jan 15

Dicas para não passar stress com a Receita Federal

4 Comentarios »Postado por GordoGeek em 15/01/2014 às 11:34h

    Esses dias eu li um texto (no FB) com uma história tão absurda, que achei que fosse falsa. Porém, como jornais e revistas repercutiram a história, indo atrás dos envolvidos, vi que a coisa era realmente séria, o que me deixou ainda mais indignado com a palhaçada que ocorreu com uma brasileira voltando de viagem. Sem mais delongas, ao invés deu contar o ocorrido, reproduzo abaixo um texto (autorizado) do José Navas Jr., delegado da PF. Não vou colocar em itálico, pois o texto é longo e dificultaria a leitura. Mas tudo que vier depois desse parágrafo é de autoria dele.

     Muita polêmica e paixões na análise do relato de Roberta Whately (http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/politica-fiscal/bandidos-legais-a-alfandega-que-achaca-os-brasileiros/) acerca do tratamento dispensado a esta pela Receita Federal.

     Pois bem, já fiz diversas viagens internacionais, já entrei no “canal vermelho” várias vezes e vou me manifestar, como professor da área jurídica, como contribuinte, como cidadão, como “viajante”.

     Desde que a Receita Federal suprimiu a declaração de saída de bens do Brasil, procedimento onde você declarava o que levava pra fora do país (e portanto isento estaria automaticamente na volta), o cenário ficou um pouco nebuloso.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mai 30

Porque parei de comprar na DealExtreme

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 30/05/2012 às 15:01h

     Quem me conhece do blog ou do Twitter sabe que eu comprava muito na DealExtreme. Eram coisinhas baratinhas e bobas, mas que eu gostava de comprar. Eram capinhas pra iPhone/ iPad, cabos de sincronia, lâmpadas de LED, etc. Durante uns três anos eu fazia pedidos praticamente a cada dez dias e, tirando um atraso ou outro, nunca tive problemas. Até que no final do ano, tudo mudou.

     Na Black Friday a DealExtreme colocou alguns produtos mais caros com preços bem interessantes. Eu paguei USD 38 em câmeras IP que aqui custam em torno de R$ 300,00. Dei a dica de compra aqui no blog e depois falei algumas vezes sobre como configurar pra colocar na rede, pra acessar remotamente, pra usar um FTP, etc. Porém, uma dessas câmeras nunca chegou. Segundo o tracking dos Correios, ela foi pra Receita Federal. Ela ficou lá uns dois meses. Eu liguei várias vezes pra lá e sempre me diziam que isso era com os Correios. Bem, depois de um tempo, ela simplesmente mudou de status e entrou como “não localizado no fluxo postal”.

     Eu reclamei na ouvidoria da Receita Federal e, novamente, me disseram que eu teria que ver com os Correios. Reclamando no site dos Correios, pra ter tudo documentado, depois de vários dias disseram que eu deveria ligar pra um número. Liguei e, como boa parte do que vem de empresas públicas, o atendimento foi o pior possível. Só informar meus dados e o número de tracking não era suficiente. Me pediram trocentos dados de quem enviou. Só faltou pedir uma amostra de DNA minha e de quem enviou. Apesar de ter ficado com muita raiva, não estou mais na idade de comprar esse tipo de briga por R$ 50,00 e deixei pra lá. Aliás, deve ser exatamente isso que os caras que ROUBARAM minha encomenda estavam contando.

     Em virtude da crise internacional e da balança comercial brasileira ter dado uma sacudida, o governo implementou várias medidas pros brasileiros darem uma maneirada na importação. Entre elas, esteve o aumento do IOF e a contratação de maior efetivo pra fiscalizações, que acabou culminando num aumento de quase 800% nas apreensões. Não estou aqui defendendo que o governo deve fazer vistas grossas a todo produto que a gente quer comprar lá fora, mas segurar um produto por quatro meses (e em alguns casos, sumir com ele) é demais pra mim.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload