nov 08

Como contornar o Guardião do Itaú no Mac OSX?

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 08/11/2013 às 12:53h

     Já escrevi aqui no blog a respeito do massivo uso da tecnologia Java pelas instituições bancárias no Brasil e não vou ficar batendo na mesma tecla. O que vou fazer hoje é dar uma dica simples e eficiente para contornar esse problema, com o uso de um plug-in para o navegador Google Chrome.

     O primeiro passa para contornar o Guardião e conseguir efetuar seus pagamentos via Chrome sem usar Java é acessar esse link da Chrome Web Store onde tem o plugin “User-Agent Switcher for Chrome”. É ele que ficará encarregado de driblar o chato do Banco Itaú. Mas como ele faz isso?

     Esse plug-in tem a capacidade de “enganar” os sites que você acessa, passando informações diferentes do navegador que você está realmente usando. Ele pode se passar por um IE, Safari, Opera e vários outros. No nosso caso, nós vamos pedir pra ele simular o Safari do iOS. Para tal, depois de devidamente instalado, você vai notar que apareceu um novo ícone na barra de ferramenta do seu browser. Clique nela, depois iOS e por fim Safari, tal como essa figura.

     Se você estivesse tentando acessar o Itaú sem essa artimanha, iria se deparar com esse erro ao tentar fazer qualquer operação de pagamento e transferência. Contudo, uma vez que o plug-in está instalado e configurado para agir como um Safari do iPad, tudo vai transcorrer tranquilamente, tal como essa outra figura.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple
jun 17

Por que diabos os bancos adoram o Java?

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 17/06/2013 às 10:59h

     Se tem uma coisa que eu não consigo entender é porque um segmento tão rentável quanto o dos bancos insiste em uma tecnologia tão antiquada e problemática quanto o Java. Assim como o Flash, essa desgraça já devia ter sido banida há anos, mas quase todos os meses (ou quando sai um update), milhões de pessoas #XingamMuitoNoTwitter pois perderam acesso a seu Internet Banking. Imaginem a quantidade de horas perdidas por todas essas pessoas para arrumar o problema, bem como o dos funcionários do setor de tecnologia de empresas (e dos próprios bancos). Sério, se algum órgão de pesquisas por isso no papel, deve dar alguns bilhões por ano.

     Toda empresa foi criada para dar lucro. Pode até ter responsabilidade social, ambiental e tudo o mais, mas empresa que não dá lucro, fecha. E bancos, acima de tudo, são assim, especialmente porque são empresas que tem lucro trabalhando diretamente com dinheiro e não com produtos ou serviços de qualidade. Eles tomam seu dinheiro te pagando uma merreca e emprestam pra uma pessoa que precisa do dinheiro, cobrando uma “pequena taxa” por isso. Claramente você sabe que isso é brincadeira, né? Os bancos são as empresas que sempre encabeçam os maiores lucros do Brasil. E, “curiosamente”, também a lista do Procon de empresas mais reclamadas.

     Eu sei que a missão de toda empresa é ter lucro e acho isso justo. Nenhum empresário vai investir algo sem ter retorno financeiro, uma compensação por seus esforços e riscos. Porém, os bancos são o tipo de organização mais filha da puta que existe, pois todos os dias, milhares de empregados ficam pensando em como maximizar o retorno, com o mínimo de investimento. E é por isso que eles usam Java.

     O Java é uma tecnologia que nasceu com a promessa de reduzir os custos com tecnologia, pois você escreve o código uma única vez e ele vai rodar em tudo que é plataforma que tenha uma máquina virtual Java instalada, seja um PC, OSX, Linux, Android, etc. Em tese, é lindo, mas na prática a gente sabe que isso não é bem verdade. Basta sair um update do próprio Java, do seu sistema operacional ou do sistema do banco e pumba: milhões de pessoas perdem o acesso.

     Quanto custaria para uma empresa gigante como Banco Itaú, Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil fazer um sistema baseado em tecnologias mais novas e fáceis, como HTML5? Pelo faturamento (e lucro) deles, daria perfeitamente pra fazer isso. Seria algo muito bem vindo para seus clientes e pra eles próprios, pois melhorariam a experiência de uso e reduziriam drasticamente os funcionários necessários no suporte. Por que eles não fazem isso? Provavelmente estão fazendo como as operadoras de telefonia, que querem tirar o máximo no que já foi investido, antes de partir pra uma tecnologia melhor, que necessita de um novo investimento. Enquanto isso, os usuários que se explodam.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
preload preload preload