dez 10

     Depois de muitos anos usando a Vivo como operadora principal, acabei mudando pra Claro, pois vinha tendo muitos problemas de cobertura, qualidade de chamada e especialmente baixas velocidades de 3G (não passava de 100kbps) com a Vivo, mesmo no começo do ciclo da franquia, com muitos MB ainda pra estourar o limite. Cheguei até a tentar usar a Tim, por causa dos novos planos com tarifas muito baixas pra falar com outras operadoras, mas como vivo sem sinal ou fico no GPRS (sim, nem EDGE é), acabei ficando com a operadora vermelha mesmo.

     A Claro me trouxe melhor cobertura (geralmente 3 ou 4 barrinhas), qualidade de chamada melhor e um 3G acima de 5mbps na média. Além disso, tem o benefício deles não cobrarem pelo uso de Facebook, Twitter e WhatsApp. Assim, meu plano de 600MB por R$ 24,90 acaba durando muito mais, pois meu maior uso (redes sociais) não é incluso na franquia do plano de dados.

     Como nem tudo são flores, tenho duas chateações com a operadora. Quem me acompanha pelo Twitter já deve saber muito bem quais são. Primeiro, eles ficam enviando uma propaganda massiva, mesmo eu pedindo pra não receber nada. Segundo, não existe recorrência nos pacotes de internet, me obrigando a efetuar a contratação manual todos os meses. Vou explicar melhor porque isso é chato.

     Apesar deu já ter pedido inúmeras vezes pra operadora parar de me enviar propaganda, inclusive 3 delas via Anatel, ela insiste em fazer. Se fosse um simples SMS, eu já acharia chato e abusivo, pois não quero receber, mas seria menos problemático. O x da questão é que ela envia a propaganda nesse formato, onde a tela do celular se acende e a mensagem fica na tela. Um toque errado no botão (com o celular no bolso, por exemplo) e você contrata um pacote sem querer. Detalhe: a burrice (ou má fé) da operadora chega a tanto que, mesmo eu tendo usado menos de 10% da franquia contratada do 3G, eles querem me vender um plano diário de dados. Oi? Não tem CRM nessa empresa, pra saber que tipo de propaganda deve ser encaminhada pro cliente?

     O segundo problema é que os pacotes de internet (R$ 14,90 por 300MB e R$ 24,90 por 600MB) não possuem recorrência. Ou seja, você não contrata uma vez, todo dia X eles cobram e você vai usando. No dia do vencimento, o pacote expira e eles começam a te cobrar R$ 0,75 pelo pacote diário. Gozado que, mesmo o celular estando no Wi-Fi, se a opção de dados estiver ativa, a cobrança vai ocorrer. Chato, né? Mas tem mais.

     Se você contratou o pacote no dia 10, ele não expira no próximo dia 10 às 23:59h. Ele expira na hora da contratação, mesmo a informação do *1052# dizendo que é às 23:59h. Assim, se você ativou dia 10/11 às 20:10h, no dia 10/12 às 20:11h eles já te cobram os R$ 0,75. Isso ocorreu ontem comigo.

     Outro detalhe é que você não tem a opção de cancelar o pacote, dentro da vigência dele e recontratar logo em seguida, pra não ocorrer essa cobrança de R$ 0,75. A única opção possível é você configurar um alerta no celular, desativar a opção de dados e esperar o SMS dizendo que o pacote venceu. Em seguida você o contrata de novo. Eu sinceramente acho isso de uma burrice, que fico na dúvida se é realmente falta de bom senso ou uma dificuldade pensada pra justamente cobrar centenas de milhares de usuários nesses R$ 0,75. O que vocês acham? Burrice ou má fé pra lesar o consumidor?

TAG(s):
Categoria(s): Geral
nov 20

Moto G não funciona com Home Banking do HSBC

18 Comentarios »Postado por GordoGeek em 20/11/2013 às 22:42h

     Geralmente, quando eu recebo um gadget, o primeiro post é de primeiras impressões. E devo confessar que as primeiras horas com o Moto G foram bem surpreendentes. Porém, quando chegou na hora de instalar o app do HSBC, deu problema. Algo similar aconteceu no Nova Launcher e infelizmente isso já acontecia com outro modelo da fabricante (não me recordo agora qual RAZR foi, mas acho que foi no RAZR HD).

     Eu estava super animado com o aparelho e rasgando elogios no Twitter. Mas, diante desse problema, broxei geral. Isso porque eu comprei esse aparelho para substituir o Nexus 4, já que ele tem 2 chips e seria mais versátil que o puro sangue do Google. Contudo, se eu não posso sequer instalar o app do meu banco, não me serve. Muito provavelmente eu vou devolvê-lo.

     Ressalto que, conforme deixei claro no vídeo, a culpa não é só da Motorola. O HSBC, ao invés de fazer como todos os outros bancos e por o seu app na Google Play, resolveu ser “criativo” da maneira errada e hospedar o arquivo em seu site. Só que o Android tem mecanismos de segurança que impedem que você saia instalando qualquer coisa, especialmente para te impedir de instalar um malware qualquer. Existe sim a opção de desativar tal verificação, eu fiz isso (conforme tá no vídeo), mas acredito que a Motorola fez alguma customização que não devia no Android e não ficou redondo. Apenas para documentar, aparece na caixa de texto “erro de análise” e dentro dela “ocorreu um problema ao analisar o pacote”.

     Update 22/11/2013 06:10 => Ontem a Motorola entrou em contato comigo pra saber exatamente o problema que eu vinha tendo com o HSBC. Expliquei pra eles e fiquei na torcida pra arrumarem. Porém, em paralelo, eu corri atrás de uma solução, já que eu simplesmente amei o Moto G, mas sem resolver o problema de instalar arquivos via apk, eu iria devolvê-lo. A solução era mais simples do que eu pensava. Bastou eu habilitar o modo de desenvolvedor, depois ativar o modo de depuração USB, plugar no Mac, jogar o arquivo de instalação do HSBC no mesmo diretório do SDK (eu já o tinha no Dropbox) e digitar: ./adb install hsbc_android.apk. Ele vai dar uma mensagem no Moto G, pedindo pra confirmar, você confirma e problema resolvido, conforme você pode ver aqui.

TAG(s):
Categoria(s): Android
jun 28

Abra o olho na renovação do seu plano pré-pago 3G

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 28/06/2011 às 09:43h

     Como comentei aqui no blog, meu pai comprou um iPad 3G e anda com o bichinho pra tudo que é lado. Acabei fazendo um plano pré-pago 3G da Claro pra ele. Optei pela operadora pois na cidade em que ele mora só tem sinal 3G pela Vivo e Claro. A Tim ainda é GPRS, como em boa parte das cidades do interior de São Paulo. Como o plano de internet 3G pré-paga mais em conta da Vivo são R$ 9,90 e tem apenas 10MB de quota (contra 300MB de Claro e Tim), a escolha foi meio óbvia.

     Apesar de já conseguir se virar no iPad, usando email, web, facebook e afins, algumas operações simples pra alguns de nós, ainda são complicadas para um iniciante. Uma delas é a renovação do plano de internet pré-paga, que deve ser feita mês a mês, de forma manual, uma vez que as operadoras não tem um mecanismo de renovação automática e nem uma integração no próprio iPad, como é feito pela AT&T nos Estados Unidos. Diferente do Galaxy Tab, que possui aplicativo de SMS e inclusive faz e recebe chamadas, funcionando como um grande smartphone, o iPad não tem tais recursos. Assim, o assinante é meio que obrigado a tirar o microSIM (uma operação meio chatinha pra quem não está acostumado), colocar em outro telefone e reativar o plano através do SAC. Existe ainda a opção do SMS, enviando uma mensagem pra um determinado número e seguindo alguns passos, também via SMS. Por último, resta ainda a opção no site da operadora, que devo salientar, geralmente não aceita a operação, dando erro, o que obriga a ligar no SAC.

     Pra não deixar meu pai responsável pela tarefa de renovação do plano, que certamente iria confundí-lo e até estressá-lo, talvez até a ponto de deixar o iPad sem conexão, resolvi assumir essa tarefa e nem falo pra ele que é nececessário pagar pelo 3G. Pra ele, o iPad acessa a internet magicamente. Dessa forma, todo dia 27 eu tenho que entrar no site da Claro e ir tentando renovar o plano. É muito raro quando vai de primeira. Geralmente tenho que tentar umas cinco vezes ao longo do dia. E é ae que mora o problema!

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload