set 03

Review: Nexus 7. O incrível tablet da Google.

12 Comentarios »Postado por GordoGeek em 03/09/2012 às 10:59h

     Recebi há alguns dias da GSShop um dos produtos mais aguardados pra review nesse ano: o Nexus 7, o tablet da Google, que foi apresentado no primeiro dia da conferência anual de desenvolvedores da empresa de Mountain View, em 27 de junho desse ano. Confira abaixo o review em vídeo:

     O produto entrou em pré-venda logo no dia do anúncio, com a promessa de começar a ser entregue no meio do mês de julho. Eu estava nos Estados Unidos quando os primeiros modelos começaram a ser entregues, mas como a data era incerta, eu acabei não arriscando comprar via site. Algumas poucas lojas da Game Stop estavam com o equipamento, mas apenas pra quem tinha feito a reserva via site. Assim, eu acabei ficando sem poder comprar o meu e estava louco pra testar.

     Eu gosto muito de tablets com esse tamanho. Adorei o Galaxy Tab 7”, conforme escrevi aqui no blog. O modelo que tenho é o primeiro lançado no Brasil, daqueles que tinham o recurso de telefone, TV analógica e digital integrado. Depois, cheguei a testar o Kindle Fire, mas já achei um tanto broxante, uma vez que a Amazon coloca um sistema customizado em cima dele, o que tira completamente a liberdade do usuário.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Android
mar 31

GordinhoGeek: sai o iPad, entra o iPod Nano 5G

5 Comentarios »Postado por GordoGeek em 31/03/2012 às 02:50h

     Antes de irmos para o post em si, gostaria de relembrar que sou um profissional de tecnologia e pai de primeira viagem. Não sou (nem perto disso) um profissional que trabalha com educação, pedagogia ou afins. Também não sou alguém que já leu inúmeros livros sobre como criar filho e tudo o mais. Portanto, o que vou compartilhar aqui pode ser completamente errado do ponto de vista pedagógico. Digo isso pois gosto de compartilhar alguns momentos da minha vida de pai nas redes sociais e já recebi muitas críticas de pessoas dizendo que expor crianças tão pequenas a tecnologia não é algo saudável.

     Por mais que muitas pessoas digam que crianças menores de 2 anos devem ter um acesso muito limitado a tecnologia (inclusive a TV), desde que meu filho tinha poucos meses ele sempre teve contato com tecnologia, especialmente nos momentos que batiam aquelas cólicas ou as dores dos primeiros dentinhos. Por mais que a gente tentasse várias dicas de pediatras, amigos, avós e tudo o mais, nada parecia surtir muito efeito. Foi ae que descobrimos o poder da Galinha Pintadinha.

     Acredito que boa parte (senão todos) os pais mais “frescos” devam conhecer a famosa penosa azul. Se você não conhece, só por curiosidade, clique no link acima e veja do que estou falando. Como menosprezar um vídeo com mais de 100 milhões de acessos no Youtube? Por mais bobo que possa parecer, as crianças adoram esse personagem e suas músicas que entram na cabeça da gente pior que aquele hit de verão em Salvador. Meu filho atualmente tem 1 ano e 7 meses e já perdeu um pouco do encanto por esse personagem. Aos poucos ele foi mudando o gosto para “Pingu”, “Xuxa Só para Baixinhos”, “Toy Story”, “Rio”, “Shrek”, etc.

     Como meus pais moram há 300km de casa, quando a gente ia viajar, sempre apelava para o iPad. Eu comprei alguns suportes para o banco, mas confesso que nenhum resistiu por muito tempo. Não porque eram porcarias da China e sim porque a cadeirinha do meu filho fica praticamente colada no banco e ele ficava se esticando todo pra pegar o iPad na mão ou dando chutinhos durante as músicas. Mas não só em viagens mais longas o iPad era útil. Quando íamos ao shopping, por exemplo, depois de uma volta, rapidamente ele ficava entediado e o iPad acaba distraindo ele. Chegamos a improvisar vários tipos de capas, já que não achamos nada muito inteligente e adaptável a várias situações.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple
mar 13

Walmart e o iTunes Match da época das cavernas

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/03/2012 às 15:44h

     Um dos serviços mais legais que a Apple lançou “recentemente” foi o iTunes Match. Assinando esse serviço, que custa meros USD 25 por ano, o iTunes faz uma varredura em seu biblioteca de músicas e as disponibiliza na nuvem da Apple, para que você tenha acesso a ela de qualquer lugar (bem, a ideia é essa, mas não funciona tão bem assim, rs.). O mais legal é que o algorítimo do iTunes Match compara todas as músicas da sua biblioteca, procurando por marcadores que as identifiquem, evitando assim que você precise fazer o upload pra nuvem (como acontece em outros serviços). Claro, ele não acha 100% das músicas, mas funciona relativamente bem. Ah, essas músicas não precisam necessariamente terem sido compradas na loja da Apple. Você pode ter comprado em outra loja digital, convertido de CDs ou até baixado via torrents.

