mai 05

Cuidado: o Deezer pode consumir toda a sua cota do 3G

Comentários desativadosPostado por GordoGeek em 05/05/2014 às 15:32h

     No mês passado eu tive um dissabor muito grande com o Deezer. Eu tinha acabado de renovar o meu plano 3G (R$ 11,90/ mês no Vivo Sempre) e, ainda no carro, recebi um SMS. Como estava dirigindo, deixei pra lá e só fui verificar o que era quando cheguei ao meu destino. Pra minha surpresa, era a operadora me avisando que eu tinha atingido a minha franquia de dados e minha navegação estava sendo reduzido para 32kbps.

     Fiquei muito p. da vida, pois como já relatei, eu tinha acabado de começar uma nova franquia no dia anterior. Ao verificar nas configurações do Android quais eram os apps que estavam consumindo os dados do 3G, me deparei com o aplicativo do Deezer. Sozinho, ele baixou quase 200MB do 3G em questão de minutos, no trajeto que fiz da minha casa para o local do compromisso. Ou seja, ou ficava mais quase um mês sem internet (porque vamos combinar que 32kbps você não faz nada) ou renovava o plano. Tive que gastar mais R$ 11,90 pra não ficar na mão.

     Hoje, novamente, aconteceu o mesmo problema com a minha franquia. E, novamente, o problema foi com o app do Deezer. Quando o smartphone estava em casa, no Wi-Fi, ele estava sincronizando minhas playlist. Porém, quando coloquei-o no bolso pra sair, ele não detectou o fim do Wi-Fi e continuou a tarefa no 3G, esgotando meu plano de dados em poucos minutos. Não deu nem tempo de chegar no meu destino, a operadora já enviou o fatídico SMS novamente.

     Ao comentar do problema no Twitter, o suporte do Deezer me recomendou usar o modo Offline. Sinceramente? Esperava muito mais deles. Primeiro, o reconhecimento de culpa, pois no Spotify isso não acontece. Se o app está sincronizando e percebe que o Wi-Fi está indisponível, ele para de baixar, pra não comprometer a franquia do 3G. Segundo, seria de bom tom me oferecer um promocode pra compensar o prejuízo que tive. Terceiro, seria adequado eles divulgarem aos usuários que isso pode acontecer, evitando dissabores como os que eu tive.

     Em resumo: se você tem o hábito de sincronizar playlists pra ouvir offline, justamente para não ficar dependendo do 3G, fique muito esperto, pois caso contrário você terá graves problemas com a sua franquia de dados, já que o app do Deezer não é esperto o suficiente para entender que não está mais numa cobertura Wi-Fi.

     Essa foi a gota d’água pra eu cancelar meu plano do Deezer. Eu já estava insatisfeito com outros fatores (que falo mais abaixo), mas diante desse problema se repetindo e de uma falta de perspectiva que isso seja corrigida, já que o suporte praticamente lavou as mãos, não me resta outra alternativa senão usar apenas o Spotify.

     Pra quem ficou curioso sobre os outros motivos, vamos a eles. Primeiro, a falta de uma plano familiar. Sim, eu sei, no Spotify também não tem. Porém, no Rdio tem. Com algo em torno de R$ 50,00 mensais eu consigo ter 5 contas, o que atende a toda a família. O desconto é muito bom e não vale a pena fazer planos individuais. Sobre o ambiente de cada um, é totalmente separado e ninguém interfere nas músicas ou playlists do outro.

     Uma outra coisa que aconteceu comigo ainda ontem é que, sabe-se lá o motivo, o Deezer resolveu gravar as músicas em cache no armazenamento local do telefone e não no cartão microSD. Quando eu mandei mover pro cartão, ao invés dele jogar tudo que já tinha baixado pro cartão, ele apagou tudo, sem me dar qualquer aviso prévio de que isso seria feito. Ou seja, uma semana baixando músicas offline a toa. Começou tudo do zero. Burrice demais na minha opinião.

     O que mais me irrita no entanto é a limitação de se fazer streaming para mais de 3 dispositivos. Vejam bem a explicação. Não é a capacidade de se fazer cache (gravar músicas offline) em mais de 3 dispositivos, já que praticamente todos os serviços de streaming tem essa limitação. O problema é não se conseguir ouvir mais que 30 segundos em outros dispositivos, um fator limitante presente apenas no Deezer. Em outros serviços você consegue ouvir normalmente, desde que outro aparelho não esteja usando na mesma hora (simultâneo). Recentemente o Deezer lançou uma função rádio que permite o streaming de mais de 30 segundo, mas convenhamos, eu pago esse serviço para ouvir as músicas que eu gosto e não uma rádio. Inútil pra mim!

     Nem tudo são flores no Spotify. Não é um serviço perfeito. Ainda está meio em beta no Brasil, ele não permite mudar a cache de lugar, não tem plano familiar pra economizar, mas pensado prós e contras, ele me parece ser o melhor disponível atualmente. O acervo é bom, ele não vai fazer a cagada de consumidor toda a sua franquia do 3G e existem playlists para praticamente todo o tipo de situação, que facilitam muito no dia-a-dia.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
dez 17

Como importar sua biblioteca do Spotify para o Deezer

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 17/12/2013 às 11:48h

     Há cerca de 2 meses eu escrevi aqui no blog que estaria dando uma nova chance ao serviço de streaming de música Deezer. De início, devo confessar que isso aconteceu mais por demérito da concorrência do que pelo mérito da própria empresa. Mas o fato é que, meses depois, estou bastante satisfeito com a mudança. Evidente que não é perfeito (como nada nesse mundo), mas recomendo.

     Todos que me acompanham por mais de 2 dias sabem o quanto eu sou crítico. E claro, não podia ser diferente com a Deezer. Apesar de gostar bastante, ainda tenho algumas críticas sobre coisas que poderiam melhorar, como: 1) ter um plano familiar, como o Rdio 2) cobrar um extra para permitir músicas offline em mais de 3 dispositivos 3) melhorar o catálogo com algumas músicas ainda indisponíveis 4) falta de um app dedicado no OSX, pois às vezes é chato ouvir só no navegador. E por ae vai.. Todas as críticas eu passei pro pessoal e estou acompanhando o andamento.

     Em virtude da minha massiva divulgação do serviço (não tão me pagando nada, sequer uma conta grátis), muitas pessoas estão assinando e me fazendo algumas perguntas. Talvez a que mais ouço é sobre como migrar sua biblioteca de músicas do Spotify para a Deezer. O vídeo acima é curtinho, sem áudio, mas ensino como se faz.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jun 10

Frustração do dia: cobertura da WWDC 13

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/06/2013 às 15:52h

     Mesmo pagando três provedores de internet, tudo pra ter contingência e conseguir trabalhar usando a internet, às vezes Murphy nos sacaneia de uma forma inacreditável. Se contar, ninguém acredita. Mas se mostrar um vídeo, fica mais fácil de aceitar, né? Então vejam abaixo:

     Recentemente eu migrei para um provedor via rádio aqui na cidade, chamado Process. Eu pago R$ 120,00 por uma conexão de 4Mb (sim, é caro) e ainda fiquei fidelizado por 2 anos. Eu ia cancelar o Speedy, mas acabei negociando um desconto com a Vivo, de forma que eu achei melhor ter esse custo extra para contingência. E, pra fechar, também sou cliente da Claro, Tim e Vivo (móvel).

     Como dizem que uma desgraça não vem sozinha, o Twitter também resolveu bloquear meu acesso porque eu ultrapassei os limites diários. Eu pagaria com gosto uma conta premium do serviço, pra não ter esses limites ridículos, mas como eles não sabem como fazer dinheiro… Enfim, peço desculpas pra quem iria acompanhar a WWDC comigo. Falhei.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
mar 07

Utilizando AirTunes pelo Ubuntu

Sem Comentarios »Postado por Pedro Alves em 07/03/2013 às 13:21h

Quando me desfiz de meu iPhone, há quase um ano atrás, me vi com um probleminha. Sou usuário Ubuntu há anos, e como todos devem saber, não há iTunes nativo para qualquer distribuição GNU/Linux. Até é possível roda-lo através do Wine, mas se o iTunes já não é uma maravilha no Windows e Mac OS imagine com essa gambiarra. Pois bem, desde então tenho procurado formas de voltar usar minhas estações AirTunes.

Hoje tropecei em uma boa solução. Nessa questão postada no AskUbuntu descobri que é possível e bem fácil redirecionar a saída de som para qualquer estação AirTunes. Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Biblioteca Digital, Música, Programas
jan 05

Spotify Premium por menos de R$ 8,00 por mês

8 Comentarios »Postado por GordoGeek em 05/01/2013 às 00:29h

     O Spotify é um dos serviços de música na nuvem mais bem sucedidos nos Estados Unidos e infelizmente ainda não está presente no Brasil. Mesmo assim, muitos brasileiros acabam usando o serviço, seja através da conta básica, disponível apenas para computador ou no modelo Premium, que pode ser usada em tablets e smartphones, inclusive na modalidade offline, ou seja, poder baixar sua músicas pra ouvir sem conexão.

     Pra quem usa a modabilidade básica, o acesso além de ser feito apenas via computador, tem que ser feito via VPN, pra enganar os servidores da empresa, simulando que você está nos Estados Unidos. No Premium, isso não existe. Além disso, uso a conta nos meus smartphones e tablets Android. Posso baixar o conteúdo pra ouvir offline em “apenas” 3 deles, mas me serve bem.

     Como eu tenho conta em banco americano, assino o serviço sem problemas, pagando USD 9.99 todo mês, via débito em conta. Pra quem não tem conta ou cartão emitido nos Estados Unidos, existem algumas alternativas, conforme comentei aqui nesse outro artigo. O problema é que o custo final acaba ficando alto, uma vez que tem a comissão do pessoal que vende.

     Ontem o @FelipeFMenezes, um seguidor no Twitter, me disse que havia comprado um pacote anual por USD 40, que é 1/3 do valor normal. Achei bem estranho e fui investigar. Comprei o pacote de um vendedor do eBay (sharon.scott23@aol.com), paguei via Paypal e pouco tempo depois ele transformou uma conta básica em Premium. Caso queira fazer, faça por sua conta e risco, mas a economia vale o risco.

     Pelo que entendi, a empresa que o cara trabalha tem uma parceria com o Spotify e sua conta fica vinculada a empresa deles. Meu receio é depois de alguns meses a conta ser suspensa ou algo assim. Mas se funcionar durante 4 meses, já tá quitada. O resto é lucro.

     Update 05/01/2013 01:34H => O @LucasBraga comentou comigo no Twitter que tem alguns esquemas furadas de cartões. Ele e alguns amigos tiveram problemas depois de algum tempo usando a GoSpotify. A conta desse cara do eBay está ativa desde 2004 e teve quase 500 vendas. Não sei se o cara iria por uma conta com essa credibilidade em risco. Novamente, quem for arriscar, faça sabendo dos riscos.

     Update 05/01/2013 19:05H => Notei que na minha nova conta Spotify, na parte de pagamentos, consta que eu sou cliente da Telia. Procurado sobre isso na internet, achei no blog oficial do Spotify, um comunicado de 2009, anunciando a parceria com a operadora sueca. Pelo que entendi, a prestadora vende vários produtos e coloca o Spotify no pacote. Claro que eles devem ter lucro com isso e portanto, a conta pra eles sai mais barato. Ao que me parece, algum funcionário da Telia descobriu que pode fazer dinheiro vendendo assinaturas mais baratas no eBay e depois autorizar tais contas Spotify no sistema, como se elas fossem também clientes da operadora sueca.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
out 02

Como usar Spotify Premium no Brasil

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 02/10/2012 às 15:38h

     Em fevereiro desse ano eu mudei os hábitos que tinha para escutar música. Depois de passar a empolgação do lançamento da iTunes Store no Brasil, onde gastei uma boa quantia, resolvi dar uma chance a serviços de música via streaming, mesmo não dispondo de uma banda muito rápida.

     Apesar de gostar bastante do Oi Rdio, que uso há vários meses, não é incomum eu procurar por uma música, ela aparecer listada, mas não disponível para o Brasil. A cada vez que isso acontecia, eu xingava e ficava puto. Foi quando eu decidi conhecer mais a fundo o Spotify, o concorrente direto do Rdio, pelo menos lá fora, já que no Brasil o serviço ainda não está disponível e é necessária uma certa gambiarra pra conseguir desfrutar dele.

