fev 05

Oi Rdio: um mundão de músicas por R$ 14,99 por mês

22 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/02/2012 às 12:25h

     Há uns 3 meses a Oi anunciou o serviço Oi Rdio. Confesso que não dei muito bola na ocasião e fui mexer nele apenas hoje, quando vi algumas pessoas que sigo no Twitter comentando a respeito do serviço. Eu fiquei imaginando que era algo apenas para clientes da Oi, assim como a GVT faz com a Universal no Power Music Club. Mas eu estava enganado: qualquer um pode ter o serviço!

     Já falei aqui no blog algumas vezes sobre serviços similares, como o Zune Pass, Grooveshark, MOG e Rhapsody. Porém, como já citado, era necessário fazer uma gambiarra imensa pra assinar a maior parte desses serviços, que só são liberados oficialmente aos gringos (devido a complexos acordos internacionais envolvendo gravadoras, detentores de direitos autorais, artistas, etc.). O Oi Rdio é bem parecido com o MOG e funciona sem problemas aqui no Brasil. Mas o que o serviço faz afinal?

     O Oi Rdio tem dois planos: o mais barato deles (R$ 8,99) você tem acesso a milhões de músicas apenas via browser ou aplicativo (PC e Mac), podendo fazer streaming de forma ilimitada a todo o conteúdo. É muito similar ao Netflix, mas focado em músicas e não em vídeos. No entanto, no plano mais caro (R$ 14,99), além de liberar o acesso via smartphone (são vários modelos, não ficando restrito a iPhone e Android), permite inclusive baixar as músicas que quiser, pra ouvir offline. Infelizmente, você ficará “preso” ao ambiente do Oi Rdio, pois não existe nenhuma integração com iTunes ou nada similar. Mas isso é o de menos, né?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
set 12

O que vale mais a pena? Um Apple TV ou WDTV Live Plus?

17 Comentarios »Postado por GordoGeek em 12/09/2011 às 00:46h

     Ao menos uma vez por dia alguém me pergunta no Twitter se vale mais a pena comprar um Apple TV ou um WDTV Live Plus. Como na semana passada a Netflix fincou os pés no país (ainda que timidamente no início, mas com tendência de melhorar nos próximos meses), tudo indica que os media center vão começar a se popularizar por aqui. Eu sei que tem muita gente que curte baixar filmes via torrent, ver no PC mesmo e nem liga para as facilidades de uma media center e/ ou de um serviço de streaming, mas também acredito, pelas consultas que me fazem, que o oposto também acontece e com o tempo, vai se popularizar. A Netflix fez um grande esforço e chegou com preço agressivo (R$ 15,00 mensais). Espero que o conteúdo cresça rapidamente.

     Em 2010 eu comprei dois media center XingLings no eBay e me arrependi profundamente. Comentei deles aqui no blog, nesse artigo e nesse outro. Como no final de março eu fui para os Estados Unidos, não deixei passar a oportunidade e já comprei logo três WDTV Live numa Bestbuy. O @MacMasi foi na onda e acabou comprando um, mas segundo ele, não saiu da caixa (ele tem um Apple TV). Logo que cheguei ao Brasil, instalei logo um na sala principal e os outros nos quartos.

     A minha versão do WDTV, infelizmente, só possui conectividade via cabo de rede (rj-45). Existem adaptadores Wi-Fi compatíveis, mas eu nunca testei. Já a versão mais nova, chamada de Live Plus, já trás a conectividade Wi-Fi embutida e várias melhorias no acesso a conteúdos online, como Netflix, Hulu, etc. Pra um usuário tradicional, eu acredito que o WDTV seja uma compra melhor que a do Apple TV, tendo em vista que o foco da Apple é vender conteúdo online, seja através da loja própria (iTunes Store) ou de parceiros (Netflix, MLB, NBA, etc.). O WDTV, além de ter o conteúdo online, conta ainda com duas portas USB pra você plugar o conteúdo local, seja através de pendrive ou de um HD. No Apple TV, mesmo com jailbreak, isso não é possível.

