dez 03

Submarino vendendo Xbox One por R$ 1.319,91

6 Comentarios »Postado por GordoGeek em 03/12/2013 às 13:57h

     Todos sabem que eu adoro uma polêmica. Meu perfil no Twitter já revela exatamente o que eu espero de rede social: “Tô aqui pra me divertir e não pra fazer amigos. Se o que eu falo te ofende, você que se foda. Simples assim.“. Nunca fico em cima do muro, não sou político e dou minhas opiniões, afete a quem afetar. É meu jeito. Não gostou, paciência. Não é obrigado a gostar e muito menos a ficar por perto.

     Na semana passada ocorreu a famosa Black Friday e praticamente todas as lojas do Brasil aderiram, o que é extremamente bizarro, porque eu vi até motel e farmácia participando da promoção. Quem estava assistindo TV ou navegando na internet na sexta-feira foi atropelado por uma quantidade gigantesca de anúncios sobre “preços inacreditáveis”. O Submarino, por exemplo, disparou email, fechou publieditorial com diversos sites, espalhou banner e o diabo a 4, anunciando descontos de “até 80% + 12% no boleto”. Ou seja, os descontos anunciados poderiam passar de 90%.

     Muitos sites, inclusive o próprio Submarino, não se limitaram a fazer apenas a Black Friday na sexta-feira e estenderam os preços para todo o final de semana. Algumas lojas ainda participaram da tal Cyber Monday, também outro costume americano. E, ontem a noite, eu fiquei sabendo que o Submarino estava vendendo o Xbox One por R$ 1.319,91. Como o preço de tabela do produto é R$ 2.299,00, cobrar uns 50% disso pra quem anunciou “até 92% (80+12)”, tá dentro do razoável, não? Fui lá e comprei! Comprei muitos! Como SEMPRE faço quando acho algo barato, seja na internet, seja em loja física. E duvido que você leitor não faça o mesmo. Ou você gosta de pagar caro nas coisas?

     Pouco tempo antes, eu já havia comprado iPad mini 16GB por metade do preço na Saraiva. Fiz o mesmo com Xbox 360 no Walmart. E fiz exatamente a mesma coisa em vários outros sites, aproveitando a promoção. Porém, em alguns, como o Walmart, havia um claro anúncio: uma unidade por CPF. O próprio sistema não deixava fechar mais de um. Tecnicamente, isso é uma coisa muitíssimo simples. Algo que o maior grupo varejista online do Brasil, a B2W, dona do Submarino, teria condições de fazer, caso quisesse. Em nenhum momento o site deu nenhum alerta que não poderia comprar mais de um. Aliás, nossa legislação prevê que o dinheiro tem curso legal e poder liberatório, ou seja, não se pode proibir o cliente de comprar, caso ele tenha dinheiro pra isso. Alguns sites, como o Walmart, fazem isso ilegalmente, pois sabem que uma minoria da população tem ciência da lei e vai correr atrás dos seus direitos.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Geral
out 17

Preço do PS4 no Brasil gera muita polêmica #mimimi

1 Comentario »Postado por GordoGeek em 17/10/2013 às 16:01h

     Que as coisas no Brasil custam sempre mais caro nem precisa dizer, né? Já estamos acostumados a pegar o preço nos Estados Unidos (em dólar), multiplicar por 4 e ter uma base de quanto iremos pagar. Porém, de vez em quando o fabricante erra a mão e começa a fazer a conta não mais usando o 4 como multiplicador, mas o 5, o 6 e por ae vai.

     Se você não é muito chegado em game, deixa te contar que esse ano foram anunciados os consoles de nova geração da Microsoft (Xbox One) e da Sony (PS4). Lá fora o Xbox custa USD 499 e o PS4 USD 399. Aqui, o console do tio Ballmer chegou em pré-venda por R$ 2.199,00 já tem alguns meses. Claro, muitos xiaram, pois deu uma leve extrapolada no x4. Ae hoje vem a Sony e consegue fazer a cagada de anunciar o console por R$ 3.999,00! What?!

     Isso gerou uma enorme revolta na interwebz. Só para ilustrar, coloco três vídeos nesse post. Como que a Sony conseguiu fazer algo de USD 399 custar R$ 3.999,00? Ela explica: são os impostos. Mas como a Microsoft conseguiu fazer um console de USD 499 chegar por R$ 2.199,00? Ela tá sonegando impostos, Sony? E como que um Galaxy Gear que lá fora custos os mesmos USD 399 do seu PS4 aqui é vendido por R$ 1.250?

     Como não poderia deixar de ser, toda vez que um produto chega aqui tão caro, o povo corre pra fazer aquelas contas: compensa ir pra Miami, comprar lá e trazer, já que está dentro da cota de USD 500 e nem imposto vai pagar. Realmente e, infelizmente, é verdade. Mas se você não quiser viajar, ainda dá pra pedir pra alguém comprar lá fora pra ti, pagar todos os impostos e ainda economizar 50%.

TAG(s):
Categoria(s): Geral
preload preload preload