     Como eu tenho uma conta em banco americano, assinar serviços exclusivos ao mercado americano não é mais problema pra mim. Todavia, sei que muitos dos leitores não tem esse “luxo” e precisam de outras alternativas. No caso do Spotify, é possível apelar para o Entropay ou GoSpotify.

     Existem basicamente dois planos no Spotify, sendo um grátis e outro pago. No grátis, basta usar uma VPN e você já conseguirá ouvir as músicas no computador. Já a conta Premium (USD 9.99), lhe permite ouvir música não só no computador (sem propagandas) como também em dispositivos móveis (iPhone, iPad, Android, etc.), além de armazenar músicas localmente pra ouvir quando não tiver internet.

     Uma das vantagens do plano premium é que não existe o problema do IP ser brasileiro, ou seja, dá pra ouvir tudo, seja no computador, tablet ou smartphone sem precisar de VPN ativa. Se você quiser mais facilidade, compensa comprar os cartões presentes na GoSpotify por R$ 29,90 o pagamento único ou R$ 14,90 o plano anual. Já se quiser economizar uns trocos e tiver paciência, pode usar os cartões virtuais gerados pelo Entropay, onde você cria quantos cartões quiser e os credita usando seu cartão de crédito internacional.

     Se você chegou nesse ponto e está pensando: “por que eu vou pagar se posso baixar via torrent?”, provavelmente você ainda está naquela fase da vida que é melhor perder um pouco mais de tempo e economizar uma graninha do que pagar pra ter facilidade. Eu já não tenho mais paciência de ficar procurando músicas em torrent, sincronizando entre dispositivos, etc. No spotify, eu procuro o que quero ouvir, já aparece rapidinho, dou play, se gosto mando sincronizar como os dispositivos móveis e tudo funciona perfeitamente.

     Caso você tenha filho pequeno, vale a pena criar uma playlist com músicas da Galinha Pintadinha, Xuxa – Só para Baixinhos e Reginaldo Frazzato Jr.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jun 06

Primeiras impressões em vídeo: Roku 2 XS

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 06/06/2012 às 17:26h

     Há pouco mais de um mês eu comentei aqui no blog sobre o Roku 2 XS, um media center focado em conteúdo online, muito popular na terra do Tio Sam. Por aqui, ele é praticamente desconhecido e temos motivos de sobre para deixá-lo assim. Eu o recebi há algumas semanas, mas o produto é tão fraco que não me motivou a gastar tempo num review na ocasião.

     Como alguns devem saber, nesses anos de blog eu já testei alguns media center, desde os Xing Ling encontrados no eBay/ Deal Extreme da vida, até os mais conhecidos, como Apple TV, WDTV, Boxee Box, etc. Como eu tinha um amigo vindo dos Estados Unidos, pedi pra ele me trazer o Roku e gastei USD 100 nele. Infelizmente, como vemos no vídeo acima, não foi lá um investimento muito inteligente.

     Para os amigos, esse produto faz muito sentido, porque eles tem mais de 500 canais de conteúdo para o Roku, entre eles: Netflix, Hulu Plus, Amazon Instant Video, Crackle, HDO Go, Epix, etc. Aqui no Brasil, infelizmente, muitos desses conteúdos bacanas não estão disponíveis sequer pra serem baixados na loja online. Claro, se você fizer aquele esqueminhas de VPN/ Proxy, pra deixar o aparelho com IP americano, conseguirá acessar quase tudo. Porém, como ele não aceita sequer configuração manual de IP, tudo deverá ser feito através de um roteador que suporte tal recurso e nem todo mundo terá como fazer isso.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
abr 28

Roku: um setup-box barato pra ver vídeos online

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 28/04/2012 às 04:25h

     Nas minhas pesquisas atrás de media centers, acabei esbarrando no Roku, uma caixinha parecida com o Apple TV e que chamou minha atenção. Eu já tinha lido rapidamente sobre o produto em algumas notícias que chegam via feed RSS, mas sequer entrei no site do fabricante pra dar uma consultada. Ontem no entanto eu vi um anúncio no Mercado Livre e intensifiquei as buscas.

