dez 02

Como monitorar um site e ser avisado se ele cair

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 02/12/2015 às 16:00h

     No post anterior eu dei a dica de como saber se um site realmente está fora pra todo mundo ou apenas pra você. Agora vou ensinar como usar um serviço gratuito para monitorar determinados sites do seu interesse, 24 horas por dia, pra te alertar quando ele passar por instabilidade ou cair.

     Existe uma infinidade de empresas que prestam o serviço de monitoramento de servidores, sistemas e afins. Alguns são pagos e outros gratuitos. A diferença, geralmente, é que os pagos oferecem monitoramento minuto a minuto e os gratuitos tem um intervalo maior, que varia de 5 a 10 minutos.

     Um serviço gratuito que gosto bastante é o UptimeRobot. Você pode cadastrar diversos sites que deseja monitorar e ele faz checagem tanto de ping (icmp), como de acesso ao site em si (www). O intervalo de checagem no modo gratuito é de 5 minutos e te avisa por email sempre que cair e voltar.

     Eu uso o UptimeRobot pra monitorar o blog e ele me informa sempre que o servidor cai ou passa por instabilidade. Para tunar um pouco as coisas, eu criei algumas regras, unindo com o IFTTT e outros scripts, pra me enviar SMS e me ligar. Porém, isso é assunto pra outro post, uma vez que é um pouco complexo.

     Além dos alertas em si, o site também gera alguns gráficos legais, pra você bater o olho e saber se tem algum servidor monitorado com problema ou ainda, ver um breve histórico de quedas, problemas, etc. Apenas pra exemplificar, tirei 2 capturas de telas (1 e 2).

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
abr 07

As câmeras IPs que tem por ae são todas iguais?

13 Comentarios »Postado por GordoGeek em 07/04/2014 às 18:27h

     Quem acompanha o blog ou meu twitter há algum tempo já sabe que eu sou “meio” freak e tenho quase 80 câmeras em casa. Paranóia a parte, elas já me ajudaram em inúmeras situações, como coisas que “desaparecem” na mão de funcionários, prestadores de serviços que vem fazer alguma coisa aqui e até em caso de roubos na vizinhança. A PM, já sabendo disso, sempre vem aqui me pedir ajuda quando acontece alguma coisa na região e as imagens sempre são bem úteis.

     Grande parte das câmeras que tenho atualmente instaladas foram compradas na China, via DealExtreme. Na época do dólar baixo e sem IOF de 6,38%, cada câmera saia menos de R$ 100,00, enquanto as versões nacionais no Mercado Livre beiravam R$ 500,00. Porém, a situação macroeconômica mudou, o dólar do cartão bate R$ 2,50 direto, o IOF foi pra 6,38%, a demora na entrega subiu pra até 3 meses e hoje eu li que a Receita Federal fechou uma parceria com os Correios, onde eles vão tributar quase 100% do que for comprado no exterior. Somado a isso (não sei o real motivo), mas vários vendedores no Mercado Livre começaram a oferecer câmeras IP na faixa de R$ 150,00. Ou seja, comprar lá fora deixou de compensar.

     Em janeiro eu comprei duas câmeras IP no Mercado Livre, pagando menos de R$ 300,00, com frete incluso. A princípio eu torci o nariz pra elas, pois o software me pareceu chato e limitado. Porém, quando fui colocá-las em operação, notei que o sinal Wi-Fi delas era muito mais forte que as outras, chegando sem problemas a lugares onde as antigas não funcionavam. Além disso, o ângulo de visão delas era maior, ou seja, cobria maior área sem precisar ficar rotacionando pra direita e esquerda. Empolgado, algum tempo depois comprei mais duas, com o mesmo vendedor. Porém, para a minha surpresa, as câmeras que vieram, apesar de esteticamente muito similares as anteriores, rodavam outro software e também tinha o Wi-Fi fraco, além do ângulo de visão menor.

     Quando eu indaguei o vendedor do Mercado Livre sobre isso, ele me disse que compra as câmeras em grandes lotes e nunca sabe o modelo que vai vir. Bom, pode fazer sentido pra ele, mas pra quem compra, é uma furada. Especialmente quem, como eu, já havia comprado e gostado do produto anterior. Ainda estou tentando “sensibilizá-lo” sobre isso, já que a diferença entre os dois produtos é gritante.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
maio 27

