dez 13

Comentários do relógio Huami Xiaomi Amazfit Pace

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/12/2017 às 23:35h

     Continuando na minha saga para achar um bom substituto para a Xiaomi MiBand 2, hoje eu recebi o relógio Amazfit Pace, também da Xiaomi. Na realidade, ele é feito por uma empresa chamada Huami, que é uma subsidiária da marca chinesa mais conhecida dos brasileiros. E por que eu resolvi comprar esse aparelho? Porque muita gente anda falando super bem dela, especialmente YouTubers de tecnologia.

     No vídeo logo acima eu faço meus comentários a respeito da pulseira. Em resumo: você achou bonito e tem um Android? Pode comprar. Tem um iPhone? Esquece. Isso porque os apps são tão diferentes que nem parecem da mesma empresa. Além do visual, os recursos, estabilidade e bugs são bem diferentes, sendo que no Android funciona super bem e no iOS é um lixo, com vários travamentos, desconexões e falhas de sincronia.

     Durante os meus testes, no decorrer de uma caminhada de aproximadamente 20 minutos, eu fui fazendo medições do batimento cardíaco e, estranhamente, em todas as 7 medições, o resultado foi exatamente o mesmo: 84 BPM. Improvável, mas possível. Porém, eu estava com outros 4 aparelhos de controle: uma cinta Garmin, outra Polar, o Galaxy S8 e a MiBand 2. Todas acusaram que a medição do Amazfit Pace estava muito errada.

     Além disso, no vídeo também fica claro a instabilidade do app para iPhone, que não conseguia sequer sincronizar os passos. Isso porque, antes disso, eu já tinha tido vários problemas para sincronizar o próprio relógio, como você pode ver aqui nesse outro vídeo. Eu fiz questão de gravar tudo porque esse gadget é muito amado e, ao criticá-lo, sei que os fãs vão falar que o problema é comigo e não com o gadget. Bom, os vídeos estão ae para mostrar.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
out 22

Como resolver o problema de travamento na MiBand

Sem Comentarios »Postado por GordoGeek em 22/10/2015 às 10:26h

     Diariamente recebo várias perguntas no Twitter sobre travamentos no app da MiBand. Como tudo que tem muita recorrência na minha vida, eu acabo transformando em post, vamos a ele.

     O problema começou no final de semana, com a chegada do horário brasileiro de verão. O software da pulseira fitness da Xiaomi ficou meio doido e começou a encerrar quando ele vai começar a sincronizar o sono. Os passos do dia, ele até consegue sincronizar. Mas quando vai sincronizar o sono..

     O Alexandre me deu a dica no Twitter: tirar do horário de Brasília, configurador para o de Salvador (que não tem o horário de verão), mudar o idioma pra inglês e tentar sincronizar novamente. Foi dito e feito. Além de resolver o problema da sincronia dos dados, ainda consegui fazer um update que precisava ser feito e também vinha provocando o encerramento inesperado do aplicativo.

     Depois de feito o primeiro sincronismo e o update de firmware na pulseira, você pode reverter tudo que fez, voltando pro idioma português do Brasil e o fuso automático.

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mai 04

GearBest: uma nova opção para compras na China

7 Comentarios »Postado por GordoGeek em 04/05/2015 às 09:56h

     Quem me acompanha nas redes sociais viu que eu tive alguns problemas recentes com lojas na China, especialmente no que diz respeito a extravio de produto. O vendedor manda meus produtos pra Porto Alegre/ RS, ao invés de Matão/ SP e depois tenho que ficar correndo atrás de reembolso e esquentando a cabeça com isso. Frustrante!

     Esses dias eu ouvi falar de uma nova loja, chamada GearBest. Como nunca comprei lá, resolvi fazer 3 pequenas compras, aproveitando uma promoção dos produtos da Xiaomi. Pra quem não conhece, é a empresa onde o brasileiro Hugo Barra (ex-Google) foi trabalhar. Os produtos deles são muito bons e baratos! Em breve eles começam a ter presença nacional. Mas enquanto iso não acontece, devemos recorrer a importação.

