jun 17

     Todos sabemos a enorme crise que o Brasil está passando. Desculpa, se você for petista, você não sabe. Mas isso é assunto para o buteco e não para o blog. Assim, assumindo que o país passa por uma crise e o governo federal está fazendo de tudo para impedir que a balança comercial fique ainda mais desfavorável, quem costuma comprar produtos da China está passando por maus bocados.

     Eu comprava algumas tranqueirinhas da China quase toda semana. Porém, com a alta do dólar, a demora para liberação dos produtos e as taxas cobradas, tanto pelos Correios, como pela Receita Federal, acabei deixando isso pra lá. Mas ainda tem muita gente que insiste em comprar e acaba tendo esses problemas, especialmente com o governo tributando o produto. Não é incomum, usam valores absurdamente errados, como cobrar R$ 70 de impostos num produtos de USD 12.

     O primeiro vídeo, apesar de possuir alguns erros bem sérios, dá algumas dicas de como recorrer a Receita Federal e a Justiça, pra não ter de pagar tributos em alguns casos. Como ele alega que já fez isso e deu certo, resolvi divulgar. O segundo vídeo, me pareceu mais correto, tendo em vista que foi feito por um advogado. #FikDik

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mai 14

Como anda o processo do visto americano para brasileiros?

8 Comentarios »Postado por GordoGeek em 14/05/2015 às 14:39h

     Já tem anos que ouço comentários dizendo que o Departamento de Estado do Governo Americano irá “liberar” a necessidade de visto para brasileiros. Em virtude disso, adiei muito a renovação do meu, mas até o momento, nada desse boato virar realidade. É provável que isso aconteça? Sim, mas não no curto prazo. Explico abaixo os motivos que me levam a acreditar nisso.

     Quando um país fica por anos com uma taxa de recusa de visto abaixo de um determinado índice, o Departamento de Estado começa a negociar com o país sobre a isenção do mesmo. Porém, na diplomacia, as coisas são um pouco mais complicadas que o país simplesmente desejar. Tudo tem que ser negociado.

     Mesmo com o dólar nas alturas e a situação econômica no Brasil estar cada vez mais complicada, ainda somos um dos povos que mais visitam (e gastam) nos Estados Unidos. Logo, seria excelente pra eles que mais e mais brasileiros fossem deixar recursos por lá. Mas, para o governo brasileiro, é exatamente o contrário. Estamos passando por um período difícil e precisamos desses recursos aqui e não lá. Assim, você acha que o Brasil vai facilitar essa negociação? Por isso eu digo: se quer ir viajar e precisa do visto, corra logo atrás. Não fique na esperança de que não será mais necessário.

     Eu gostaria de abordar isso aqui no blog (talvez faça num outro post), mas o início de processo, passo a passo, sobre em qual site entra, como que preenche os documentos, que taxas tem que recolher, etc. eu não vou falar. Motivo: não sei muito bem e não vou falar do que não tenho o mínimo de entendimento. Iria mais atrapalhar do que ajudar os leitores.

     No final do ano passado eu comecei a pensar em renovar meu visto, que havia vencido 6 meses antes. Não estava com planos imediatos de viajar, especialmente com esse dólar de R$ 3, mas como tenho milhas e elas irão vencer, talvez eu faça uma viagem rápida, apenas para não perdê-las. Assim, em janeiro eu dei entrada nos papéis e paguei a taxa. Tinha bastante vaga para agendamento nos dias seguintes.

     Como eu não estava com pressa, acabei entrando no site do Consulado e adiando, por mais de 5 vezes, meu agendamento. Ia jogando pra fevereiro, março, abril… Ou seja, você pode sim fazer o reagendamento, sem custo algum. No próprio email de confirmação que você recebe do consulado, fala sobre isso e tem a data limite para tal. Geralmente, são 2 dias antes da data marcada.

     Da última vez que eu tinha renovado o visto americano, era tudo feito no Consulado. De um tempo pra cá (não sei exatamente quando), algumas coisas mudaram. E é por isso que fiquei motivado a escrever a respeito. Tem algumas pequenas dicas que queria passar. São coisas pequenas, mas que podem te salvar.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
jun 03

Como ver o tráfego 3G utilizado na Claro (pré e pós)

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 03/06/2014 às 15:39h

     Já comentei algumas vezes que tenho plano (pré) de 3 operadoras móveis. Tudo isso, pra ter contingência e não ficar sem internet nunca. Bom, por mais incrível que possa parecer, às vezes acontece de nenhuma estar com 3G bom, mesmo quando a barra de sinal está no máximo. Isso não acontece com frequência, mas mostra como ainda sofremos com telecomunicações no Brasil, especialmente em locais de grande concentração, como estádios, aeroportos, etc.

     Geralmente eu ando com 2 smartphones no bolso, sendo um com chip da Vivo (que costuma ter melhor cobertura, mas menor franquia de 3G) e um da Tim (que tem pior cobertura, mas 3G ilimitado com o plano Beta). Quando viajo, ae levo também um terceiro aparelho, usando chip da Claro. Porém, ele costuma ficar sem plano de dados ativo e só contrato no dia anterior a saída.

     Como a Claro é a empresa que menos uso, estava por fora de como ver o tráfego de 3G já consumido. Isso porque, a Claro tem um dos piores sites de operadoras. Geralmente está fora, você raramente consegue ativar algo por lá e ver o que consumiu então, nem a opção existe. Por isso, de tempos em tempos abro chamado na Anatel pra pedir um extrato dos últimos 90 dias.

     Haviam me dito via Twitter que bastaria acessar, do smartphone ou tablet, sempre via 3G (no Wi-Fi não funciona) o site http://consumo.claro.com.br pra visualizar a informação de tráfego. Porém, tentei durante dias e nada. Até que hoje o DBAmaro me deu a dica de ouro: tem que abrir uma aba anônima no navegador. Dito e feito. Funcionou.

     Outra possibilidade, mais arcaica, é fazer uma chamada para *1052#. Vai aparecer um menu na tela e você deve escolher a opção 9 e depois 6. Feito assim, irá aparecer a telinha com a informação.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
dez 30

iTunes Store: fugindo da taxa

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 30/12/2008 às 04:41h

     Se você não é como o Jonas e tem o hábito de pagar para ter suas músicas e aplicações via iTunes Store, provavelmente já viu que quando você compra uma música de USD 0.99, acaba sendo debitado mais que isso do seu saldo, pois também é cobrada um taxa (imposto).

     Pois bem, se você não quer ‘morrer com mais essa’, saiba que existe uma artimanha para contornar essa cobrança, que é a mudança do seu endereço de cadastro. Isso porque, assim como acontece com o ICMS no Brasil, a cobrança da taxa varia de estado para estado nos Estados Unidos.

     Para saber exatamente o que fazer para não pagar a tal taxa, acesse o Blog do iPhone e veja em detalhes o procedimento.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
preload preload preload