Como montar um sistema barato de monitoramento

21 Comentarios »Postado por GordoGeek em 27/05/2013 às 16:26h

     Quem me segue pelo Twitter sabe que eu tenho um verdadeiro Big Brother em casa. São mais de 50 câmeras espalhadas, nas áreas internas e externas, usando diferentes marcas, equipamentos e tecnologias. O sistema mais antigo é baseado em câmeras analógicas e tenho dois DVRs (Digital Video Recorders), sendo um de 24 portas e outro de 16, totalizando 40 câmeras. Algumas delas são de infra e outras são minicâmeras com uma lente chamada olho de peixe, que aumenta o ângulo de visão. Geralmente, uma câmera capta entre 90 e 120 graus. Dessa forma, pra você cobrir um ambiente de 16 metros quadrados (4x4m), sem deixar pontos cegos, vai precisar de mais de uma câmera. Ae que entra a lente especial, pois ela abre a imagem até 220 graus. Porém, como ela afasta os objetos, ocorre uma perda de qualidade, além da visão noturna ficar piorada. Além disso, tenho 12 câmeras IPs adicionais, que contam com recursos que não tenho nas analógicas, como rotacionar a cabeça da câmera em quase 360 graus, além de captar e enviar som através delas.

     Diante dessa minha verdadeira obsessão por monitoramento e câmeras, recebo com frequência dúvidas de amigos e leitores a respeito do tema. Se você for contratar uma empresa de segurança para instalar 4 câmeras analógicas, usando DVR com um HD de 1TB, a brincadeira chega fácil aos R$ 1.500,00. Isso porque, geralmente, a empresa não faz instalações usando equipamentos que não foram comprados com ela. Eu sei, isso constitui venda casada, o que é proibido, mas eu já fiz várias denúncias a respeito no Procon e nunca virou nada. Assim, eu você fecha o pacote e acaba pagando mais caro pelos produtos (que você mesmo poderia conseguir 50% mais barato na internet) ou fica sem ter quem instala. E é um negócio chato. Tem que passar vários cabos, fixar as câmeras, fazer as pontas, etc.

     Como o custo de se montar algo mais profissional é alto, as câmeras IP acabam se tornando uma solução interessante pra ter em casa ou num pequeno negócio. A instalação é bem menos complicada, já que muitas delas trabalham via Wi-Fi, ou seja, você liga ela na tomada, espeta o cabo de rede no computador, coloca os dados do seu roteador e depois a leva pro canto dela. É bem diferente das câmeras analógicas, onde você precisa mandar um cabo com alimentação, outro de dados, fazer as ponteiras com alicate especial, etc.

     Como disse no post anterior, monitoramento residencial não é um assunto novo aqui no blog. Já tem alguns anos que venho tratando do assunto. O primeiro foi esse aqui, no final de 2011, onde mostrei um pouco da minha primeira câmera IP, comprada na DX.com. De lá pra cá, a tecnologia evoluiu e os preços caíram. Com algo em torno de R$ 100,00 você já pode começar a se aventurar no assunto.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Segurança
maio 16

Primeiras impressões: monitor cardíaco Scosche myTrek

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/05/2012 às 23:59h

     Já comentei aqui no blog anteriormente sobre o Polar WearLink+ Bluetooth, uma cinta de monitoramento cardíaca compatível com smartphones Android. Escrevi também a respeito do relógio turbinado MotoACTV, tanto contando as primeiras impressões, como depois de três semanas de uso, concluindo se vale a pena ou não. Falei também sobre outros gadgets bacanas de acompanhamento de exercício, nesse outro post. Mas agora irei falar do monitor cardíaco Scosche myTrek, que tem como grande diferencial funcionar em iPhones e Android. Acompanhe no vídeo abaixo:

     Como tenho um iPhone 4S e um Galaxy Note, fiquei algumas semanas à procura de um dispositivo que fosse compatível com ambos, o que não é uma tarefa lá muito fácil. Devido principalmente as enormes restrições impostas pela Apple, é muito complicado achar um aparelho que trabalhe com seus smartphones e com os Androids. Um dos poucos produtos que atendem a essa demanda é o Scosche myTrek, que já ganhou alguns prêmios bem interessantes no ano passado, como o “Macworld Best of Show 2011”.

     Outra coisa um tanto diferente no myTrek é que ele não tem um formato muito tradicional, que geralmente é de relógio ou de cinta peitoral. Ele é usado no antebraço, próximo ao cotovelo. Eu vi isso como um vantagem, pois fica bem confortável, diferente das cintas, que geralmente incomodam bastante, especialmente em exercícios mais longos. Falando nisso, a autonomia dele é de 5 horas, sendo alimentado por uma bateria interna recarregável. O mais comum nesse tipo de equipamento é o uso de baterias de relógio, que geralmente precisam ser trocadas a cada 10 dias.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android, Apple
maio 16

Motorola MotoACTV: vale a pena comprar?

