez que programas como o Dataman e Download Meter não são muito precisos, o Felipe Kellermann descobriu um procedimento para se obter um extrato parcial do tráfego de dados pela operadora Vivo, da qual ele é cliente. Como ele sempre quis fazer isso, uma vez que viu a viabilidade, ficou extremamente animado e virou 3 madrugadas escovando bits até conseguir fazer um aplicativo para iPhone e publicar na App Store.

     Estive acompanhando o Felipe durante a sua maratona e sugerindo algumas coisas, inclusive a respeito de quanto deveria cobrar e tudo o mais. Se o aplicativo fosse meu, eu cobraria uns USD 2.99 e mais uma mensalidade, tendo em vista que o aplicativo em si é apenas uma porta de entrada dos dados. Como a Vivo não tem uma API para extração dos dados, não tem como o aplicativo ir diretamente na operadora pegar tais informações. Assim, é necessário que o iPhone se comunique com os servidores do Felipe, que processam toda informação, enviam pra Vivo, formatam de maneira adequada, desprezando todo o “lixo” e jogando a informação simples e bela no iPhone. Isso meus amigos, acreditem, consome muitos recursos, dae, a necessidade de uma cobrança mensal. Contudo, o Felipe não estava interessado em lucro, tanto é que, desde o início, ele idealizou o projeto como open-source, ou seja, o código-fonte do programa, seria aberto, pra quem quisesse estudar, modificar, aperfeiçoar e utilizar.

     Assim que o aplicativo Consumo foi publicado, pulou rapidamente para o topo dos aplicativos mais vendidos da App Store. Como disse anteriormente, a intenção dele não era aferir lucro, mas como existem custos de servidores envolvidos, ele decidiu cobrar USD 0.99 pelo aplicativo. O aplicativo fez tanto sucesso, até certo ponto inesperado, que a infra-estrutura que o Felipe havia preparado, logo sucumbiu. Rapidamente, ele foi atrás de uma infra melhor, que também foi insuficiente. Numa terceira tentativa, ele conseguiu deixar o serviço estável. Porém, poucas horas depois, a Vivo simplesmente “fechou as portas” para o aplicativo, impedindo que os servidores do Felipe consultassem as informações em seus servidores. Ao ser informado disso, rapidamente ele tirou o aplicativo da App Store, impedindo assim, que novos usuários comprassem o aplicativo e ficassem impedidos de usarem.

     O que me causou muito espanto e até certo ponto, indignação, não foi nem a atitude ridícula da Vivo, que além de não fazer um aplicativo do gênero, ainda impediu quem o fez, facilitando (e muito), a vida de seus próprios clientes, tendo em vista, o tamanho do sucesso que ele fez na App Store. Em todos os momentos, o Felipe sempre agiu de maneira honrada, visando não o seu bem, mas o coletivo, compartilhando uma idéia, administrando-a e fazendo-a tornar realidade. Ele agiu no mais puro espírito geek. Contudo, não demorou muito pra surgirem comentários maldosos, de que ele foi aproveitador e dae pra baixo. Eu, que estava ciente dos planos do Felipe desde o início, fiquei muito fulo da vida e corri para esclarecer o que realmente tinha acontecido, de quem era a culpa e tudo o mais. Infelizmente, mesmo expondo todos os fatos, alguns ainda insistiram nas opiniões equivocadas.

     Como sei que tem muitas pessoas leigas, vou exemplicar de uma forma “não tecnológica”. Imagine que você quisesse comprar um iPhone 4 e não estivesse encontrando em lugar algum, como aconteceu recentemente com a chegada do aparelho ao Brasil. Ae, o Felipe descobriu uma forma de localizar as lojas que tinham o iPhone a disposição. Ao invés dele ir lá, comprar o aparelho a X e revender a X+Y (que sinceramente, é o que eu faria), ele resolveu divulgar isso gratuitamente e ofereceu pra galera rachar a corrida do taxi, uma vez que ele também iria pra lá. Chegando lá, a operadora, que tinha os aparelhos, sem qualquer motivo claro, resolveu não vender o aparelho pra eles. A culpa é do Felipe, que só rachou o taxi com a galera, sem ter nenhum lucro com isso ou foi da Vivo, que tinha o aparelho (no caso, o serviço de consulta) e resolveu não entregá-lo?

     Só pra vocês terem uma idéia, se a Vivo fosse contratar uma empresa especializada em desenvolvimento para iPhone, pra fazer esse projeto, iria gastar, bem por baixo, uns R$ 50.000,00 iniciais e mais uma mensalidade de uns R$ 2.000,00, por pelo menos 12 meses. Agora vejamos, a Vivo não pagou nada ao Felipe. NADA! Pelo contrário, ele fez um aplicativo pra resolver o problema que ele tinha, quis compartilhar com a galera, sem intenção de lucro, divulgou o código pra quem quisesse ver e o que a operadora fez? Foi lá e bloqueou, sem dar qualquer motivo ou entrar em contato, prejudicando não só o Felipe, mas em especialmente a todos os clientes que fizeram do aplicativo um sucesso.

     Nos Estados Unidos, até mesmo a AT&T, que todos aqui conhecemos pela péssima reputação, tem um aplicativo oficial, onde o usuário pode controlar seus gastos e também contratar pacotes, diretamente no iPad. Aqui, a Vivo, além de não ter nada semelhante, não tem sequer o recurso de VisualVoicemail, presente no iPhone desde 2007!

     Me revolta ser tratado como idiota e pagar quase R$ 2.000,00 num aparelho que, lá fora, sem vínculo com a operadora (subsídio), custa quase a metade disso. Me revolta pagar as tarifas de telecomunicações mais caras do mundo e ter um serviço de merda. Me revolta saber que a operadora não faz nada pra facilitar a vida do usuário e ainda atrapalha quem tenta. E me revolta mais ainda, pessoas mesquinhas e sem a noção, acusarem injustamente quem quer fazer algo bom, de na verdade só queria tirar proveito de uma situação.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
preload preload preload