     Bom, mas se eu digo que o melhor é o WDTV, porque diabos eu tenho quatro Apple TV em casa? No meu caso, atualmente eu tenho uma excelente cobertura Wi-Fi em casa, com uma rede 5GHz no padrão 802.11n, ou seja, não tenho engasgo algum na transmissão do conteúdo. Outra coisa é que sempre faço jailbreak dos meus Apple TV. Assim, eu consigo habilitá-lo a ler o conteúdo que fica disponível na rede, seja no servidor ou no AirPort Extreme. Nativamente, o Apple TV só acessa o conteúdo compartilhado pelo iTunes dos computadores. Com essa “gambiarra”, ele acessa todo arquivo na rede, seja ele foto, música, vídeo, etc. E mais, não importa o formato, seja um MP4, um Divx, um MKV, etc. Ele toca tudo, com legenda customizável (cor, tamanho, fonte, etc.), do jeitinho que eu gosto.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple
set 05

Considerações sobre a Netflix no Brasil

10 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/09/2011 às 19:08h

     Update 14/12/2011 15:52H => Acaba de sair uma atualização do aplicativo da Netflix para iOS. Agora é possível ter acesso ao conteúdo sem gambiarras (VPN, Proxy, etc.) com legendas e áudio nacional. Sem dúvida, uma ótima notícia de final de ano. Em tempo: recentemente a Microsoft soltou um update pro XBox, que também ganhou acesso ao Netflix. Infelizmente, só pra quem tem conta gold (paga).

TAG(s):
Categoria(s): Videos
set 05

Netflix finalmente disponível para o Brasil (ou quase)

13 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/09/2011 às 11:46h

     Depois de muitas promessas, rumores e disse-me-disse, a Netflix finalmente chegou no Brasil. A boa notícia é o preço, muito abaixo do que eu esperava. A ruim é que ainda temos algumas limitações e problemas, como o fato de não se conseguir assistir ao conteúdo pelo iPhone, iPad, AppleTV, XBox, etc. Por enquanto, só via PC ou Mac mesmo. Isso é, com IP nacional, pois se você tiver uma VPN, vai funcionar normalmente. Porém, a grande vantagem em se ter uma conta brasileira seria justamente não ter que ficar tendo que dribar bloqueios de IPs com uso de VPN, proxys e afins.

     Levando-se em conta tudo que é lançado no Brasil, eu estava prevendo que a conta Netflix brasileira sairia na faixa de R$ 29,90/ mês por tempo promocional e subiria para R$ 39,90 nos meses seguintes. Felizmente, a empresa teve um enorme bom senso e, sabendo que o preço é um fator determinante, fixou o valor em R$ 14,99, que é algo bem próximo dos USD 7.99 cobrados nos Estados Unidos. Segundo o CEO da empresa, esse preço não é promocional e vai ficar nisso por um longo período. Nós agradecemos!

     Pelo que eu li no Twitter, o suporte da Netflix está dizendo que ainda não tem previsão oficial para disponibilizar o streaming para os demais dispositivos. Porém, a informação que corre em meios não oficiais é que seja entre outubro e novembro. Claro que cada usuário tem seus hábitos de consumo, mas pra mim, disponibilizar o conteúdo para o AppleTV, iPhone e iPad são fundamentais. Por enquanto, estou driblando esse bloqueio com o uso de VPN.

     Update 14/12/2011 15:52H => Acaba de sair uma atualização do aplicativo da Netflix para iOS. Agora é possível ter acesso ao conteúdo sem gambiarras (VPN, Proxy, etc.) com legendas e áudio nacional. Sem dúvida, uma ótima notícia de final de ano. Em tempo: recentemente a Microsoft soltou um update pro XBox, que também ganhou acesso ao Netflix. Infelizmente, só pra quem tem conta gold (paga).

TAG(s):
Categoria(s): Geral
mai 11

Apoio os direitos autorais, mas e o bom senso?

6 Comentarios »Postado por GordoGeek em 11/05/2011 às 13:38h

     Já tem um tempinho que quero escrever um texto sobre direitos autorais e algumas idaias que estão na minha mente. Acredito que muitos vão se identificar com elas, exceto, é claro, os poderosos das indústrias da música, cinema, etc. Vamos a elas…

     Ano passado, depois de ficar um bom tempo sem ter TV paga, resolvi voltar a assinar. Fiz uma ampla pesquisa, comparando as empresas que atendem a minha cidade (Sky, Telefonica e Embratel), vendo quais pacotes tinham os canais que eu queria, quantos pontos adicionais eu poderia ter, etc. Acabei optando pela Telefonica, não por ser a melhor em qualidade de imagem (está longe disso), mas por ela ter um pacote com os canais que eu mais vejo, com o menor custo e me permitir até 4 pontos adicionais, por R$ 20,00 cada.

     Eu acho um absurdo ter que pagar ponto adicional, mas depois de anos de briga na Anatel, a agência entendeu que a cobrança era legal, pelo menos, na forma de comodato do equipamento. O estranho é que, se eu tenho um equipamento compatível, mesmo assim, não posso usá-lo. Tenho que alugá-lo da operadora. Ou seja, maquiaram a cobrança do ponto adicional. Depois de meses pagando pelo ponto principal e 4 adicionais, constatei o óbvio: eu não vejo TV. Mandei desativar 3 pontos, ficando apenas com 2 (um no térreo e outro no 1. andar). Eu não fiz as contas, mas calculo que, se os aparelhos da Telefonica ficam ligado mais de 15 horas por mês, é muito.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
mar 21

Como fazer pra ter cartão americano?

10 Comentarios »Postado por GordoGeek em 21/03/2011 às 21:10h

     Hoje eu vou bancar o Mister M e contar o que muita gente quer saber: como fazer pra ter um cartão americano, abrindo as portas do paraíso para contas na XBox Live, iTunes Store, Hulu Plus, Zune Marketplace e todos os outros sites que exigem um cartão emitido por banco americano e com endereço de fatura americano.

     Não sei se todos sabem, mas não basta apenas ter um cartão de crédito internacional para comprar em alguns sites. Devido a acordos comerciais, especialmente de licenciamento de conteúdo, muita coisa fica restrito ao mercado americano. Assim, é fundamental ter um cartão “gringo” pra ter acesso a esses serviços, muitas vezes, a farra dos geeks.

     Sei que esse post pode afetar a vida de muita gente, especialmente daqueles que comercializam gift cards e promocodes. Infelizmente galera, vou fazer igual ao mascarado do Fantástico e revelar o segredo. Acredito que, boa parte da galera, devido aos custos envolvidos, talvez nem se interesse. Mas quem gasta muito e/ ou faz questão de ter acesso a esse conteúdo restrito, vai acabar aceitando os custos.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Dicas
mar 08

Quanto custa ter acesso a conteúdo legalizado?

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 08/03/2011 às 22:25h

     Ando falando muito por aqui sobre acesso a conteúdo, em especial, as formas de burlar os bloqueios regionais, presentes na maioria dos serviços gringos. Andei fazendo as contas de quanto ficaria pra ter acesso a conteúdos bacanas pra lazer e resolvi centralizar isso num post, de forma a facilitar a consulta das inúmeras pessoas que me perguntam a respeito.

     Aqui no Brasil, temos o Terra Video Store, que comentei por aqui. O acervo ainda é bem limitado e em poucos dias, dá pra ver tudo que é interessante. Dá pra alugar filmes, seriados e show individuais (de R$ 4,90 a R$ 6,90) ou assinar um pacote de R$ 19,90 e ter acesso ilimitado ao conteúdo.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Biblioteca Digital
mar 06

Método lusitano: driblando o bloqueio da XBox Live

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 06/03/2011 às 00:54h

     Antes de mais nada, desculpa aos amigos portugueses pelo título do post, mas é um “vício” antigo, dos tempos das aulinhas de Clipper quando eu tinha uns 10 anos. Meu professor sempre brincava: “vamos fazer primeiro pelo método lusitano, depois vamos pro método fácil, pra vocês darem valor em cada recurso.”