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/05/2012 às 11:01h

     Como já explicando anteriormente, temos um acordo com a GSShop, que nos envia produtos para resenharmos, conforme nossa solicitação, geralmente de produtos sugeridos através dos comentários, emails e Twitter. Isso nos ajuda bastante, pois podemos testar vários produtos de interesse dos nossos leitores (e meu também, rs), sem precisar por a mão no bolso. O Motorola MotoACTV é um desses produtos que me pediram pra testar, eu não tinha qualquer interesse em comprar (tendo em vista que uso o iPhone pra monitorar os treinos), mas de tão interessante, acabei não resistindo e comprei.

     Há cerca de três semanas eu recebi o Motorola MotoACTV e fiz um post (inclusive com vídeo) com as primeiras impressões. Nesse tempo, eu fui testando o aparelho e também recebi a pulseira, bem como uma cinta de monitoramento cardíaco da Garmin, o que, sem dúvida, elevaram o meu nível de satisfação com o produto. No vídeo ae acima eu mostro mais um pouco dos produtos, o site pra se acompanhar os treinos e também o software usado para sincronizar mídia com o aparelho.

     Fazendo um grande resumo, a parte mais legal do MotoACTV é que, como dito no post anterior, ele é um aparelho super completo, que roda uma versão modificada do Android e tem vários acessórios. O produto é bonito e bem acabado. Quem tem um aparelho celular mais simples, sem função de GPS e smartphone, ou até mesmo quem tem, mas não gosta de sair com ele para os treinos, estará bem servido com o MotoACTV, uma vez que ele é capaz de reunir tudo o que um atleta amador pode querer, como monitoramento cardíaco, pedômetro, relógio, tempo de exercício, gasto calórico, GPS, tocador de música, etc. A parte chata é que ele nem sempre é muito preciso (o que pode ser um problema pra profissionais, mas nem tanto pra amadores).

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android
mar 13

Instalando câmeras de segurança CFTV [Vídeo]

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/03/2012 às 13:57h

     Já fiz uma série de posts aqui no blog a respeito de sistemas de segurança, testando DVR, câmeras IPs, fazendo configuração de roteador, etc. Porém, nunca cheguei a mostrar como se faz os cabos para instalar as câmeras tradicionais. Abaixo, divulgo um vídeo que ensina como deve ser feito.

     Como podemos ver, fazer o cabo não é nenhum mistério. Aqui na minha cidade, o pessoal costuma cobrar R$ 70,00 por câmera instalada. Ou seja, se você tem um pequeno circuito fechado de TV com 4 câmeras, são quase R$ 300,00. Com habilidades mínimas, você consegue dar conta da instalação da sua casa economizando com a mão de obra.

TAG(s):
Categoria(s): Segurança
fev 02

Como gerenciar câmeras com DVR pelo Mac?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 02/02/2012 às 12:23h

     Mais cedo eu escrevi um post a respeito de como gerenciar câmeras IP pelo Mac e citei que ainda não havia encontrando um aplicativo compatível com meu DVR. Porém, resolvi dar uma nova procurada na Mac App Store e, pra minha grata surpresa, encontrei uma solução. Simples, mas ao menos agora posso ver as câmera também pelo Mac, dispensando assim a visualização via Internet Explorer.

     Um velho conhecido de quem quer gerenciar câmeras conectadas a um DVR pelo iOS e Android é o MEye. Infelizmente, para o meu DVR, ele sempre dá um alerta dizendo que a versão gratuíta não é compatível e me leva a versão paga. Como o custo é até acessível (USD 9.99), acabei comprando a versão pra iPhone, Android e outra pro iPad (adaptado a tela grande). Hoje eu comprei também a versão pro Mac.

     Antes de mais nada, devo dizer que a versão pra Mac é extremamente simples. Além de não possibilitar a gravação (algo bem básico), só dá pra ver até 4 câmeras ao mesmo tempo. Como eu tenho 16, fica chato ter que ficar comutando entre elas. É algo meio estranho pois a própria versão do iPad tem suporte a 9 câmeras ao mesmo tempo. Pra quem não tinha alternativa no Mac e era forçado a ver no iPad ou na máquina virtual XP, pelo menos agora tenho, mas confesso que está longe do ideal.

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Dicas
jan 04

Breve análise do DVR Stand Alone Dimys 6588/78

10 Comentarios »Postado por GordoGeek em 04/01/2012 às 16:47h

     Ano passado eu resolvi alterar o esquema de monitoramento que tinha em casa, principalmente para reduzir o consumo de energia que uma máquina ligada 24×7 gerava. Acabei colocando um DVR e liberei a antiga máquina. Como eu queria colocar câmeras também no salão da minha esposa, mandei a máquina pra lá. Porém, como essa solução começou a dar alguns problemas, optei por comprar um DVR pra lá também. No entanto, como não estava nos meus planos comprar um DVR (iria usar a máquina por um tempo, até sobrar uma grana pro DVR), optei por um bem baratinho: o DVR da Dimys (6588/78).

