jan 16

Americanas/ B2W vendendo cabo Lightning pirata

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/01/2014 às 07:49h

     Já tem anos que recorro ao site chinês DealExtreme para comprar acessórios para smartphones e tablets. Já comprei inúmeras capas, carregadores, cabos e afins. Porém, as minhas últimas compras de cabos e carregadores não foram muito úteis, principalmente depois que a Apple implementou um recurso para detectar cabos piratas (não autorizados).

     Uma vez que comprar tais acessórios na DX seria jogar dinheiro fora, optei então em comprar na Americanas, uma loja virtual do maior grupo do varejo eletrônico do país, a B2W. O valor de etiqueta do cabo era de quase R$ 80,00, mas estava em promoção no saldão por 50%. Comprei dois, sendo um pro meu iPad e outro pro da esposa.

     Conforme dá pra ver no vídeo acima, logo que se conecta o cabo no iPad, ele dá uma mensagem, dizendo que o acessório não é compatível. Que não era da Apple, evidentemente eu já sabia. Porém, a empresa licencia a tecnologia para diversos fabricantes fazerem cabos compatíveis. O anúncio (e a caixa do produto) eram claros, dizendo que eram compatíveis. Ou seja, propaganda enganosa da brava!

TAG(s):
Categoria(s): Apple
nov 16

Motorola: apenas bons produtos não são suficientes

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/11/2013 às 22:19h

     Nos últimos meses a Motorola fez lançamentos muito interessantes em sua linha de smartphones. Alguns eu testei via assessoria, outros eu comprei. Na imensa maioria das vezes eu gostei dos produtos e recomendei a compra, como foi o caso do RAZR i, RAZR D1, RAZR D3, RAZR HD, Moto X, etc.

     Se por um lado a empresa vem marcando belos gols com os produtos lançados, por outro está pisando na bola em alguns outros aspectos. As críticas não partem apenas de mim, mas eu tenho visto muita gente comentando a respeito, sejam blogueiros, jornalistas ou leitores.

     Apenas pra me ater aos últimos lançamentos, vamos começar pelo tal update do RAZR D1 e D3. Na coletiva de apresentação dos produtos (março de 2013), a empresa bateu insistentemente na tecla que iria atualizar o Android dos telefones ali lançados. Até então, todos estavam achando que o próximo Android seria o 5.0 (Key Lime Pie). Porém, o Google resolver fazer updates menores, chamando-os de 4.2 (Jelly Bean), 4.3 (ainda Jelly Bean) e mais recentemente de 4.4 (KitKat). Bom, vários meses se passaram e nada de update. Infelizmente, isso é típico da Motorola. Vários usuários tem aversão a marca por causa disso. Como ela foi recentemente comprada pelo Google, que é a “dona” do Android, muito acharam que isso mudaria o cenário. Infelizmente, parece que não mudou e quem comprou o RAZR D1 e D3, ainda aguardam update.

     Em agosto, vimos ser anunciado o tão esperado Moto X. Muitos apostavam numa verdadeira revolução, que seria um produto muito poderoso e customizável. Eu gostei do produto, mas ele me decepcionou por não ter slot para cartão microSD, poucos comandos de voz em português (novamente, existe promessa de update pra melhorar isso), uma câmera não tão boa (de novo, updates prometendo melhoria) e a tal customização era apenas a possibilidade de mexer nas cores do aparelho e não no seu hardware em si. Aliás, essa possibilidade não veio pros usuários brasileiros. Seria legal, mas sinceramente até abro mão disso.

