dez 30

Evite que o iPhone devore o plano de dados em minutos

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 30/12/2015 às 17:48h

     Depois de quase 3 anos usando Android, minha irmã ganhou um iPhone de natal do meu pai. Ela estava toda feliz, mas pouco tempo, ficou p. da vida pois seu plano de dados, que antes durava o mês todo, estava sendo devorado. Ela chegou a ligar algumas vezes para Vivo, mas a operadora dizia que não poderia fazer nada e o pacote estava mesmo sendo todo consumido em minutos.

     A bizarrice chegou ao ponto de um dia ela mandar um SMS contratando mais 100MB com a Vivo, deixar o telefone carregar e ir pra piscina. Quando ela voltou, poucos minutos depois, já tinha a mensagem da contratação do pacote e logo em seguida outra mensagem, dizendo que os 100MB haviam sido consumidos. Aparentemente, era um erro da operadora, né? Mas infelizmente, não. O problema eram as configurações nativas do iPhone e de alguns aplicativos, como o WhatsApp.

     No vídeo acima eu dou algumas dicas de como configurar o iPhone e o WhatsApp para que seu plano de dados não seja consumido em pouquíssimo tempo. Com certeza isso deveria vir dessa forma nativamente, sem que o usuário tenha que configurar, já que nem todos sabem dessa problema e como fazer para corrigí-lo. Uma vez que não é assim, divulgue esse post para ensinar os amigos, especialmente os novatos no mundo Apple.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
jul 14

     Já tem algum tempo que esse tipo de balança estava na minha lista de desejos, mas não tinha coragem de pagar uma pequena fortuna nela. Porém, na semana passada apareceu a chance de eu comprar um modelo já meio antigo por R$ 200 de um amigo e acabei não resistindo. Peguei ela ontem, então ainda sou meio n00b nesse assunto, mas já estou brincando.

     Conforme comento no vídeo, o amigo que me vendeu está indo para os Estados Unidos em breve e trará o modelo mais novo (WS-50), vendido na Apple Store por USD 150. Aqui no Brasil, também na loja da Apple, ela custa R$ 729. Esse modelo, além do peso, afere também a gordura corporal, batimento cardíaco (pelo pé!?) e qualidade do ar.

     Nas minhas pesquisas eu não achei esse modelo antigo (WS-30) pra vender no Mercado Livre. Porém, o modelo novo está até mais caro do que na loja da Apple, que tem frete grátis. Ou seja, não compensa mesmo comprar em outras lojas, já que o preço é até mais caro. Mas claro, se você for viajar pra fora, provavelmente conseguirá um preço bem legal.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
jun 10

Como importar seus MP3 para o streaming da Deezer

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/06/2014 às 16:11h

      Havia muitos meses que eu não gastava meu suado dinheirinho na loja de música do Tim Cook. Isso porque adotei os serviço de música por streaming e, na maioria das vezes, me atende razoavelmente bem. Porém, comecei a acompanhar o programa Super Star da Globo e quis comprar algumas músicas que gostei. Claro, eu poderia apelar pra pirataria, pegar os mp3 por ae ou simplesmente gravar o áudio do Youtube ou ainda do site do programa no GShow, mas optei pela facilidade de pagar uns trocados pra Apple, usando a iTunes Store.

      Minha intenção inicial era continuar ouvindo minhas músicas via streaming, de forma que eu não ficasse preso a plataforma da Apple e pudesse ouvir via Windows Phone e Android. No caso do Spotify, ele já reconhece as músicas do iTunes e você consegue sincronizar nos dispositivos móveis. Porém, tem um pequeno detalhe: diferente do Deezer, que faz o upload das músicas em formato MP3, no Spotify você precisa do app aberto no computador. Mas só na hora de sincronizar. Uma vez baixado no smartphone, o PC não precisa estar ligado.

      Como disse anteriormente, o Deezer tem o diferencial de subir as músicas pra nuvem. Porém, ele só suporta o formato MP3 e como as músicas compradas na iTunes Store são em M4A, tive dificuldades em fazer isso. Apesar de geek, que deveria “saber dessas coisas”, fazia tanto tempo que não pirateava música que acabei esquecendo nome de programas e afins. Apelei pro Twitter e me deram a dica de fazer a conversão usando o próprio iTunes.

      Se você for seguir a documentação da Apple, saiba que ela está errada. Provavelmente, num update do aplicativo, a empresa mudou o nome dos botões e não atualizou a documentação. Por isso, as referências não são válidas. Na prática, você deve abrir o iTunes, clicar em “Preferências”, e na guia “Geral”, clicar no último botão do rodapé “Ajustes”. Dentro da tela que vai se abrir, mude a opção “Importar Usando” de AAC para MP3. Dê Ok e volte pra tela principal do iTunes. Lá, selecione a(s) música(s) que deseja converter, clique com o botão direito e depois “Criar Versão MP3″. Aguarde alguns minutos e pronto. Versão MP3, suportada pelo Deezer, gerada.

      Pra finalizar, abra o site do Deezer, logue-se no serviço, clique em cima do seu avatar, logo debaixo de “Biblioteca” e depois em “Meus MP3″. Note que vai abrir uma tela que tem uma espaço com a orientação “Arraste seus MP3s até aqui”. Localize os arquivos do iTunes, arraste-os para a área indicada ou use o botão “Enviar Seus MP3″, se preferir selecioná-los usando o sistema de pastas do seu sistema operacional. Caso você não saiba onde estão os arquivos, você pode abrir o iTunes, selecionar os arquivos e mandar colar na área de trabalho. Depois do upload, pode apagá-los.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
nov 15

Quer passar raiva numa empresa de hospedagem? Mandic!

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 15/11/2013 às 14:14h

     No final de 2011 o UOL Host teve um dos piores “cases de fracasso” da história dos Datacenters brasileiros, quando deu um problema em um dos seus equipamentos e milhares de clientes foram afetados. Mas por que isso se destacou, já que acontece até com empresas grandes e conhecidas, como Facebook, Twitter, Google, etc.? Porque o problema não durou alguns minutos, mas sim vários dias. Em alguns casos, provedores que usavam os serviços do UOL simplesmente perderam tudo que tinha, pois a empresa não conseguiu recuperar nem os dados principais e nem os backups. Infelizmente, eu estava entre essas empresas e sofri um duro golpe, que custei a me recuperar.

     Depois do ocorrido (que relatei aqui) no blog), eu fiz uma pesquisa minuciosa atrás de um novo fornecedor. Cheguei a contratar vários pra testar o suporte e qualidade no geral. Acabei optando pela Tecla, que meses depois, foi comprada pela Mandic. Em seu site, eles dão a entender que são a empresa mais competente do mundo. Na prática, nem perto disso.

     A vida me ensinou que toda empresa tem problemas, mas como lidamos com ele é que nos diferencia. Depois da compra da Tecla pela Mandic, eu tive tantos problemas que até já perdi a conta. Infelizmente, tenho vários projetos de longo prazo que estão hospedados lá. E, diferente da Mandic, eu honro os contratos que assino e respeito meu cliente.

     Depois de dezenas de chamados abertos diretamente na Mandic, no Reclame Aqui e também no Procon, acabei indo na Justiça contra eles, quando conseguiram o cúmulo de tirar todos meus servidores do ar alegando falta de pagamento, mesmo estando tudo devidamente pago. Diante de tão grave absurdo, não vi outro jeito senão levar o caso a Justiça e pedir indenização.

     No vídeo acima eu mostro um pouco o que estou passando hoje, 15 de setembro. É feriado, devia estar descansando em família, vendo meus filhos de 1 e 3 anos crescendo, compartilhando momentos com eles. Ao invés disso, estou sentado diante do computador, tentando, sem sucesso, provar pra Mandic que ontem eles fizeram algum procedimento que desencadeou o problema reportado, já que desde o dia 22 de outubro eu não atualizo nada nos servidores e todos começaram com o problema exatamente ontem. Ou seja, do nada que não foi. Alguma coisa aconteceu e o vídeo é claro a respeito disso.