     Li a pouco no Engadget que o Walmart anunciou um serviço “um pouco” similar a esse em relação a DVDs. Porém, bem diferente da praticidade da Apple, você terá que levar seus DVDs a uma das 3.500 lojas da Walmart, o que não é lá muito prático. Eles vão meter um carimbo no seu disco e você terá a opção de ter esse conteúdo na nuvem, pagando USD 2 para qualidade convencional ou USD 5 para HD. Eu sinceramente não entendi porque a coisa não é mais prática, onde você coloca o disco no drive do computador, abre o programa da Walmart e pronto. Claro que entendo que eles tem que proteger os direitos autorais e seria uma farra o povo fazendo isso com discos locados ou de amigos, mas será que cada disco não tem um código único de identificação que permita isso?

     Bom, independente da praticidade em se disponibilizar o seu conteúdo, acho que USD 2 é um preço justo pra tê-lo disponível na nuvem, sempre que quiser assistir. Além de evitar que você perca tempo convertendo o disco (mais ou menos 15 minutos por disco), vai evitar que você tenha custos com armazenamento. Eu converti boa parte do meu conteúdo e eles estão disponíveis pra eu assistir de onde quiser via AirVideo, mas além do tempo de converter em si, preciso manter o meu iMac (e o HD externo) sempre ligados e conectados a internet. Se você parar pra pensar, acaba compensando.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
mar 11

Entendendo o cabo HDMI [Vídeo]

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 11/03/2012 às 23:33h

     Um dos cabos que a gente mais houve falar atualmente é o HDMI. Muitos de vocês devem ter procurado esse cabo por ae e devem ter encontrado uma enorme diferença de preços, que vão desde R$ 10,00 (ou até menos) até mais de R$ 150,00. Mas qual é a diferença entre eles? Veja os vídeos abaixo, dica do @HelioJansen, para entender um pouco mais.

     Como vocês já devem ter percebido, o fabricante do cabo tá defendendo o peixe dele e dizendo como é importante que o cabo seja feito com o maior cuidado possível. Porém, isso acaba implicando num custo elevado. Se quiser ver as outras partes desse vídeo, clique aqui e aqui.

     Se você tiver a fim de meter a cara em algo mais técnico, tem também esses vídeos (parte 1 e parte 2). O interessante desses vídeos é que ele derruba alguns mitos muito difundidos, como o fato de um sinal digital, por ser formado 0 e 1, ou chegar (100%) ou não chegar (0%), não havendo problemas de perdas.

     Eu não tenho nenhum equipamento dedicado a vídeo fullHD em casa, seja um Bluray player, um PS3 ou nada semelhante. O que tenho aqui são Apple TV (3) e WDTV Live (3), que até reproduzem vídeo em fullHD, mas meio no sufoco. Gosto de coisas com qualidade, mas não sou tarado por fullHD. A enorme maioria do conteúdo que eu vejo é em SD (Netflix, Youtube e Torrent), sendo que em alguns poucos casos vejo conteúdo em 720P. Claro que o fullHD (1080P) é muito bom, mas vale a pena pagar tudo muito mais caro pra ter acesso a essa qualidade?

     Meus cabos HDMI são todos de menos de R$ 10,00 comprados no Mercado Livre e pro meu gosto, são suficientes. A conclusão que boa parte dos entendidos chega é que esse tipo de cabo que costumo comprar deve ser evitado e deve-se investir pelo menos uns R$ 50,00 num cabo mediano, o que vai deixar a maioria das pessoas comuns bem satisfeita. Os cabos muito mais caros são geralmente melhores, mas o ganho de qualidade que eles trazem são imperceptíveis para a maioria de nós.

TAG(s):
Categoria(s): Biblioteca Digital
nov 24

Vídeo: curso básico de Arduíno

3 Comentarios »Postado por GordoGeek em 24/11/2011 às 15:55h

     Tô até imaginando a cara de quem não está nem um pouco interessado no Arduíno com esses meus últimos posts. A esses, peço desculpas com uma mão e dou um “pedala Robinho” com a outra mão. Afinal, geek que é geek se interessa por isso (trollei). Pois bem, hoje me passaram uns vídeos interessantes e coloco abaixo alguns deles, dando uma visão geral pra quem quer iniciar. Obviamente não vou colocar tudo, pois quem quiser basta clicar sobre o vídeo e ir para a continuação no próprio Youtube.

     Pra começar, o vídeo acima não está em português do Brasil, mas é perfeitamente “entendível”. Ele é formado por duas partes e quem tiver interesse em continuar, basta clicar nela ao final do primeiro vídeo. No mesmo canal no Youtube você ainda encontra mais um monte de vídeos com projetos diversos para Arduíno. O canal está super completo e cheio de coisas interessantes.