     Quem conhece um pouco de monitoramento já deve ter ouvido falar da marca. Em casa eu tenho algumas câmeras deles. Eles são conhecidos por produtos de baixo custo. A marca não é sinônimo de qualidade. Resolvi arriscar a compra porque, como foi feita via Mercado Livre (R$ 549,00), se fosse muito ruim eu acabaria pedindo pra devolver. Claro, podia me dar um pouco de dor de cabeça, mas tá no código de defesa do consumidor: compras feitas pela internet podem ser canceladas em até 7 dias. E lá fui eu…

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets, Segurança
nov 25

Live Cams HD: gerenciando câmeras IP no iPad/ iPhone

6 Comentarios »Postado por GordoGeek em 25/11/2011 às 08:11h

     Na semana passada eu recebi uma câmera IP da DealExtreme e outra do Mercado Livre, conforme comentei aqui. Apesar de parecidas, são de fabricantes diferentes e possuem o firmware também diferente. A do Mercado Livre tem mais recursos e é mais flexível, podendo ser visualizada também via Firefox. É muito comum que os equipamentos de vigilância funcionem apenas no IE, por causa da dependência do ActiveX.

     Existem vários aplicativos que você pode usar no iPad/ iPhone para gerenciar câmeras IP. Sem dúvida alguma um dos melhores é o Live Cams. Além de permitir que você veja inúmeras câmeras públicas pelo mundo, dá também pra cadastrar suas câmeras privadas. A qualidade da imagem fica excelente e é possível gerenciá-la de forma muito fácil, como eu mostro no vídeo acima.

     Diferente da minha outra solução, envolvendo DVR, as câmeras IP não possuem o recurso de gravação autônoma. Caso queira gravar o monitoramento você vai ter que deixar uma máquina ligada pra fazer isso. Através do software que acompanha a câmera (apenas Windows) é possível gerenciar até 9 câmeras, gravando localmente. Caso queira gravar remotamente, existem provedores que oferecem essa solução, como é o caso da Sistema Vigia, que cobra R$ 40,00 por mês para fazer isso. O sistema é bem simples de usar e oferece a segurança de manter o arquivo fora da sua residência, o que facilita uma possível identificação dos bandidos em caso de roubo (imagine gravar localmente e roubarem o computador).

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Segurança
set 28

Mini-Review DVR Stand Alone RoHS AE-7000-16HC

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 28/09/2011 às 10:29h

     Há algumas semanas eu contei por aqui a minha péssima experiência com o DVR da LuxVision. Acho que ela foi agravada em virtude do péssimo vendedor que me atendeu. Apesar de ter qualificações elevadas no Mercado Livre, ficou claro pra mim que eles não tem a menor ideia dos produtos que vendem. O suporte é extremante lento e não faz questão alguma de ajudar. Justamente por isso, já adianto, não vou citar a empresa, como muitos me pediram no Twitter.

     Os leitores mais antigos do blog já conhecem meu ambiente aqui. Antes eu tinha um servidor Windows com uma câmera Geovision de 16 canais. Como isso elevou muito minha conta de energia, eu queria trocar por uma solução mais econômica. Infelizmente, não achei nada compatível com Mac. Até encontrei em alguns sites gringos alguns dispositivos via USB, mas a enorme maioria vai até 4 canais. Como eu preciso de 16, fica inviável. Assim, minha alternativa foi partir para um equipamento DVR. Novamente, achar algo 100% com o mundo Apple é complicado. A enorme maioria das soluções é baseada em clientes Windows, seja o aplicativo em si ou tal ActiveX para visualização no Internet Explorer.

     Eu testei o antigo equipamento da LuxVision a exaustão. Com uma documentação horrível e sem suporte do fabricante e do vendedor, foi bem complicado. Tive problemas em reconhecer os HDs, em colocar pra funcionar no browser e nos dispositivos móveis (iPhone, iPad e Android). Resetei a configuração inúmeras vezes, fiz update do software e nada. Assim, não me restou outra alternativa que não devolver o equipamento. Como eu queria aposentar o servidor e não é muito fácil achar um DVR com cliente para iPhone, acabei aceitando que o vendedor me enviasse outro equipamento e ele mandou o da RoHS, modelo AE-7000-16HC.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets, Segurança
preload preload preload