dez 07

Como criar facilmente uma rede Wi-Fi para convidados

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 07/12/2015 às 11:20h

     Esses dias eu comentei no Twitter que havia criado uma rede Wi-Fi para convidados que vem em casa e me perguntaram como se faz isso. O mais curioso é que muita gente achou que isso é complicado ou caro de se fazer. Não é.

     A maior vantagem em se criar uma rede para convidados é separar a sua rede local da rede que os convidados terão acesso. Assim, ao se conectar na rede para visitas, eles só poderão usar a internet e não terão permissão de ver seus computadores. Assim, você diminui os riscos de alguém acessar algo que não deva (como aquelas suas fotos íntimas).

     Infelizmente não existe um padrão e cada fabricante tem uma interface diferente para seus produtos. Acontece inclusive do mesmo fabricante ter interfaces diferentes dependendo dos modelos de roteadores comercializados.

     Eu tenho vários roteadores em casa, pois a pessoa que a construiu deve ter utilizado paredes de chumbo. Pouco tempo depois de me mudar, eu gastei uma graninha passando cabos RJ-45 Gigabit para os cômodos. Foi trabalhoso e um tanto caro, mas consegui interligar os roteados por um cabo de alta velocidade e não via Wi-Fi em modo WDS, como geralmente as pessoas fazem quando não querem ter muito trabalho.

     O meu roteador central (onde chega o cabo do modem do provedor da internet) é um TP-Link N750 (TL-WDR4300). Na época que comprei, ele estava por volta de R$ 275. Hoje, pelo que vi no Buscapé, está bem mais caro (agradeço ao dólar alto). O lugar mais em conta (e confiável) que encontrei foi no Walmart por R$ 379 em 3x.

     Apesar do meu roteador não ser dos mais baratos, eu já vi essa função de criar rede para convidados em aparelhos na faixa de R$ 200. Acredito que, apesar de diferentes, as interfaces são um tanto parecidas e as “palavras chaves”, que podem te levar a achar o recurso em seu modelo, também são.

     Aqui no meu caso, no menu esquerdo, eu clico “Guest Network”. Capturei a tela do meu roteador pra ficar mais fácil. Veja aqui.

     Meu roteador, por ser mais caro, ele tem muitos recursos. Mas o básico que você precisa configurar pra ativar a rede Wi-Fi de convidados é o seguinte. Preencha o nome da rede (Network Name), algo como “Convidados”. Escolha o tipo de segurança empregada na autenticação (Wireless Security): WPA/ WPA2. Por último, defina a senha (PSK Password).

     Mesmo sendo uma rede só para internet, separada dos seus computadores, não recomendo que você a deixe sem senha ou escolha algo muito fácil. Afinal, o sinal acaba vazando e seus vizinhos podem fazer uso da sua internet sem a sua permissão. Isso não apenas degrada a sua velocidade, como pode lhe colocar em problemas, tendo em vista que eles podem fazer uso indevido (algo ilegal) e o IP que vai aparecer nos logs é o seu. Logo, você será responsabilizado.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mar 07

Vale a pena colocar lâmpadas de emergência em casa?

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 07/03/2015 às 03:10h

     Você já deve ter observado que vários locais no comércio tem lâmpadas de emergência, correto? Mas será que vale a pena instalar um sistema desses em casa? Bem, eu tenho algumas em casa já tem uns 6 anos e já me salvou de várias roubadas.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Eu jurava que já tinha feito um post sobre isso antes. Mas fui procurar e não achei. Acredito que, como comentei muito sobre isso no Twitter, fiquei com essa impressão. Então lá vou eu corrigir esse lapso e deixar algo bem formulado para pesquisa futura dos leitores.

     Com a energia subindo cada vez mais, comecei a passar um pente fino em casa, atrás dos gastões de energia. Quem sabe eu consigo reduzir o consumo e, por consequência, a dor no meu bolso, né? Falei disso ainda essa semana aqui no blog, quando ensinei como calcular o consumo dos aparelhos.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
set 20

Quando um update é necessário e quando é frescura

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 20/09/2013 às 15:54h

     Muita gente fica com medo de comprar um dispositivo Android por causa da lentidão dos updates. Mas isso é realmente importante ou pura frescura? E por que diabos isso acontece? Vamos falar um pouco sobre isso.

     O primeiro ponto que eu queria destacar, que quase nunca vejo por ae, quando o assunto updates é abordado, refere-se a lucratividade dos fabricantes. Enquanto a Apple tem margens bem gordas, quase todos os fabricantes que usam o Android em seus aparelhos tem margens ridículas. E quando falo ridículas, são realmente muito baixas! Ou seja, se você ganha uma mixaria por cada aparelho vendido, contando com a venda em escala, qual seria o seu interesse no usuário ficar com um aparelho por muito tempo? Nenhum.

     Mesmo que o processo de liberar um update pro aparelho fosse uma coisa fácil, seria pouco interessante pro fabricante ficar liberando novas funções pra um aparelho “antigo”, o que diminuiria a vontade do usuário em comprar um novo, uma vez que ele já tem a função dos novos via software. Mas, ao contrário do que alguns podem pensar, soltar uma nova versão do Android pra diversos aparelhos é uma tarefa complicada. E, tudo que envolve complicação, envolve tempo, que por sua vez, envolve dinheiro. Ou seja, porque o fabricante iria empenhar mais dinheiro em algo que não vai lhe trazer mais dinheiro? É muito melhor investir esses recursos num novo aparelho, pra trazer mais grana. É assim que a banda toca no mundo capitalista.

     Como a Apple é responsável pelo hardware e software do seu produto, fica muito mais fácil, rápido e barato, manter seus aparelhos atualizados. Quando o Google libera um update do Android pra sua linha Nexus (que roda o software mais atual), os outros fabricantes vão começar a trabalhar em cima dele. Ae precisam adaptá-lo ao seu hardware, jogar aquela camada de customização (que ninguém realmente quer) pra se diferenciar da concorrência, fazer testes em diversas operadoras, etc. Ou seja, o processo fica mais complicado, caro e demorado.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android
jul 22

Vai vender cartão de memória? Use essa dica!

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 22/07/2013 às 16:23h

     Já pensou estar tranquilão no sofá navegando pela internet e dar de cara com uma foto nada discreta sua por ae? E pior, que foi tirada por você mesmo, mas nunca postada (não intencionalmente)? Esse tipo de situação (e muitas outras) podem acontecer se você não for uma pessoa cuidadosa.

     Existem dezenas de programas que podem ser utilizados para recuperar pequenos desastres, como problemas num HD ou simplesmente um deslize ao mandar apagar ou formatar algo. Ou seja, nada impede que o novo comprador de seu computador, HD ou cartão de memória tente recuperar os dados que ali haviam, mesmo você tendo apagado e/ ou formato o dispositivo.

     Eu tenho 7 HDs externos em casa, de diferentes capacidades, marcas e modelos. É comum eu ter backup de uma coisa em 3 deles. E um dia, ao mandar formatar um deles, vi (quando já era tarde demais) que mandei apagar algo por engano. Recorri a um desses programas pra recuperar informação apagada, ele ficou algumas horas varrendo o disco e, para a minha surpresa, me trouxe coisas que eu já tinha apagado há muitos anos.

     Já comentei aqui no blog sobre o problema dos cartões microSD da SanDisk. O novo capítulo da novela é que, ao invés de destruir os cartões, eles me pediram pra enviar pra eles. E, sabendo que qualquer um pode recuperar dados apagados, estou fazendo uso de um programa chamado SD Formatter, que tem versões para Windows e Mac e não custa nadinha.

     Esse programa tem uma opção onde ele fica por horas num ciclo de escrita e remoção dos dados no cartão. Só para se ter uma ideia, cada cartão de 64GB ficou 3 horas nesse procedimento. Isso torna quase impossível a recuperação dos dados contidos ali. #FikDik

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jun 26

Teste noturno de qualidade das câmeras IP da DX

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 26/06/2013 às 11:23h

     Muitas pessoas me perguntam se as câmeras IP compradas na DealExtreme são boas. Eu já tive alguns problemas com elas e é praticamente impossível achar assistência no Brasil. As originais já são complicadas, imagina as “paralelas”, compradas na China. Mas como elas são muito mais baratas que as vendidas no Brasil, muita gente (como eu) acaba se arriscando a importá-las.

     É sempre bom lembrar que mesmo custando abaixo de USD 50 e a DX enviando como presente (gift), a Receita Federal já sabe desse procedimento e acaba não isentando o produto, pois essa regra é apenas de pessoa física para pessoa física e foi criada para que algum parente ou amigo morando no exterior, possa lhe enviar algum agrado vez ou outra. Se ela pegar, como tem pego, vai tributá-la em uns R$ 80,00. Ou seja, acrescente isso ao valor da câmera e veja se vale a pena.

     Sobre a qualidade da imagem em si é bem razoável, mesmo sendo em SD (480p). O infra dela é relativamente forte e dá pra ver muito bem de noite, conforme você pode observar no vídeo ae em cima. Claro, está longe de ser um produto profissional, mas pode resolver o seu problema ae. O modelo que eu tenho comprado ultimamente é esse aqui, que custa USD 48.20. Se computar o dólar (nas alturas), mais o IOF e tal, sai em torno de R$ 120,00. Se você der azar e a Receita tributar, uns R$ 200,00.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
dez 17

Restrições que aumentam a segurança do iPhone

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 17/12/2012 às 15:57h

     Na semana passada eu fiz um comentário sobre o “Find My iPhone” no Twitter e vi que várias pessoas não entenderam muito bem sobre o que eu falei, me pedindo pra explicar melhor. Prometi gravar um vídeo contando um pouco mais sobre isso, já que não há melhor forma de explicar esse tipo de coisa. E ae está ele:

     Caso você tenha o celular roubado, provavelmente a primeira coisa que a pessoa que tiver de posse do aparelho irá fazer é desligá-lo. Com isso, adeus atualização da localização e mais difícil será recuperar o celular. Porém, se você tiver com um pouco de bateria no iPhone e o recurso de restrição por senha, as chances aumentam.

     Evidente que a pessoa pode tirar o chip do aparelho ou então zerá-la diante de um computador. Tirar a bateria, não tem como, pois não tem como acessá-la no iPhone (não de maneira fácil, como em outros aparelhos). Retirar o chip até é fácil, mas o ladrão precisa ser um pouco mais entendido e andar por ae com um ejetor de SIM próprio ou arranjar um clipe de papel (daqueles mais finos).

     Além de colocar uma senha de acesso ao aparelho, eu costumo ativar as restrições, não deixando que se removam ou alterem as contas de email, entre elas, a que fica vinculada ao “Find My iPhone”. Quanto mais camadas de segurança você colocar na solução, melhor ela fica.

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Dicas
mar 13

Instalando câmeras de segurança CFTV [Vídeo]

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/03/2012 às 13:57h

     Já fiz uma série de posts aqui no blog a respeito de sistemas de segurança, testando DVR, câmeras IPs, fazendo configuração de roteador, etc. Porém, nunca cheguei a mostrar como se faz os cabos para instalar as câmeras tradicionais. Abaixo, divulgo um vídeo que ensina como deve ser feito.

     Como podemos ver, fazer o cabo não é nenhum mistério. Aqui na minha cidade, o pessoal costuma cobrar R$ 70,00 por câmera instalada. Ou seja, se você tem um pequeno circuito fechado de TV com 4 câmeras, são quase R$ 300,00. Com habilidades mínimas, você consegue dar conta da instalação da sua casa economizando com a mão de obra.

TAG(s):
Categoria(s): Segurança
jan 04

Breve análise do DVR Stand Alone Dimys 6588/78

10 Comentarios »Postado por GordoGeek em 04/01/2012 às 16:47h

     Ano passado eu resolvi alterar o esquema de monitoramento que tinha em casa, principalmente para reduzir o consumo de energia que uma máquina ligada 24×7 gerava. Acabei colocando um DVR e liberei a antiga máquina. Como eu queria colocar câmeras também no salão da minha esposa, mandei a máquina pra lá. Porém, como essa solução começou a dar alguns problemas, optei por comprar um DVR pra lá também. No entanto, como não estava nos meus planos comprar um DVR (iria usar a máquina por um tempo, até sobrar uma grana pro DVR), optei por um bem baratinho: o DVR da Dimys (6588/78).