     Muita gente me pede recomendações, seja de um smartphone, tablet, TV e também provedores de hospedagem. Eu sempre fico receoso em indicar serviço no Brasil, porque a maioria é muito inferior aos prestados por empresas americanos, como a Amazon. Assim, já que não posso indicar uma, gostaria de “desindicar” a Mandic, pelos inúmeros problemas e falta de respeito que tem com seus clientes. Dê uma pesquisada sobre a reputação deles no site ReclameAqui e veja por si mesmo.

     Update 18/11/2013 15:21 => Vejam aqui o chamado que abri. Como sou profissional de tecnologia, sei da importância de uma boa descrição ao narrar um fato ao suporte. Logo, detalhei bem para que qualquer técnico nível básico entendesse. Aqui vocês podem ver a primeira resposta do suporte, negando qualquer problema na Mandic. Aqui a segundo resposta, novamente negando o problema. Apenas no dia seguinte, depois de muito reclamar no suporte, no Twitter, no blog, no ReclameAqui e tudo o mais, eles assumiram o problema. Como eu já disse anteriormente: não foi a primeira vez e sei que não será a última que eles fazem isso. Como eu também já disse, infelizmente não posso sair deles porque tenho contratos em andamento que me impedem. Depois de tudo resolvido, a única coisa que a Mandic sabe fazer é te ligar e pedir “sinceras desculpas”, como se isso resolvesse o seu tempo e dinheiro perdido, bem como sua imagem junto a seus clientes.

     Update 19/11/2013 12:25 => Além da perda de credibilidade gerada por contas erradas, que é algo totalmente intangível, tive um prejuízo direto de R$ 380,00 pra corrigir as contas erradas, geradas graças ao problema da Mandic. Eles reconheceram o problema e pediram “sinceras desculpas”. Quando eu disse quem iria pagar o prejuízo, não quiseram assumir o custo de algo que foi causado por eles. O que dizer? Lamentável. Profunda falta de respeito com os clientes e com a legislação vigente. Eu tenho ao máximo evitar um litígio judicial, mas quando o fornecedor se nega a fazer o correto, não tem outro jeito. Vamos pra mais um processo…

TAG(s):
Categoria(s): Geral
mar 20

DigitalOcean: cloud de qualidade a um preço bacana

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 20/03/2013 às 16:36h

     Antes de mais nada, apesar do título dar a entender que se trate de um publieditorial, não é. Sempre que fazemos publi, deixamos bem claro, pois gostamos de agir com transparência com nossos leitores. Apesar do nosso foco aqui no blog ser gadgets, eu comentei nos últimos dias no Twitter que estava testando os servidores da DigitalOcean e me pediram pra fazer um post a respeito. Então, aqui está ele.

     O melhor serviço de cloud computing que existe atualmente é o AWC da Amazon, que inclusive tem infra-estrutura aqui no Brasil. Porém, ele é caro e bastante confuso, especialmente no que tange a cobrança. O valor que será cobrado do seu cartão no final do ciclo leva em conta inúmeras variáveis, como quantidade de acessos a disco, tráfego, banda, servidores, etc. É bem complicado! E é justamente por isso que eu não gosto de trabalhar com eles.

     O esquema da DigitalOcean é bem simples e direto, então fica fácil de entender e ver quanto você vai realmente pagar. Existem várias configurações de servidor e preços, sendo o mais barato USD 5, isso é, se você ficar com a máquina durante todo o mês. Isso porque a cobrança é diária e proporcional ao seu uso, onde eles vão descontando do seu saldo pré-pago (comprado via cartão ou Paypal). Se você precisar apenas testar alguma coisa e apelar pra uma contingência, você sobe o serviço, usa dois dias, depois desativa quando não precisar mais. A AWS da Amazon é bem parecida, mas funciona muito melhor. Além de ter mais recursos, na Amazon você pode deixar a máquina criada e só vai pagar por ela se ela estiver rodando. Na Ocean, rodando ou não, você vai pagar por ela. No entanto, você pode criar infinitos snapshots (cópias da máquina) e pedir pra dar restore quando for usar. Isso não é mutreta! O próprio suporte me orientou a fazer dessa forma.