     Ainda no Moto X, a empresa colocou o aparelho em pré-venda por R$ 1.799,00. Alguns dias depois, quando ele começou a ser vendido, o preço caiu para R$ 1.499,00. Até onde eu li, a Motorola não dificultou a vida de quem havia pago mais caro e devolveu os R$ 300,00 facilmente. Mas, não deixa de ser uma bela pisada de bola. Pegou muito mal! Aliás, outra coisa que pegou mal foi a empresa pagar pra vários blogueiros e youtubers testarem os produtos. Até o próprio Google, dono da Motorola, não aprova tal prática. Eu achei estranhíssimo, já que o produto é bom e não precisa de ninguém sendo pago pra falar dele. Seria algo natural. Agora, muita gente lê um review e fica na dúvida: “será que é mesmo uma opinião sincera ou algo pago?”.

     Por fim, chegamos no mais recente lançamento da empresa, o Moto G. A empresa disse no anúncio que ele estaria a venda no mesmo dia. Eu fui um dos apressadinhos que correu pra comprar, conforme já falei anteriormente aqui. Mas qual não foi a minha surpresa ao ver o email de confirmação do produto dizendo que ele seria entregue em 21 dias úteis! Isso pra mim é pré-venda e não venda em si. Me senti um verdadeiro idiota! Comentei sobre isso no Twitter e a assessoria disse que houve uma demora na logística, realmente iria atrasar, mas provavelmente chegaria antes.

     Hoje (16/11) eu comecei a ser bombardeado no Twitter por promoções do Moto G. O modelo dual chip de 8GB, que custa R$ 699,00 na loja oficial, estava saindo por R$ 539,00, ou seja, um tremendo desconto! Mais a noite, o Submarino colocou o Moto G Colors (o que paguei R$ 799,00) por R$ 632,81. E sabe do pior? O prazo é quase a metade do oferecido pela loja oficial da Motorola. Me senti um completo idiota! É assim que a Motorola quer que o consumidor que prestigiou seu produto se sinta?

     Eu acabei comprando o produto em promoção no Submarino e até já recebi o email de confirmação. Certamente vou cancelar o pedido junto a Motorola, já que o Código de Defesa do Consumidor me dá o direito de cancelar uma compra via internet ou telefone até 7 dias depois de receber o produto. Como eles ainda vão demorar um mês pra me entregar, espero que seja mais fácil. Mas não duvido que vão me enrolar uns dois meses pra me estornar a compra no cartão.

     Pra finalizar, no dia que o site de vendas do Moto G foi ao ar, a aba de especificações nem sequer tinha conteúdo. Ao clicar nela, nada aparecia. Ao longo do dia, foram arrumando o site e complementando o que faltava. Sinceramente, foi de um amadorismo lamentável.

     Sinceramente não sei quem são os responsáveis por tantos erros que tiram o brilho dos bons produtos lançados, mas eu espero que alguém se dedique mais ao planejamento das ações comercias e de marketing, pois isso denigre a imagem da empresa.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
jun 26

Seu Chrome tá zoado? Youtube com erro 500 no upload?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 26/06/2013 às 11:12h

     Já tinha alguns dias que eu estava sofrendo com o maldito erro 500 no Youtube. Pra quem não sabe, esse erro é geralmente associado a um problema de execução do lado do servidor e não do cliente (usuário). No começo eu achei que fosse pau no serviço do Google mesmo, mas quando o pessoal comentou que estava normal, eu testei no Firefox e realmente abriu. No Chrome, nada…

     Depois de vários dias tendo que apelar pro Firefox toda vez que eu fosse acessar o Youtube pra fazer um upload, comecei a ter erro também no Gmail. Ae resolvi que já era hora de resolver isso de vez. Comecei a caçar na internet, fiz vários procedimentos e nada. Até que um deles, surtiu o efeito desejado. Infelizmente, o método é meio tosco e eu perdi meu histórico de navegação e cache, mas tive que abrir mão disso para finalmente resolver o problema e parar de xingar o Google.