     Quem conhece um pouco de monitoramento já deve ter ouvido falar da marca. Em casa eu tenho algumas câmeras deles. Eles são conhecidos por produtos de baixo custo. A marca não é sinônimo de qualidade. Resolvi arriscar a compra porque, como foi feita via Mercado Livre (R$ 549,00), se fosse muito ruim eu acabaria pedindo pra devolver. Claro, podia me dar um pouco de dor de cabeça, mas tá no código de defesa do consumidor: compras feitas pela internet podem ser canceladas em até 7 dias. E lá fui eu…

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets, Segurança
jun 15

     No começo de abril eu escrevi aqui no blog sobre minha preocupação com relação a meus dados cadastrais em sites e serviços online. Parece que eu estava com o modo Mãe Dinah ligado e de lá pra cá, vários casos de invasões ocorreram. O que mais assusta é que não são empresas pequenas e sim, potências da área de tecnologia e até governos.

     O caso da Sony foi o mais emblemático. No dia 3 de maio, a empresa japonesa reconheceu que sua rede foi invadida e comprometeu o cadastro de mais de 20 milhões de clientes ao redor do mundo. Nos dias que se seguiram os hackers levaram a empresa ao inferno corporativo e invadiram outros sites ligados a empresa ao redor do mundo. A empresa virou motivo de piada mundial e abalou seriamente a confiança de seus clientes.

     Nas últimas semanas, não passa um único dia sem que vejamos um caso de invasão na mídia. Até a poderosa Lockheed Martin, empresa responsável por boa parte de equipamentos bélicos utilizados pelos Estados Unidos, também teve sua rede atacada. Ainda ligado ao governo americano, o site do senado sofreu o problema por duas vezes! Nem a CIA escapou e teve o site retirado do ar.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Notícias
mai 20

A Apple gosta do seu dinheiro, não de você.

9 Comentarios »Postado por GordoGeek em 20/05/2011 às 12:41h

     Evidentemente que toda pessoa que se envolve num empreendimento de risco visa o lucro. Quanto maior, melhor. Tirando as caridades de Bill Gates e outras ONGs mundo afora, empresas foram feitas para trazer lucros a seus investidores. A Apple não é diferente, apesar de muitos fãs terem uma relação quase religiosa com a marca.

     A Apple sempre bateu na tecla que sua plataforma é mais segura que outras, como o Windows. Muitos usuários de Mac não utilizam qualquer suíte de segurança (eu inclusive) e chegam a fazer piada com os usuários que instalam tais ferramentas. Porém, apesar da arquitetura do sistema da Apple ser mais robusta e segura que a da concorrência de Redmond, ultimamente a base instalada de Macs vem crescendo em todo o mundo e despertando interesse dos hackers. Antes, eles não se preocupavam em fazer uma ferramenta específica para o mundo Apple, visto que o número de usuários era insignificante. Com a popularização dos computadores da Maçã, isso vem mudando. Além disso, a Microsoft tem investido muito em segurança e o Windows 7 é bem mais seguro e estável que seus antecessores.

     Essa semana ocorreu um fato que me deixou bastante perplexo, não pela vulnerabilidade em si, mas pela reação da Apple a ela. Ao invés de oferecer todo o suporte necessário a seu cliente, já que “prometeu” que sua plataforma era mais segura, a empresa teria orientado seus funcionários a fazer os clientes de idiota, nem negando, nem confirmando o problema. Eu até concordo que o contrato de suporte possa não incluir remoção de vírus e/ ou malware, mas orientar o cliente, resolver e se for o caso, até cobrar a parte, é o mínino de comprometimento que se espera da empresa. Pisou feio na bola!

     Update 25/05/2011 14:23H => Depois de ter tomado muita pedrada, a Apple voltou atrás em sua decisão de mandar o usuário se virar pra remover o malware e, além de publicar instruções sobre o procedimento de remoção, no próximo update do sistema MacOS, a remoção será automática.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
preload preload preload