     Se você faz questão de vídeo em seu idioma nativo, sugiro que comece a ver o vídeo acima. Assim como os demais, caso tenha interesse em prosseguir, basta clicar nos outros ao final do vídeo. Até o momento tem mais 5 vídeo aulas (2, 3, 4, 5 e 6) e mais uns vídeos relacionados no canal do Youtube.

TAG(s):
Categoria(s): Arduino
jun 30

     A Apple faz produtos maravilhosos, mas de vez em quando ela erra a mão. Seja por algum erro de projeto, no atendimento pós-venda ou simplesmente porque boa parte dos usuários não gostou dos produtos. Talvez esse último tenha sido o caso do novo Final Cut, lançado no último dia 21.

     Pelo que eu andei lendo (e ouvindo, em podcasts), o pessoal mais iniciante viu o Final Cut Pro X com bons olhos. Já os profissionais, pra quem o software realmente se destina, acharam que a Apple deu uma séria pisada de bola e lançou um produto incompleto, pois removeu funções importantes presentes na versão anterior do produto. Talvez ae o problema seja apenas de nome e o produto deveria ser rebatizado como iMovie Pro #TrollFace.

     O fato é que, pelo menos 5.000 usuários participaram de um abaixo-assinado para protestar contra o produto. Dessa vez, parece que a Apple resolveu fazer um mea-culpa, prometendo mudanças e reembolsando quem ficou insatisfeito.

     Se você ainda não viu o que mudou, o que agradou e o que desagradou, configura aqui um review bem completo, em português, feito pela MacWorld.

TAG(s):
Categoria(s): Apple
abr 24

Vídeo: Desenvolvimento para iPhoneOS

11 Comentarios »Postado por GordoGeek em 24/04/2010 às 13:34h

     Já tem algum tempo que eu tinha a idéia de começar a desenvolver para iPhone. Contudo, acabei deixando a idéia de lado para priorizar outros projetos da empresa (os que realmente davam dinheiro e pagavam as contas, rs). Porém, sempre fiquei com aquela idéia remoendo a mente. Na última viagem que fiz aos EUA, conheci pessoalmente o Breno Masi, que ficou colocando ainda mais pilha pra eu investir algum tempo nisso.

     Como eu NÃO tenho domínio da língua inglesa, sendo praticamente um excluído digital, não consigo aproveitar todo o vasto material gratuíto sobre o assunto na internet, seja documentação e exemplos da própria Apple (aos montes), vídeos, livros, etc. Assim, tive que apelar ao bom e velho português e comprei o livro “Dominando o Desenvolvimento no iPhone“.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple, Biblioteca Digital, Videos
out 11

Sem sombra de dúvidas, a novidade mais aguardada em relação ao iPod nano de quinta geração, era a câmera. Como isso não aconteceu no iPod touch, eles provavelmente guardaram esforços e fizeram algo de muita qualidade no nano. Como comentado antes, meu iPod nano de quinta geração chegou, e com ele uma série de resenhas diferentes.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Apple, iPhone/iPod
ago 06

PontoGeek App Review #3 – Documents to Go

2 Comentarios »Postado por Eduardo Masuda em 06/08/2009 às 13:55h

    Olá pessoal! Esse é o terceiro episódio de reviews de aplicativos para iPhone e iPod Touch. O Documents to Go foi lançado recentemente pela Dataviz, empresa pioneira e famosa por software de produtividade para handhelds e smatphones. Espero que vocês aproveitem.

Documents to Go version 1.1
Nota: 7,5
Comentários: Aplicativo lento. Só edita word e é incapaz de abrir arquivos grandes. Recursos bons mas apenas quebra-galhos na hora do aperto. No entanto, a sincronização com o computador é perfeita.
Preço: USD 4,99
Baixar na App Store: aqui
Aplicação para desktop: aqui

jul 23

PontoGeek App Review #2 – Twitter Apps

6 Comentarios »Postado por Eduardo Masuda em 23/07/2009 às 23:37h

    Segundo PontoGeek App Review. Neste episódio falaremos sobre os primeiros, últimos, melhores e piores apps de Twitter para iPhone e iPod Touch.

TweetDeck – Grátis
Nota – 7,5 (Interface linda, mas falta lista de seguidores).

Tweetie – 2,99 dólares
Nota – 7,0 (simples, rápido mas com poucos recursos)

Twitterrific Premium – 3,99 dólares
Nota – 8,5 (Interface linda, mas falta lista de seguidores)

Twitterlator Pro – 4,99 dólares
Nota – 8,5 (Completíssimo mas um pouco lerdo)

Twitterfon Pro – 4,99 dólares
Nota – 8,5 (Completíssimo igual ao Twitterlator Pro, só que mais rápido)

Twinkle – Grátis
Nota – 1,0 (Parou no tempo. Tem um mapa que não serve pra nada)

TAG(s):
Categoria(s): App Store, Apple, iPhone/iPod
preload preload preload