     Primeiro você vai acessar as preferências, clicando em “Chrome” e depois “Preferences…”, tal como na figura 1. Lá em baixo, pra expandir as opções, clique em “Show advanced settings…”, como na figura 2. Um pouco mais abaixo vão aparecer novas opções na tela. Você deverá clicar em “Clear browsing data…”, seguindo a figura 3. Por fim, será aberta uma tela com algumas opções pra você marcar. Recomendo que deixe como na figura 4 e clique em “Clear browsing data”.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 14

Cuidado com o golpe do domínio .tk

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 14/01/2013 às 08:42h

     Às vezes eu tenho a impressão que sou a pessoa mais azarada do mundo. Tudo que pode dar errado, acontece comigo. Claro, como uso muito a internet, seja em diversos serviços ou fazendo muitas compras, a probabilidade diz que posso ter mais problemas do que quem usa menos. Mas é cada história…

     Há quase dois anos eu escrevi aqui no blog sobre hospedagem e domínios gratuitos. Na ocasião, mencionei os registros .tk. No final de semana passada eu decidi personalizar um domínio para criar um encurtador de URLs, de forma a customizar meu conteúdo e ajudar nas estatísticas. No dia 12/1 (sábado) eu contratei o domínio gg.tk e paguei USD 50 por 10 anos. Configurei o encurtador nele e comecei a usar.

     Agora a pouco eu recebi um email de estorno do Paypal, devolvendo meus USD 50. Achei estranho, pois geralmente isso acontece quando ocorre algum problema na transação e o comprador (no caso, eu) peço o reembolso. Não foi o caso. Estava tudo funcionando perfeitamente, com boa aceitação dos leitores, me dando as estatísticas que eu queria, etc.

     Preparados para a maior bizarrice dos últimos tempos? Entro no meu painel de controle da empresa de domínios e o registro gg.tk havia sumido. Quando eu solicitei novamente o domínio, quiseram me cobrar a módica quantia de USD 2,000 por 2 anos. Ou seja, há dois dias eu paguei USD 50 por 10 anos (USD 5 por ano) e agora querem me cobrar USD 1,000 por ano!

     Por sorte, tem apenas dois dias que estou usando o domínio. Já encurtei algumas coisas, divulgando no Twitter, Instagram e outras redes sociais, mas dos males o menor. Agora imaginem se eu já tivesse usando o domínio há mais tempo e resolvessem me tomar o domínio de maneira arbitrária, sem qualquer aviso ou explicação, me cobrando um “resgate” desses pra voltar a usar algo que já era meu, pois eu havia pago por ele.

     Se o processo tivesse sido feito por um empresa no Brasil, como alguns já devem me conhecer, a essa hora eu já estaria com o protocolo da Anatel e Procon em mãos. Porém, como essa empresa fica no .. do universo, não tem muito o que ser feito. Claro, procurei o ICANN, que são os responsáveis pelos domínios na internet, registrei uma queixa e vamos ver se podem por um pouco a pica na bunda desses caras, pois achei uma sacanagem sem limites, mas não tenho muita esperança de que algo aconteça.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 04

Cadê o review comparativo entre Kindle e Kobo?

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 04/01/2013 às 21:57h

     Pouco antes do natal eu comprei um Kobo na Livraria Cultura. Depois de vencido o prazo de entrega, entrei em contato e me disseram que não tem previsão de entrega. Curioso, já que, quando comprei o produto, era clara a indicação no site que tinha o produto em estoque. Me recordo claramente disso pois modelos de outras cores, não tinham.

     Achei uma profunda falta de respeito para com o consumidor os caras saberem que não tem o produto em estoque, vender, depois ficar enrolando pra dar uma satisfação. Se eu não tivesse reclamado, ficaria esperando o produto chegar até quando?

     Quem me conhece sabe que eu sou bem cricri e isso não vai ficar assim. Na segunda-feira irei reclamar no Procon e vou abrir processo no Juizado Especial Civil, pois quero ser indenizado pela palhaçada. Aliás, como de praxe, já fiz a reclamação no site ReclameAqui, para que outros consumidores não caiam nessa roubada.

     Faz quase 2 semanas que venho anunciando no Twitter que comprei o produto pra fazer o review comparativo com o Kindle, todos os dias as pessoas me perguntam a respeito e, devido a extrema incompetência da Livraria Cultura, meu trabalho foi prejudicado. Assim, peço desculpas por não poder cumprir a promessa feita.

     Acredito que meu caso pode ficar de lição pra quem tava na dúvida entre Kindle e Kobo. O Ponto Frio me pediu 5 dias pra entregar e entregou em 2. A Livraria Cultura pediu 12 dias, não entregou e nem teve o cuidado de me avisar. Tremendo #fail

TAG(s):
Categoria(s): Geral
set 25

Algumas pisadas de bola da Samsung

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 25/09/2012 às 13:06h

     Já falei bastante aqui no blog e no Twitter sobre a Samsung. Tenho vários aparelhos da marca, como o Galaxy Tab tradicional, Galaxy Tab 2, Galaxy S, Galaxy X e Galaxy S3, além de já ter tido vários outros, como Galaxy Note, Galaxy Tab 10, etc. Apesar da minha fama de Apple fanboy, tô mais com cara de Samsung fanboy. Porém, nem tudo são flores nessa relação.

     Eu já havia decidido fazer esse post na noite de ontem e hoje pela manhã vi uma notícia que reforçou o meu desejo. Foi descoberta uma falha gravíssima em aparelhos da empresa que rodam a interface TouchWiz, aquela customização nojenta que já foi tema de post aqui ainda esses dias. Ou seja, além de piorar a experiência como um todo, ainda coloca o usuário em perigo.

     Um problema bastante recorrente nos fabricantes de aparelhos Android é a demora na atualização dos dispositivos. Aliás, um dos motivos pra tanta demora é justamente o monte de lixo que eles colocam em cima do Android disponibilizado pela Google. Com isso, muitos usuários acabam apelando pra formas alternativas de terem a versão mais recente do sistema rodando em seus smartphones. Muitos dos procedimentos não são fáceis e alguns até causam perda da garantia. Mas o que fazer se a empresa promete o update pra dia X, passam-se meses e nada?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android
set 02

A Motorola está fazendo tudo errado (de novo)

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 02/09/2011 às 23:53h

     Você costuma cumprir com a palavra? Bem, ao que tudo indica, parece que a Motorola não. A empresa alardeou aos quatro ventos que iria soltar updates do Android para alguns aparelhos, assumiu um compromisso com seus clientes e os deixou na mão. Isso, por si só, já seria algo “muito feio”, pra dizer o mínimo. É uma quebra de confiança na relação com o consumidor. Agora imagine você, tentando de todas as formas fazer com que ela cumpra com o prometido. Nada mais. Você só quer o que foi combinado. Sem resposta da empresa, você perde tempo (e dinheiro), processa a empresa, ganha, mas não leva. Como você se sentiria?

     Ontem, quando eu soube que a Motorola havia sido processado (e perdido a causa em primeira instância), eu fiz algumas especulação no meu Twitter. Imagino que customizar uma versão de um Android para um determinado aparelho não seja nada barato, caso contrário, a empresa já o teria feito. Assim, ao invés de investir tempo de uma equipe nisso, seria mais fácil a Motorola tentar um acordo, oferecendo um aparelho mais moderno ao cliente. Correto? Isso seria bom senso. Mas a Motorola não tem ideia do que seja isso. Hoje, ela divulgou uma nota dizendo que irá recorrer, uma vez que o aparelho em questão só não recebeu o update pois não teria capacidade de suportá-lo. Bem, vamos analisar isso.

     Primeiramente, como fabricante e participante do consórcio do Android, se a empresa não tem condições de saber se determinado aparelho terá ou não condições de receber um update futuro, não deve prometê-lo. Isso, novamente, é bom senso. Se a empresa promete, tem que cumprir. É premissa básica. Se ela não tem condições de garantir, haja com honestidade e não prometa. Todos concordam?