     Há alguns meses eu dei uma pulseira Jawbone UP pra minha mãe e uma Jawbone UP24 pro meu pai. Acho que eles combinaram, pois é difícil que algo assim aconteça. Por mais incrível que possa parecer, eles conseguiram quebrar as pulseiras na mesma semana. E, elas custam muito caro! Como meu pai já estava acostumado com o monitoramento do sono e não queria ficar sem, acabei comprando uma Xiaomi Mi Band pra ele. É super baratinha (USD 15) e uso há meses.

     Uma coisa que gostei bastante na GearBest é que, logo após enviar seu produto (o que costuma ocorrer uns 3/ 4 dias depois da compra), eles mandam um email não apenas com o tracking, mas também com a foto do seu envelope. Dessa forma, você pode confirmar seus dados, especialmente o endereço. Ae, se os Correios resolverem sumir com o pacote, você pode provar que o erro foi deles e não do vendedor. Show!

TAG(s):
Categoria(s): Dicas
mar 13

Vale a pena comprar a pulseira fitness Xiaomi Mi Band?

20 Comentarios »Postado por GordoGeek em 13/03/2015 às 09:37h

     Já testei muitas pulseiras e relógios nos últimos tempos, como a Jawbone UP, UP24, Netshoes All4One, Nike FuelBand, Sony SmartBand, Pebble e alguns outros. Até o momento, a que mais tinha gostado era da Jawbone, pela sua simplicidade, o fato de ser bem discreta e ter um bom monitoramento do sono. Mas estou cedendo o lugar de destaque em meu coração a Xiaomi Mi Band.


Crédito da imagem: Shutterstock

     Caso você ainda não tenha visto o vídeo de primeiras impressões, postado no começo da semana, dê uma conferida aqui. Nesses menos de 3 dias que estou com ela, estou impressionado como algo tão barato (USD 19.99 lá fora) pode fazer tanto e tão bem. Agradeço ao Daniel Amaro pela indicação.

     A Jawbone é uma pulseira muito legal, mas custa proibitivos R$ 800 aqui no Brasil (isso a versão antiga!!!). Mesmo com dólar alto e contando com o pagamento de todos os tributos, a Mi Band vai sair menos de R$ 150. Ou seja, um excelente custo x benefício.

Continue a leitura..

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
mar 10

Primeiras impressões da pulseira fitness Xiaomi Mi Band

2 Comentarios »Postado por GordoGeek em 10/03/2015 às 15:17h

     Atualmente, toda empresa de tecnologia que se preze, tem que ter a sua “pulseira inteligente”. Verdade ou não, tem muito CEO que parece pensar isso. E, num universo onde vários produtos ultrapassam os USD 100 facilmente, é com surpresa que recebemos produtos mais modestos, com a Mi, da Xiaomi, que custa módicos USD 20.

     Eu já tinha ouvido falar do produto, bem por cima, mas quem me chamou a atenção pra ela foi o leitor Daniel. Ele comentou comigo que havia comprado num desses sites chineses e adorou. Inclusive, começou a comprar mais pra revender, de tão impressionado que ficou com o produto. E com esse comentário, claro que eu não pude me segurar e paguei pra ver.

     Comprei a minha Mi Band no começo de janeiro, seguindo a recomendação do leitor e optando por um vendedor específico da AliExpress, já que a dele tinha chegado em menos de 3 semanas e sem pagar imposto de importação. Porém, não dei tanta sorte assim. A minha demorou longos 3 meses e ainda acabei pagando impostos (mais ou menos R$ 50, incluindo a taxa dos Correios(. Mas, como eu recebi um email da AliExpress perguntando se tinha saído tudo bem na compra e eu havia dito que não, devido a demora do produto em Curitiba, eles me reembolsaram do valor que eu havia pago (algo em torno de R$ 75, no boleto). O processo foi super simples.

     A pulseira em si é super simples. Ela não é feita de nenhuma material de alta qualidade, nem chama a atenção pela beleza. Contudo, temos que ter em mente que ela custa USD 20. Claro, com o dólar a peso de ouro, demora na liberação dos produtos, tributação e tal, ela chega aqui em torno de R$ 150. Porém, pelo que eu li a respeito dela, vale a pena, pois ela tem muitos pontos positivos, como ressalto no vídeo. Entre eles: bateria de longa duração, monitoramento de passos e sono, além de integração com o app Saúde do iOS.

TAG(s):
Categoria(s): Gadgets
preload preload preload