     Aqui no Brasil tem muito provedor que trabalha com Cloud Computing, mas não disponibiliza toda flexibilidade que a nuvem se propõe. Quando você pede pra aumentar a RAM, disco ou CPU, demoram horas, algo que vai totalmente contra o conceito de cloud computing. Na Ocean, você desativa a máquina (meio chato ter que desativar, mas fazer o que), faz a alteração no painel, espera uns 2 minutos e liga a máquina novamente com a nova configuração. Se depois quiser reduzir a configuração, pode fazer e vai pagar proporcional.

     Se tem uma coisa que eu aprendi nesses anos de TI é que praticamente tudo, no começo, funciona que é uma maravilha. Depois de algum tempo, começam a surgir problemas, seja com suporte que deixa a desejar, seja na qualidade do próprio serviço, que começa a ficar lento, instável, etc. Eu estou testando a Ocean tem apenas alguns dias e, como era de se esperar, está tudo indo muito bem. Se vai permanecer assim, só poderei relatar daqui algumas semanas.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
mar 04

FortaTrust: “Corre Bino! É uma cilada!”

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 04/03/2013 às 17:08h

     É cada vez mais frequente eu encontrar banners da FortaTrust por ae, como esse aqui, oferecendo servidores na nuvem por apenas USD 3.95 ao mês. Já peguei tais anúncios aqui mesmo no blog e decidi bloqueá-los no Google AdSense por não concordar com a forma que eles tentam iludir o cliente mais distraído.

     Apesar de no site deles ter uma nota de rodapé” explicando que o preço de USD 3.95 é apenas no primeiro mês, sendo os demais meses USD 9.95, é muitíssimo comum as pessoas assinarem o serviço e só notarem que ele mais que dobrou na fatura seguinte. Detalhe: observem que nem se dão ao trabalho de colocar um * no preço anunciado, chamando a atenção do consumidor. Ou seja, tá claro pra mim que a intenção é enganar.

     Sobre o serviço da empresa em si, eu já fui cliente deles e achei horrível. Demora mais de um dia pra detectarem o pagamento via Paypal e ativarem. Quase semanalmente o servidor sai do ar ou fica extremamente lento. Pior: ao entrar em contato com o suporte, nunca sabem de nada e tentam de enganar dizendo que não existe problema por lá. Ou seja: “Corre Bino! É uma cilada!”

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jan 28

Mandic: saiba porque não contratar nada com eles

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 28/01/2013 às 15:30h

     Quase diariamente eu recebo perguntas no Twitter sobre qual provedor é bacana pra se hospedar site, contratar servidores para Cloud Computing, etc. Eu tenho um medo enorme de por o meu na reta indicando alguém, pois em último caso, vou dar minha cara a tapa e, como não faço parte de nenhum, não tenho como fazer algo pela pessoa, caso dê errado. Assim, quando alguém me pergunta isso, eu explico o caso e não indico ninguém. O fato é que, mesmo eu não indicando, a pessoa/ empresa vai precisar dos serviços e vai ter que contratar alguém, pois ela tem essa necessidade.

     No final de 2011 eu (e centenas de pessoas) tive problema com o UOL Host. Ocorreu um problema nos serviços de Cloud Computing deles e ficou quase uma semana fora. Detalhe: todos vendem computação em nuvem como algo que praticamente nunca ficará fora do ar, uma vez que a carga do serviço é distribuída entre vários servidores, justamente com a intenção de, se um falhar, não afetar o serviço ali rodando. O caso é que, além de ter ficado fora todo esse tempo, teve gente que perdeu dados, pois aparentemente o UOL Host não conseguiu recuperar tudo e, de quebra, mostraram que o atendimento deles não é nada confiável, com respostas vagas, prazos que não são cumpridos, etc.

     Como eu disse no começo, eu não poderia me dar ao luxo de dizer: “bem, tô de saco cheio desses provedores, não vou mais trabalhar com eles”. Eu tenho uma demanda de cliente e preciso desses serviços. Assim, eu analisei quase dez outras empresas logo que sai do UOL Host e mantive estruturas rodando em vários deles, até que optei em centralizar tudo num único, que me pareceu bom: a Tecla Internet. Pouco tempo depois, eles foram incorporados pela Mandic, que é um sinônimo de internet para muitos, pois foram os pioneiros das BBS no país.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 24

TeHospedo: outro IDC pra você passar longe

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 24/11/2011 às 03:47h

     No final do mês passado o UOL Host brindou seus clientes com mais de 72 horas de indisponibilidade dos seus servicos de computação em nuvem. Na ocasião eu sai contratando vários serviços que me recomendaram pelo Twitter para testar, conforme contei aqui no blog. Um deles foi a TeHospedo, a qual passei umas 2 horas ao telefone com o consultor, que me falou sobre a excelente estrutura que eles dispunham pra me atender. Mas será que tinham mesmo?

     Com menos de um mês usando os serviços da TeHospedo eu posso assegurar que existem muitas promessas e poucas coisas reais. O painel é extremamente pobre em recursos, apesar das promessas que em breve isso será resolvido. A comunicação com a empresa é simplesmente uma lástima, seja pelo canal que for. Já abri alguns chamados ao longo do mês e a demora no atendimento impressiona.

     Enquanto eu escrevo esse post, às 4:41Hs da manhã do dia 24, tenho um servidor dentro da TeHospedo que está indisponível há várias horas. Tentei ligar para empresa e cai numa gravação pedindo pra abrir chamado. Ao tentar o atendimento via chat, a mesma sinalização. É claro que eu já tinha aberto o chamado logo que detectei o problema (fui avisado menos de 2 minutos depois, graças a um um sistema de monitoramento que uso), mas como não tive nenhum retorno, nem pra dizer que estavam cuidando do caso, tentei contato de outras formas.

     Ficou bem claro pra mim que a TeHospedo é uma empresa no estilo do UOL Host, que na hora de vender faz inúmeras promessas, mas na hora de entregar o que vendeu, deixa muito a desejar. O amadorismo da empresa é gritante e não recomendo a ninguém trabalhar com esse tipo de empresa.

     Uma empresa que até agora não me decepcionou foi a Tecla. Estou atualmente com 4 servidores lá, sendo 1 deles para contingências como essa. Irei migrar os serviços que estavam na TeHospedo pra lá e solicitar o cancelamento (já tinha pago até o final de janeiro/ 2012). Só pra vocês terem uma ideia, no mesmo momento que abri chamado na TeHospedo (e fiquei no vácuo até agora), abri outro na Tecla, simulando um problema. Poucos minutos depois o chamado havia sido respondido (por uma pessoa, não por uma resposta automática estúpida), dizendo que não detectaram anormalidade (claro, não havia porque eu apenas queria ver se iriam responder) e se colocando à disposição para qualquer outro auxílio. Isso é o que qualquer profissional que trabalha com servidores espera.

     Update 24/11/2011 11:43H => E eu achando que o UOL Host era ruim. Meu chamado na TeHospedo está aberto há mais de 8 horas, sem qualquer resposta. Suporte excelente, né?

TAG(s):
Categoria(s): Geral
out 31

Breve análise das opções de Cloud Computing no Brasil

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 31/10/2011 às 14:26h

     Estou escrevendo esse post para compartilhar os conhecimentos que adquiri ao pesquisar alternativas de serviços de Cloud Computing no Brasil, uma vez que o UOL Host decidiu receber o prêmio de mico do ano batendo todos os recordes anteriores de indisponibilidade com larga folga. É importante lembrar que, dependendo do tipo de projeto/ serviço que você precisa, existem alternativas internacionais muito mais acessíveis e conceituadas, como é o caso do AWS da Amazon, CloudSigma, Liquidit, entre várias outras. No meu caso, que trabalho fornecendo sistemas para provedores de telefonia sobre IP (VoIP), a latência de manter uma infra-estrutura fora do país é algo que invibializa a hospedagem internacional.

     O UOL Host tinha planos com preços bem agressivos, começando com 1 core de 1.2GHz, 512MB de RAM e 2Mb de banda (com tráfego ilimitado) por R$ 79,00 mensais. O plano seguinte tinha 2 core de 1.2GHz, 1GB de RAM e 4Mb de banda por R$ 129,00 ao mês. O painel do UOL Host era bem limitado e não tinha muitas opções. Pior, apesar deles venderem o conceito do cloud, como sendo fácil e rápido contratar recursos adicionais, isso não estava disponível. Segundo me informou um atendente pelo chat, teria que contratar uma nova máquina e migrar os dados. Ou seja, reinstalar e configurar tudo de novo, o que demanda muito tempo. Não sei se era só comigo, mas eu sentia que a performance dos servidores oscilavam demais. Nos finais de semana e a noite era excelente. Já durante o dia, tinha uma queda brutal de performance, como se os recursos oferecidos não fossem suficientes e garantidos. Em alguns casos, o servidor chegava a travar e apesar do painel de controle ter a opção de reboot, esse demorava vários minutos a voltar.

     Antes de apresentar as alternativas nacionais que estou testando, vou fazer alguns comentários sobre o AWS da Amazon, que talvez seja o mais conceituado serviço de computação em nuvem e atende milhares de clientes pelo mundo, incluindo ae grandes empresas. Apesar de ser um pouco confuso determinar quanto realmente você vai pagar por mês, o serviço é excelente. Sou cliente deles há alguns meses e posso dar meu testemunho de satisfação. O painel é super poderoso e permite mudar a configuração da máquina de forma extremamente rápida, colocando mais IPs, memória, CPU, discos, etc. E o melhor: você paga apenas o período que usar. Assim, se na média do mês você precisa de um determinado número de recursos, mas em todo final de mês (fechamento) nota que o serviço fica lento, basta colocar mais recursos nesses dias (ou até horas). Além disso, dá pra criar snapshots e modelos das máquinas, que podem ser facilmente replicadas, tanto dentro da mesma conta, como em outras contas. É muita facilidade!

     Voltando pra realidade brasileira, vamos começar a falar da Locaweb. Devo confessar que não sou muito fã da empresa, pois já tive uma péssima experiência com eles no passado. Certa vez eu migrei o blog pra lá, acreditando na propaganda que faziam, dizendo que os recursos eram todos ilimitados. Pouco tempo depois, o blog começou a apresentar várias falhas e quando entrei em contato, disseram que o número de conexões simultâneas do MySQL haviam excedido e eu deveria mudar de plano. Ae eu disse: “como assim? não é tudo ilimitado?”. E eles: “não sr.. ilimitado é apenas disco e tráfego, o resto tem que contratar a parte”. Como isso não tava escrito em lugar algum, fiquei muito p. da vida e tirei o site de lá. Todavia, se eu for levar em conta as experiências ruins que eu tive ao longo desses anos, vão sobrar poucas empresas para trabalhar. Assim, decidi que passado é passado e bola pra frente.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
jun 16

Como resolver problemas no backup do iCloud

15 Comentarios »Postado por GordoGeek em 16/06/2011 às 16:53h

     Faz mais de uma semana que eu estava batendo cabeça tentando fazer o backup do iPad e iPhone pelas contas do iCloud, mas ele nunca terminava. A previsão era sempre de várias horas (19 horas no iPhone e 7 no iPad). Depois de alguns minutos tentando enviar os dados, ocorria falha e quando eu retomava o procedimento, ele começava do início. Já tinha desistido de tentar, quando me deram a preciosa dica pelo Twitter de como resolver.

     O backup que o iOS manda pra nuvem contém informações relevantes ao seu aparelho em caso de um restore, como todas as configurações dos aplicativos nativos, incluindo ae as configurações do sistema, bem como de suas contas de emails, documentos, fotos e conteúdo dos apps de terceiros. E era justamente ae que morava o problema: alguns apps chegam a ter mais de 1GB de dados internos e subir tudo isso pra nuvem, usando uma conexão “podre” da Telefonica, é praticamente impossível. Como proceder então?

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Dicas
preload preload preload