     Segundo (e mais gritante) é o fato que o mesmo aparelho, comercializado lá fora com outro nome, recebeu o tal update há meses. Ou seja, por que diabos a versão nacional, que tem as mesma configurações da versão gringa, não teria condições de rodar com a versão do sistema prometido?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android, Geral
set 02

Magazine Luiza vai me dar um iPad de graça

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 02/09/2011 às 14:53h

     Minha esposa vive reclamando que tal site não abre no iPad dela. Eu sei que existem alguns “artifícios” (leia-se gambiarra) para contornar o problema, mas não é a mesma coisa que ter algo nativo. Por isso, em junho desse ano, decidi comprar um Motorola Xoom para presenteá-lo no dia dos namorados. Nos vídeos, ele parecia ser bem bacana. Porém, na prática, ele é um grande abacaxi, pois o Honeycomb que vem com ele é todo bugado e a quantidade de aplicativos feitos pra ele na Android Market é uma piada. Assim, não me restou outra alternativa senão devolvê-lo (claro, dentro do prazo garantido por lei para compras feitas via internet, que é de 7 dias).

     Eu fiz o pedido de devolução no site do Magazina Luiza, que aproveito pra dizer, não se comporta muito bem no Mac com alguns browsers, por culpa do uso intenso de ajax que eles fazem. Acabei tendo que ir numa máquina Windows para completar o procedimento. Recebi o número de protocolo e fiquei aguardando contato. Alguns dias se passaram e nada do contato. Comecei a reclamar no Twitter e como é muito comum hoje em dia, alguém entrou em contato comigo para resolver. Confesso que demorou alguns dias para resolverem, mas acabaram resolvendo. Algumas semanas depois estava resolvido e o valor estornado.

     Apenas para posicionar quem não sabe, dia dos namorados é em junho. Bem, ontem, minha esposa passou no supermercado, como de costume e ao tentar pagar a conta com o cartão, foi recusado. Chegou em casa p. da vida e quando entrei no site da administradora pra ver o que tinha acontecido, o limite estava zerado. Fiquei sem entender e abri uma reclamação no banco emissor (HSBC). Hoje eu voltei a entrar no site e para a minha surpresa, lá estava o Magazine Luiza me cobrando novamente o produto devolvido em junho. Parece que alguns estagiário resolveu fazer caquinha.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
ago 24

Minhas [péssimas] experiências com o UOLHost

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 24/08/2011 às 13:35h

     O UOL é uma das empresas mais antigas da internet brasileira. Ela foi fundada em 1996 e ao contrário de muitas empresas que surgiram naquela época, ela sobreviveu a todos esses anos, passando por várias crises, inclusive a mais severa delas: a bolha especulativa que estourou no ano 2000 e que mandou centenas de empresas ligadas a internet pro ralo.

     Confesso que gastei cerca de 10 minutos procurando informações relativas a criação do UOLHost, mas os brilhantes responsáveis pelo projeto do site não se preocuparam em colocar uma aba institucional, colocando ali um pouco da história da empresa, como a data de sua fundação. Mas isso é o de menos. Pelo que eu me lembre, quando o UOL decidiu entrar nesse ramo, ele comprou uma outra empresa, absorveu sua carteira de clientes e começou a expandir em cima dessa base.

     Não sei se todos sabem, mas eu sou programador e administro servidores para clientes. Meu primeiro contato com a UOLHost foi através de um cliente que havia contratado o UOLHost (em 2009) pra rodar um sistema que ele tinha comigo. Desde o começo as informações eram um tanto desencontradas e o suporte bem fraquinho. Achei relativamente normal, pois eles estavam começando no ramo e ainda estavam dando suas cabeçadas pra aprender. Porém, o primeiro desgosto, foi bem no dia do meu aniversário. Estava cheio de parentes e amigos em casa, comemorando, quando chega um chamado urgente de um cliente. Quando fui verificar, o servidor estava fora do ar. Algumas ligações e emails depois, o técnico do UOLHost me envia uma foto do servidor, onde dava pra ler claramente que o HD estava com problema, apresentando inúmeros erros de I/O.

     Eu já gerenciei servidores nos mais diversos IDCs, nacionais e internacionais, como HostLocation, Intelig, Datacorpore, Alog, Matrix e vários outros. Eu costumo dividir os IDCs em dois tipos: standard e premium. No caso da standard, são os mais baratinhos, que focam no baixo custo e tem uma qualidade bem duvidosa. Estão nesse grupo a Locaweb, UOLHost e várias outras. Já no outro lado, como premium, são empresas realmente especializadas no que fazem, tem um custo muito superior aos das standard, mas o atendimento é diferenciado. Estão nesse grupo a Alog, Matrix, Diveo, etc.

     Algumas horas depois do técnico do UOLHost enviar o email que apontava o erro no HD, o servidor ainda estava fora. Ao perguntar se eles tinham trocado o HD e estavam reinstalando, o técnico me informou que meu cliente deveria falar com o gerente de contas dele, pois só ele poderia autorizar o procedimento. Contudo, esse só trabalhava de 2. a 6. feira. Ou seja, se dependesse do UOLHost, meu cliente ficaria o final de semana todo fora. Pior, como só iriam ver isso na 2. feira, passaria o começo da semana fora também. Pra contornar a situação, fechei uma daquelas VPS gringas que paga-se via Paypal e ativa-se na hora. Passei o resto do dia configurando pra colocar tudo no ar. Bom, a essa altura, vocês já devem ter concluído que minha festa de aniversário foi um enorme sucesso, né?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
jul 28

Vivo: respeito zero com os consumidores

10 Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/07/2011 às 01:07h

     Quem me acompanha pelo Twitter já deve estar farto dos meus relatos contra a Vivo, mas como acredito que posso ajudar outras pessoas com o mesmo problema, farei esse post a respeito. Quem estiver na mesma situação, por favor use o espaço dedicado a comentários para narrar o seu caso.

     Mesmo que os SMS usem pouquíssimos recursos das operadoras, elas ainda os vendem a peso de ouro. Se compararmos a outros países do mundo, o valor cobrado aqui é ridículo. Na ânsia de lucrar o máximo possível, as operadoras procuram enviar alertas SMS de madrugada, quando existe ociosidade da sua rede. Se isso atrapalha o cliente, pouco importa, o foco deles é lucrar o máximo que der.

     Há meses eu reclamo na Vivo e na Anatel sobre esse problema. A operadora insiste em me enviar SMS de madrugada, mesmo eu abrindo vários chamados na agência reguladora. Toda vez é a mesma historinha: eles falam pra Anatel que vão incluir meus números numa lista para não receber os tais SMS, dão baixa no chamado, mas não resolvem. Passam alguns dias e lá estão eles enviando o SMS novamente.

     Como eu administro servidores, eu tenho scripts que fazem o monitoramento de toda a base instalada e usam SMS para me alertar sobre problemas. É raro acontecer algum problema, mas quando acontece, eu tenho que entrar em ação imediatamente, ligando pro IDC onde o servidor em questão está hospedado e me desdobrando para no dia seguinte, o servidor estar disponível pro uso do cliente. Assim, eu não posso me dar ao luxo de desligar celular. Ele fica ligado 24 horas por dia, 7 dias por semana.

     A impressão que eu tenho é que a operadora está fazendo pouco caso e não tomando providência alguma. Aliás, essa foi a mesma impressão de um advogado gaúcho que entrou com uma ação contra a Vivo, pois tinha exatamente o mesmo problema. Ele pedia uma providência, a operadora dizia que resolveu e os SMS continuavam. O juiz deu ganho de caso a ele, condenando a Vivo a pagar R$ 5.100,00 de indenização.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Notícias
preload preload preload