mai 01

Quer usufruir do Netflix? Não compre o Boxee Box.

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 01/05/2012 às 07:13h

     Conforme comentei anteriormente aqui no blog, comprei um D-Link Boxee Box. Hoje eu recebi o produto e gostei de várias coisas nele, mas que foram completamente ocultadas por um enorme problema: não funciona Netflix. O pior de tudo foi o posicionamento por parte da D-Link ao explicar os motivos do não funcionamento. Eu sinceramente não gosto de me relacionar com empresas com esse tipo de postura e penso em devolver o produto.

     Se você der uma rápida procurada no Google pelo Boxee Box, vai ver que existem dezenas de matérias anunciando a chegada do produto e dizendo que o mesmo seria compatível com o Netflix. Na prática, infelizmente isso não acontece, o que motivou inúmeras reclamações contra a D-Link no site ReclameAqui. Pelo que pude notar, a empresa tem entrado em contato com os consumidores e alegando que, por motivos contratuais, não pode habilitar o serviço aqui.

     Como eu já havia antecipado no outro post, o Boxee Box é um minicomputador equipado com uma CPU Intel Atom e roda uma versão modificada do Linux. O usuário final nem fica sabendo disso, pois quando o aparelho inicia, ele cai direto na interface do Boxee. Assim, é de se imaginar que ele rode tudo como num computador. Ao tentar entrar no site da Netflix, ele carrega normal, permite que faça o login, mas ao clicar em qualquer ítem, ele avisa que o dispositivo não é compatível.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
abr 22

Makro erra e é obrigado a honrar anúncio

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 22/04/2009 às 15:30h

     A rede Makro cometeu um erro de digitação numa mala direta enviada a clientes, onde constava um notebook de R$ 1.899,00 por R$ 899,00.

     Num primeiro momento a empresa se negou a vender o produto pelo preço anunciado, o que causou revolta nos consumidores, pois muitos se deslocaram de outras cidades até a loja.

     Indignados com a falta de comprometimento da empresa, os consumidores foram até a delegacia e fizeram um boletim de ocorrência. Posteriormente, foram também ao Procom, que determinou que a empresa vendesse o produto no preço originalmente anunciado. E assim foi feito.

TAG(s):
Categoria(s): Notícias
preload preload preload