     Pra começar, diferente do Apple TV, o Roku tem 4 versões, que vão desde USD 49 a USD 99. A diferença básica entre as versões é que a mais simples não possui porta USB e ethernet, além de não reproduzir conteúdo em fullHD. Já a mais cara, que custa o mesmo valor do Apple TV, roda vídeos fullHD, tem conexão pra rede cabeada, além de portas microSD e USB. Uma coisa bacana dessa versão é que o controle remoto é dotado de uma tecnologia similar a dos controles do Nintendo Wii e possibilita, por exemplo, jogar Angry Birds na TV através do Roku.

     O Apple TV é um produto bem focado em conteúdo online, seja através da própria loja da Apple ou de parceiros, como a Netflix, Youtube, Vimeo, etc. Porém, esses parceiros são bem restritos e não vejo muita esperança que isso melhore no curto e médio prazo. Já o Roku conta com mais de 450 “canais parceiros”, que são fontes de conteúdo para se ver online na caixinha. Entre eles, destaco o Netflix, Hulu Plus, Amazon Prime, Crackle, Epix, Rdio e Pandora.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
mar 30

Top 50 da iTunes Store americana no Oi Rdio

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 30/03/2012 às 19:45h

     No começo de fevereiro eu falei aqui no blog sobre o serviço Oi Rdio. Algumas pessoas tiveram dificuldade de entender que, apesar do que o nome dar essa impressão, não se trata simplesmente de uma rádio online. Geralmente em rádios online, você não tem como escolher que música quer ouvir, nem fazer uma playlist. Você simplesmente “sintoniza” uma rádio e ouve a playlist configurada por alguém. Esse não é o caso do Oi Rdio, já que você procura as músicas, monta playlist e pode inclusive baixar pra ouvir offline nos dispositivos, como iPhone, iPad e Android.

     Uma coisa que sinto falta no Oi Rdio é de uma listagem das músicas mais tocadas. Existe alguma coisa lá, mas parece que nunca muda e está sempre com Adele e David Guetta, o que acaba me irritando um pouco. Obviamente eu posso procurar o artista que eu quiser e depois mandar procurar por similares, mas isso não me agrada muito. Por isso, hoje eu tive um trabalho chato de entrar na iTunes americana e procurar, uma a uma, as músicas no Oi Rdio, colocando as 50 mais vendidas numa playlist. Compartilho ae com vocês o resultado. Caso ainda não seja assinante, pode fazer um cadastro gratuitamente (não pede cartão de crédito) e testar por uma semana.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mar 17

Emit: o Air Video compatível com a plataforma Android

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 17/03/2012 às 00:59h

     Um dos programas mais fantásticos para plataforma iOS é o Air Video. Desde que comprei meu primeiro iPad (já tem quase 2 anos), uso-o diariamente, inclusive no iPhone. Pra quem não lembra, mostrei sobre ele aqui nesse outro post e um pouco mais tarde dei uma dica sobre como acertar a legenda pra ficar com acentos. Pra quem ainda não se ligou no que ele fez, resumidamente, ele permite que seu computador envie praticamente qualquer formato de vídeo, via streaming, para seu dispositivo iOS, seja um iPad, iPhone ou iPod Touch.

     Desde que comecei a usar Android, muitos aplicativos me faziam falta. Porém, o tempo foi passando e como existem quase 800 mil ativações de Android atualmente, os desenvolvedores foram percebendo que não dava pra ignorar a plataforma. Hoje quase tudo que eu preciso diariamente tem ali, como Foursquare, GetGlue, Twitter, Facebook, RunKeeper, Readability, Read it Later, IMDb, etc. Mas ainda sinto falta de algumas coisas, como o Reeder, o Instagram e claro, o Air Video.

     Hoje eu perguntei no Twitter se existia alguma alternativa ao Air Video pra Android e o @CocaTech me sugeriu o Emit. O legal do Emit é que ele tem servidor compatível com Windows, Mac e Linux, além de clientes compatíveis com Android e iOS (sendo esse, app universal). A versão que gera o streaming (servidor, instalado no seu computador) é gratuita. Para Android existe uma versão gratuita (com propaganda) e outra paga (R$ 5,90). Já pra iOS, existe apenas uma versão paga (USD 1.99).

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android, Apple, Dicas
preload preload preload