     Eu fiz questão de deixar claro já no título do post que essa solução não é das mais práticas (nem fácil, nem barata). Se o seu objetivo é apenas contornar bloqueios como o da Netflix, leia esse outro post sobre o USVideo.org, que seu problema será resolvido de forma bem mais fácil. Infelizmente, os métodos de verificação geográfica da XBox Live são mais “cascudos” e me obrigaram a fazer essa imensa gambiarra que irei narrar por aqui.

     Desde antes de ter descoberto o USVideo, eu vinha tentando compartilhar a internet do MacOS, de forma a compartilhar o túnel da VPN com outros dispositivos na rede. Não sei se todos sabem, mas o MacOS permite que você compartilhe a internet de forma bem fácil, usando como origem da conexão o cabo de rede, por exemplo, mandando via WiFi (modo Ad-Hoc) para outro dispositivo. Porém, quando você adiciona VPN nesse cenário, tudo vira um verdadeiro inferno.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mar 05

Filmes de graça no Terra Vídeo Store

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/03/2011 às 04:16h

     Estava eu navegando nessa gélida madrugada de sábado quando resolvi entrar no Terra, coisa que praticamente nunca faço, quando me deparei com um banner do serviço Terra Vídeo Store. Já havia ouvido sobre isso no podcast @HoraDoMac, mas depois acabei esquecendo e não fui conhecer.

     Diferente de outros serviços que lhe dão alguma coisa, mas pedem que você cadastre seu cartão de crédito, o serviço do terra pede apenas que você preenche um cadastro simples, com nome e email. Pronto, você ganhou R$ 10,00 para alugar filmes e séries com eles. Mas espera um minuto, se pede apenas um email, quer dizer que eu posso sair criando emails grátis e obter os R$ 10,00 de forma praticamente ilimitada e ver tudo que eu quiser? Exatamente meu caro Watson!

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 05

USVideo: acessando conteúdo americano sem VPN

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 05/01/2011 às 17:14h

     Já falei bastante sobre esse tema aqui no blog e vou retomá-lo, dando uma dica que descobri agora a pouco. Quem me acompanha pelo Twitter sabe que nos últimos dias estou tentando burlar o esquema da Netflix, para conseguir acessar o conteúdo diretamente no meu Apple TV 2G.

     No desktop (PC ou Mac) e nos dispositivos com iOS (iPod, iPad, iPhone, etc.) eu consegui fazer o acesso através de VPN. Basta ligar o serviço e acessar o conteúdo. Porém, no Apple TV, sem jailbreak, não tem como fazer isso, uma vez que ele não tem tal recurso.

     Ontem eu tentei utilizar o MacBook, compartilhando a internet dele por uma rede AirPort, mas o Apple TV não conseguiu acesso. Fiz diversas configurações e nada.. Ao colocar no iPhone, que tem mais recursos pra eu testar, notei que ele se conectava na rede, mas não conseguia acesso externo.

     Garimpando pelo Google, achei o serviço USVideo.org. De tão simples, chega a parecer algum tipo de golpe pra pegar dinheiro alheio, sem funcionar. Ele não é uma VPN ou Proxy, não da maneira tradicional. Não sei ao certo como ele funciona, mas o fato é que, apenas fazendo um ajuste simplíssimo no seu roteador, adicional o DNS primário e secundário deles, o conteúdo é disponibilizado feito mágica.

     É possível testar o serviço durante uma semana sem custo. Depois disso, o valor é de USD 4.99 mensais. Eu sinceramente ainda tô meio perdido, sem saber como tudo funciona e como eles controlam isso, pois eu sequer cheguei a colocar o login que criei no site em nenhum dispositivo meu. A única coisa que fiz foi trocar o DNS.

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Dicas
preload preload preload